Uncategorized

Conquista precisa importar candidato a prefeito?

No sul do estado alguns políticos dirigem um município e ao fim do mandato disputam a eleição no munícipio vizinho. Ou saem de mandatos de vereador de um lugar para se tornar prefeitos em outro. E há casos dos que alternam a família entre municípios. A mulher em um o marido em outro. Por aí, ressalvado algum exagero.

Vitória da Conquista, em que pese, como outros municípios*, ter eleito muitos prefeitos que chegaram de fora, hoje está bem servido de bons candidatos. Ou nascidos na cidade ou que a escolheram como sua terra, onde constituíram famílias, trabalham e vivem diuturnamente. Herzém Gusmão (PMDB), José Raimundo (PT), Armênio Santos (SDD), Arlindo Rebouças (PROS), Odir Freire (PT), Valverde Mont’Alverne (PSDB) e Jean Fabrício Falcão (PCdoB) são conquistenses ou como se o fossem, efetivamente. Não apenas têm o município como uma de suas alternativas econômicas ou seus planos B da política.

Então, por que alguns empresários (na maioria) e certos políticos tentam insistir em candidatura importada? Entre 1995 e ali perto de 2000 havia essa alternativa (desnecessária, diga-se). De oportunistas a desesperados, uns tantos falavam em importar o tremedalense Chun Chan Chin para a disputa local. Queriam lançá-lo prefeito. Ele próprio sonhava com isso. Seria o ápice de sua carreira política, sepultada junto com a derrocada de Paulo Souto.

Chun Chan Chin era como também era conhecido o ex-deputado estadual Clóvis Ferraz. Herzém só se referia a ele assim na Resenha Geral do Meio-dia. Não sei se por intimidade ou por pirraça.

Hoje, Herzém, que aparece à frente nas pesquisas de intenção de voto, inteligentemente, levanta a bola de todos os pré-candidatos auto-lançados ou sugeridos por partidos e grupos políticos. À exceção, claro, de José Raimundo, Odir Freire e Fabrício. Sabe o radialista-deputado que não pode queimar ninguém, ou porque existe a possibilidade de ele não ser candidato e apoiar um desses nomes ou porque quer o apoio de todos na sua campanha.

Mas, não há necessidade de continuar vendendo a ideia de que Conquista precisa de Nilo Coelho como candidato a prefeito. Nilo é um importante empresário, amigo de Conquista, investidor, com parentes aqui, mas é da política de Guanambi. Talvez tenha chance de ser eleito em sua cidade, de novo.

Vitória da Conquista tem seus nomes, bons nomes. Repetindo os que eu lembro: rzém Gusmão (PMDB), José Raimundo (PT), Armênio Santos (SDD), Arlindo Rebouças (PROS), Odir Freire (PT), Valverde Mont’Alverne (PSDB) e Jean Fabrício Falcão (PCdoB).

*Para ficar nas “minhas” cidades: Guilherme Menezes (Vitória da Conquista) é de Iguaí; Vane (Itabuna) é de Cipó e Rui Macedo (Jacobina) é de Andaraí. Todos baianos.

Ano que vem, vamos ter uma cena como esta na campanha de Conquista?

Ano que vem, vamos ter uma cena como esta na campanha de Conquista?

Anúncios

Categorias:Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s