Cidades

Por que Geddel insiste em fazer assim?

Gostaria de ter retomado o meu blog com assuntos mais amenos, comemorações de vitórias dos times baianos no Brasileirão, por exemplo. Mas como estou enferrujado e precisava me atualizar para este recomeço, fui dar uma volta na blogosfera para ver as novidades e, claro, dar a famosa “roubadinha” que todo mundo dá na grande rede, onde tudo a pertence a todos e a informação não é exclusiva de quase ninguém.

A novidade é o blog do ex-ministro Geddel Vieira Lima. E é de lá que trago os meus primeiros comentários na minha reestreia como blogueiro. Três coisas me chamaram a atenção, a começar pelo texto e pela postura que considero fake. Durante o lançamento do blog, Geddel afirmou que ele mesmo iria postar as notícias. Questionado se teria tempo disse que “só os limitados acham que não dá tempo” e que atualizaria o seu blog de madrugada (http://migre.me/5GtiK).

Hoje, 13 de setembro de 2011, há pelo menos três notícias novas lá. Todas em primeira pessoa. Geddel noticia e comenta ao mesmo tempo. Um prolífico redator. Deve ter levado boas horas na madrugada escrevendo suas notícias e análises. Deve estar trabalhando agora com muito sono. Uma piada que ele não precisava. Não seria melhor, mais sincero, assumir que jornalistas (ou publicitários) escrevem para o blog e, se for o caso, mencionar Geddel nos textos, dando-lhe o condão de comentar, criticar, sugerir mudanças ao governo tão errado? Mas, não. Preferem essa coisa fake.

Mas, vão alem os equívocos do blog, a despeito de sua intenção de seriedade. Em duas notas Geddel repete o expediente que tentou usar contra Jaques Wagner na eleição passada e que lhe rendeu uma tamanha antipatia que o levou a ficar o tempo todo na sua campanha eleitoral no rádio e na TV explicando que não era arrogante, que era apenas simples e sincero. No blog novo Geddel continua a dar mais de uma versão a algumas coisas que ele mesmo escreve. Nos casos que vou citar, levarei em conta que ele apenas faz os textos originais e os entrega à equipe para revisar e dar os títulos, por isso os equívocos – continuemos a chamar assim.

Numa das notas É de morte: seis são assassinados por dia em Salvador e RMS, Geddel (vamos considerar que tenha sido o próprio, como ele quer fazer-nos crer) escreve: “Tenho acompanhado apreensivo a situação da segurança pública na Bahia, especialmente em Salvador. (…) Como explicar uma política de combate à violência que permite o assassinato de uma pessoa a cada seis horas em Salvador e RMS, um total de 1.238 homícidios até junho deste ano?”

Quero dizer que concordo com o ex-ministro, líder do PMDB na Bahia: a violência e a insegurança nas ruas da Bahia assustam. As políticas de segurança (tampouco o discurso) do governo do estado não estão conseguindo impedir a escalada do crime. Mesmo assim, Geddel, se há o assassinato de uma pessoa a cada seis horas em Salvador e RMS, não são seis são assassinados por dia em Salvador e RMS. Matemática pura e simples, que não combina com sensacionalismo a serviço da política. Reafirmo: um excesso vergonhoso a que o governo da Bahia não dá a devida resposta e a imprensa baiana, especialmente a grande, não dá a devida importância, cega pelo charme do governador.

Reprodução da nota sobre violência na RMS (Blog do Geddel)

Outro exemplo de que Geddel não revisa direito nem seu pensamento nem seus textos, preferindo piorar a versão um pouco mais o que já está ruim a realidade, vem da nota Bahia perde visitantes para outros estados do NE. O ex-ministro começa contestando a si mesmo já no primeiro parágrafo: “A Bahia atrai milhares de visitantes todos os anos. No primeiro semestre de 2011, o aeroporto de Salvador teve um aumento de 16% no fluxo de passageiros, em comparação com o mesmo período de 2010.”

Porém, como a tarefa é apenas mostrar um quadro ruim, Geddel prossegue e cita o abandono do Pelourinho como a razão maior para a fuga dos turistas (esquecendo que ele mesmo afirma no início que este ano já vieram mais turistas que no ano passado – e ainda nem chegou o verão): “A fama ruim de um dos maiores símbolos da cultura baiana é tão grande que muitos têm preferido conhecer outras cidades nordestinas do que se aventurar em área dominada pela bandidagem. Bom para os estados vizinhos, péssimo para a Bahia”. Onde estão os números que avalizam a informação?

Depois de ler aqui vá no Blog do Geddel e leia tudo o que “ele escreveu”. Você vai concordar com muita coisa. Eu mesmo concordo que é irritante e inexplicável a pouca ação do governo do estado em relação a algumas das deficiências e problemas da nossa capital, mas você verá que o ex-ministro critica sem apontar dados sólidos e quando os cita ele mesmo desmente ou se confunde. Isso Geddel faz há muito tempo. Eu acho que não o ajuda muito se seu plano for voltar a disputar o cargo máximo da política estadual. Um político que deseja ser governador pode até ser prolífico, escrever muito na madrugada e ainda cuidar de responsabilidades homéricas como vice-presidente de uma grande instituição como a Caixa, mas deve ser mais cuidadoso nas suas afirmações para não parecer que é mera politiquice.

O link para o blog do Geddel é este http://www.blogdogeddel.com.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s