Felicidade e saudade

O que eu poderia dizer a alguém que me encanta tanto que às vezes, ao pensar nela, descubro que se me faltar oxigênio eu sobreviveria, mas que não resistiria a um segundo sem a sua alegria?

E o que eu faria para recompensar toda a vida que me vem dela e que dá me força para sobreviver à maior de todas as torturas, que é a saudade dela própria?

E o que fazer para negar tanta admiração, orgulho, vaidade e honra por ter uma filha tão maravilhosamente linda, cativante, generosa e humana, líder nata, corajosa, independente e mais que tudo amiga?

Nada posso fazer, além de ser feliz e apresentá-la ao mundo como um presente de Deus, razão para acreditar que Ele existe.

Um beijo, minha negunfa Alice.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente