Acusado de tráfico e homicídio, Nem Bomba será julgado nesta quarta-feira em Conquista

Posted on terça-feira, 15 março 2016

0


0NHA1kn

Willians Alves de Souza Filho, o Nem Bomba, 33 anos, será julgado nesta terça-feira

Dando prosseguimento à temporada de julgamentos iniciada em 24 de fevereiro, o Tribunal do Juri em Vitória da Conquista julgará, nesta quarta-feira, a partir das 9 horas, Willians Alves de Souza Filho, conhecido por Nem Bomba, acusado de ser um dos principais líderes do tráfico de drogas no sudoeste da Bahia. Willians, que era o 8 de Ouros” do Baralho do Crime da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, está preso no Presídio Regional Nilton Gonçalves desde novembro de 2013 e será julgado por ser o suposto assassino de Kaíque Reis Silva, com 12 tiros, além de da acusação de ter tentado matar Alan Silva Santos e Fábio de Tal (conforme está escrito nos autos).

Segundo o Ministério Público, os crimes teriam acontecido no dia 16 de julho de 2011, por volta das 23 horas, em um bar localizado no Bairro Cidade Nova, em Conquista. Ainda de acordo com o MP, a motivação dos crimes seria a disputa pelo controle de pontos de venda de entorpecentes na cidade, já que as vítimas supostamente pertenciam à quadrilha de um traficante chamado Ildemberg Gomes dos Reis, então rival do grupo de Nem Bomba.

Reno Viana

Juiz Reno Viana, da Vara de Júri e Execução Penal em Vitória da Conquista, presidirá o julgamento

No julgamento do Tribunal do Júri, atuará na acusação o Promotor de Justiça José Junseira. Na defesa estará o advogado Benedito Mamédio Martins, muito conhecido nesta região, professor universitário, autor de vários livros jurídicos e Promotor de Justiça aposentado. A sessão de julgamento será presidida pelo Juiz de Direito Reno Viana Soares, titular da Vara do Júri.

APROVADO NO ENEM, QUER ENTRAR NA UNIVERSIDADE

Um detalhe que chama a atenção para este caso é que o acusado foi aprovado no último  Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e utilizou sua nota para emitir certificado de conclusão do ensino médio. Em seguida, através do Sistema de Seleção Unificada (SISU), obteve uma vaga no curso de Ciências da Computação da  Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). O seu ingresso no curso da UESB, porém, está sendo dificultado porque, preso, Nem não conseguiu obter segunda via de documentos requeridos na matrícula.  A lei assegura aos presidiários a possibilidade do ingresso no ensino superior, como maneira de proporcionar sua ressocialização, ou seja, ter novas perspectivas de vida em sociedade.

Julgamentos como o que se realizará nesta quarta-feira pela manhã ocorrem quando são cometidos crimes dolosos contra a vida, ou seja, quando há intenção de praticá-los. O homicídio doloso, tentado ou consumado, é um exemplo. Assim, sete cidadãos são sorteados para comporem o corpo de jurados, que votam em julgamento popular pela condenação ou absolvição do réu. O julgamento se dará no Fórum João Mangabeira, no centro de Vitória da Conquista.

Atualização: Willians Alves de Souza Filho (Nem Bomba) foi absolvido. A defesa alegou inocência. O promotor abriu mão da acusação por considerar que não havia provas nos autos. Leia aqui.