Itabuna

Eric Ettinger entrega carta de demissão e Vane deve anunciar Bicalho na SMS

O assunto da indicação do ex-vereador Abraão Ribeiro para um cargo no governo municipal, resultado de acordo de apoio do seu partido, o PROS, ao prefeito Claudevane Leite, tirou um pouco o foco da mídia e da política itabunense de uma mudança muito mais importante: a do titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Afinal, é o setor mais sensível do governo. O que tem mais dinheiro e mais problema. De todas as heranças malditas a que se referiu o prefeito Claudevane Leite, tantas vezes, a Saúde foi a pior. A começar pelo desmanche das unidades básicas e de saúde da família. Estava tudo deteriorado, principalmente a parte estrutural.

No sufôco financeiro de 2011, a administração anterior teria usado os recursos que vieram para reformas para pagar outras despesas. Coube ao atual colocar dinheiro novo, sob pena de responder criminalmente. Tem dessas coisas na administração pública: você assumiu o ente, a instituição, se vire e resolva o abacaxi que o outro deixou. Ou então, processe o outro, com responsabilidade e provas. E todo mundo sabe que, naquilo que depender de processos da atual gestão conta a anterior, os ex-gestores flanarão pela vida toda sem incômodo.

O fato é que a área da saúde continua sendo a mais espinhosa para a administração municipal. Situação agravada, devemos ser sinceros, pela guerra interna, envolvendo PCdoB e um grupo de secretários mais ligados ao prefeito. Uma disputa que se deu (e se dá ainda) mais pela forma como deve ser gerida a saúde, do que pela sede de poder em si, isso hoje fica claro. Mas a guerra engoliu os dois primeiros secretários. Primeiro Renan Araújo, que viu seu cunhado, diretor financeiro, ser demitido sem lástimas, para dar lugar a uma pessoa da mais estrita confiança do prefeito e do núcleo financeiro da administração municipal. Depois o próprio Renan foi mandado embora. Vítima de uma gestão um tanto confusa, da desconfiança do prefeito em sua capacidade técnica, da antipatia da banda mais vanista do governo e do pragmatismo do PCdoB, que preferiu entregar um dedo e  preservar os anéis.

Em lugar de Renan entrou Plínio Adry, cujos laços com o PCdoB eram até então desconhecidos, mas foi indicado pelo partido. Plínio tinha experiência com a pasta, já a havia ocupado em uma administração de Fernando Gomes. Foi ele quem deu os nós finais para trazer de volta a Plena e foi ele quem convenceu Vane a topar fazer as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) que não funcionam e não funcionarão tão cedo. Mas, Plínio passou quase o mesmo tempo que Renan na SMS e, como o antecessor, no num mês de julho foi substituído por Eric Ettinger, coincidentemente no mesmo dia do aniversário de Eric, 4.

A alguns interlocutores Ettinger, que deixou a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna (SCMI) e se afastou temporariamente de sua empresa (LAP), dizia que sairia da SMS também em julho. Mas, não o fez. Resistiu até outubro e decidiu deixar o governo depois de uma conversa com o prefeito em que este teria lhe pedido algo que não poderia fazer: “Ele queria que eu fizesse algo pelo que tecnicamente poderia ser penalizado mais tarde”.

Nesta terça-feira, 3 de novembro, na chegada do prefeito de uma viagem de descanso, Eric Ettinger, finalmente, entregou a carta de demissão a Vane. Uma carta elegante e sem queixa, onde, além de agradecer a confiança do chefe do Executivo, elogia e agradece o empenho da equipe. Não faz qualquer menção ao assunto da conversa que foi a gota d’água. Para o lugar de Eric, as especulações pararam em Paulo Bicalho, médico que dirige o Hospital de Base. Bicalho não é ligado ao PCdoB. Muito pelo contrário. Vane disse que a escolha de Ettinger havia sido um consenso, e que, sendo o cargo de indicação do PCdoB, houve uma coincidência quanto à escolha do ex-provedor da Santa Casa de Misericórdia, embora o prefeito ressalte: “Foi mais uma escolha minha”.

Agora, para colocar Paulo Bicalho, Vane disse ao PCdoB que não aceitaria interferência. A escolha é só dele. Paulo Bicalho enrola e não diz a ninguém, claramente, se aceitou ou não a missão de tocar a Saúde, na SMS. Mas, disse ao BLOG DE GIORLANDO LIMA que está preparando um plano de ação para a pasta, a pedido do prefeito.

Eric sai. Sem constrangimento.

Eric sai. Sem constrangimento.

Isso é mais que dizer que ele será o secretario. Só falta Vane anunciar. Eric sai amanhã. Diz que não sabe quem entra, mas vai fazer a transição com a mesma elegância com que tocou a SMS por  mais de 15 meses. Elegância e responsabilidade.

Bicalho entra (?). Sem o PCdoB.

Bicalho entra (?). Sem o PCdoB.

Trecho da carta de demissão de Eric Ettinger, entregue hoje ao prefeito Vane:

Das lições da vida, marcou-me o ensinamento de Benjamin Disraeli: ‘Não se queixe, não se explique, não se desculpe. Aja ou saia. Faça ou vá embora’. Assim estou fazendo. 

Lutei o bom combate, ao lado de devotados profissionais, que, na grande maioria, com remuneração aquém da magnitude da tarefa, são exemplos de comprometimento com as ações e os serviços de saúde do SUS. O aprendizado na labuta do dia a dia valeu a pena. E como disse o poeta: ‘Tudo vale a pena se a alma não é pequena’.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s