Joás Meira diz que aceita ser o candidato a prefeito do PSB em Conquista

Posted on sábado, 5 dezembro 2015

0


Após ter comunicado ao partido que abria mão da pré-candidatura a prefeito de Vitória da Conquista, o médico e vice-prefeito Joás Meira volta ser um dos nomes do Partido Socialista Brasileiro (PSB) para concorrer à sucessão do prefeito Guilherme Menezes. Joás explicou ao BLOG que o cenário mudou desde o anúncio, feito há três meses, de que não seria candidato, e que agora sente-se compelido, por estímulo de outros membros do partido e pessoas da sociedade, a admitir sua pré-candidatura.

O vice-prefeito diz que não é o único nome do Partido Socialista Brasileiro na mesma condição, citando Gilzete Moreira (presidente da Câmara de Vereadores), Gildelson Felício (secretário municipal), José Carlos Oliveira (ex-candidato a deputado estadual em 2014) e Alexandre Pereira, recém filiado ao PSB, como outras opções que o partido apresenta à sociedade com vistas à eleição de prefeito do ano que vem.

unnamed (1)

Leia abaixo a entrevista que Joás concedeu ao blog ao final do ato de entrega das novas instalações do CREAS Central, na tarde de ontem.

BLOG – O Partido Socialista Brasileiro vem crescendo a cada eleição em Vitória da Conquista. Já fez por duas vezes o vice-prefeito – na primeira Gilzete Moreira com José Raimundo e agora o senhor, com Guilherme Menezes – e demonstra que é um grupamento orgânico, com poucas defecções nos últimos anos. Vários outros membros da direção do seu partido afirmam que em 2016 o PSB terá candidato a prefeito e que o seu nome era prioritário, mas o senhor declinou de ir para a disputa. Por que o senhor desistiu da condição de pré-candidato a prefeito?

JOÁS – Em um determinado cenário, há uns dois ou três meses, eu tive que dar uma resposta ao partido, tendo em vista que estava se aproximando aquele período de outubro, que era quando se encerraria o prazo de filiações e mudanças de partido. O PSB me exigiu uma resposta breve e eu falei: “Neste cenário eu ainda não tenho condições de dar uma resposta”. Por isso, naquele momento, eu deixei o partido livre para tomar o rumo que fosse melhor. Dois ou três meses passados, o cenário se modifica, o partido se fortalece e entre os vários nomes que o PSB tem à disposição, eu analisei e estou me colocando novamente como opção, junto com os outros nomes do partido, para que possamos fortalecer ainda mais, avaliar e estudar a possibilidade de ser o meu nome um dos que pode disputar a eleição.

O certo é que o PSB decidiu, por seu diretório, que vai ter candidato a prefeito. Isso aí é uma decisão de diretório. E neste cenário atual, depois de dois meses em que as coisas mudaram muito, depois de conversas com membros do partido, em que analisamos a política e toda a situação, entendi que posso atender a solicitação dos companheiros e voltei a colocar o meu nome, para me juntar aos outros, como Zé Carlos, o vereador Gilzete, que é sempre um nome à disposição, Gildelson e Alexandre Pereira, que se filiou agora. Ou seja, o meu é mais um nome, que estava fora, mas, atendendo a solicitações, volta ao cenário.

BLOG – E a hipótese de o PT voltar a convidar o PSB a permanecer na chapa, na condição de vice?

JOÁS – Esta resposta já foi dada. Falo como presidente do partido. Em reunião, o diretório decidiu, por unanimidade, quem em 2016 vai ter um candidato a prefeito.

BLOG – Então, chapa com o PT só se for com o PT de vice?

JOÁS – Esta é uma pergunta muito difícil. Mas, tudo é possível.