Pré-candidatos a prefeito de Conquista: Armênio Santos

Posted on sexta-feira, 15 abril 2016

2


O leitor que acompanha o BLOG tomou conhecimento de que há oito pré-candidatos a prefeito de Vitória da Conquista definidos por seus partidos, a saber, por ordem alfabética: Alexandre Pereira (PSB), Arlindo Rebouças (PSDB), Armênio Santos (PPS), Fabrício Falcão (PCdoB), Herzem Gusmão (PMDB), Marcelo Melo (DEM), Nayana Gusmão (PTdoB) e Zé Raimundo (PT), tendo surgido no início deste mês os nomes do ex-deputado Clóvis Ferraz e do médico Valverde Mont’Alverne, ambos do PSD. O PSOL também anunciou que terá candidato a prefeito, bem como deve surgir um nome do REDE.

O BLOG vai publicar um breve perfil de cada um dos pré-candidatos, acompanhado de suas opiniões sobre o momento no Brasil e Vitória da Conquista e a razão que os move a ser candidatos (textos preparados pelos próprios ou por suas assessorias). A publicação dos perfis segue a ordem em que chegaram. A pretensão do BLOG é oferecer ao eleitor a oportunidade de conhecer um pouco mais os pré-candidatos e formar melhor a sua opinião.

ArmênioARMÊNIO SOUZA SANTOS (Apresentado nesta pré-campanha como Dr. Armênio)

Conquistense, Armênio Santos tem a política no sangue, é do seu DNA. É descendente do fundador de Conquista, João Gonçalves Costa, e neto de Paulino Santos, intendente do município nos anos 1926-1927. Tendo iniciado a vida política em 1965, participando dos movimentos estudantis da no grêmio estudantil do Instituto de Educação Euclides Dantas (Escola Normal) e das primeiras atividades comunitárias, em plena ditadura que se instalou em com o golpe militar de 1964, Armênio teve sempre militância política destacada em Vitória da Conquista.

Entre os anos 1982 e 1996 teve grande participação na política local, chegando a ser cogitado mais de uma vez para uma candidatura a deputado. Entre 1983 e 1986 foi secretário de Saúde e Bem-Estar Social, no governo de José Pedral Sampaio e de 1987 a 1990 foi Coordenador da Defesa Civil do Estado da Bahia.

Filho de Júlio Fernandes Santos e Idézia Moreira Santos, casado com Heide Sandra e pai de Arnaldo, Arley, Sarah, Sandra, Patrick e Pedro, Armênio é médico oftalmologista formado pela Universidade Federal da Bahia, com atuação nas áreas de medicina social, medicina do trabalho e medicina do tráfego, Armênio desempenhou vários cargos e funções em entidades representativas regionais e nacionais. No mês passado, depois de ter sido lançado pré-candidato pelo partido Solidariedade, Armênio foi convidado para o PPS, onde recebeu apoio nacional ao seu objetivo de ser prefeito de Conquista. O que o motiva a buscar essa meta você lê abaixo (o BLOG mantém a redação e a formatação do texto feito pelo autor):

Sou de uma geração de formação política inspirado em lideranças de bem e do bem que fizeram marcante sua passagem pelo poder político: JOSÉ PEDRAL, ULISSES GUIMARÃES, RAUL FERRAZ, SEBASTIÃO CASTRO, FERNANDO SANTANA, VIRGILDÁSIO SENA, EUCLIDES NETO, PADRE PALMEIRA, NEI FERREIRA (CONQUISTA), GILDÁSIO CAIRO, PROF. EVERARDO, ROBERTO SANTOS, PROF. GERSON MASCARENHAS, NORBERTO AURICH e outras grandes figuras do bem e que cumpriram a missão em liderar praticar políticas públicas com qualidade, decência e dignidade.

Políticos que tinham profissão definida e a inspiração e o dom de ser e estar politico. A politica não era por PROFISSÃO, como hoje ocorre na grande maioria daqueles que se arvoram ao exercício do poder e que se ETERNIZAM.

Estes personagens fizeram prevalecer uma escola de políticos que quando falavam e agiam se destacavam pela qualidade e conteúdo das falas, de cunho confiável e altamente socializante sem necessidade de ROTULAÇÕES e nem BORDÕES. Políticos que viam os PARTIDOS como coisa PÚBLICA, sem DONOS e sem AMARRAS, fazendo prevalecer a vocação social

Hoje ‘os partidos têm verdadeiros donos’, basta divergir que de imediato é destituída a COMISSÃO PROVISÓRIA. O nosso partido, o PPS, aqui no Diretório de Conquista, logo após as eleições, estaremos começando um movimento para ter as convenções e implantarmos uma executiva eleita pelos filiados e, a partir daí, passar a funcionar realmente como uma escola de políticos promovendo ações e palestras de interesse coletivo, discutindo e ingerindo na comunidade.

Vamos lutar, para que a partir de Conquista, isto ocorra também com os outros Partidos daqui e que este movimento atinja todo o Estado da Bahia.

O PPS tem origem e história na vida política de Conquista, da Bahia e do Brasil e, por esta brilhante trajetória em favor da democracia e das liberdades, maior ainda é a nossa obrigação e responsabilidade de liderar práticas de politicas públicas de qualidade.

Ainda muito jovem, quando enfrentamos a DITADURA MILITAR, vi o sofrimento de alguns companheiros que sofreram pressão física e psicológica e a reclusão de não poder reunir e falar de público.

Nossa cidade sempre foi a base das lutas contra tudo isto na Bahia. E, por aqui, eu e o companheiro Zerenildo Rocha, rebeldes e convictos como sempre fomos, lá pelos anos 60/70, com o patrocínio de DEMA DA FARMÁCIA LIA, que nos fornecia um fusca com som e microfone, marchávamos para os bairros de Conquista para, ao anoitecer, fazer os famosos COMÍCIOS RELÂMPAGOS, que eram terminantemente proibidos pela Ditadura.

O SARGENTO SALES, representante da repressão em nossa cidade, o máximo que fazia para nos reprimir eram os ‘carreirões e os cascudos’, pois ele, já incorporado socialmente em nossa cidade, não podia ultrapassar a isto.

‘Então o Sargento Sales mandava os ATIRADORES DO TG 120 nos pegar e dar os famosos ‘SURDÃO E GRITOS NO PÉ DO OUVIDO’, agente chorava, xingava (fdp), evidentemente que a alguns MUITOS METROS DE DISTÂNCIA, e caía fora.

Na Farmácia Lia, Dema já reservava alguns analgésicos para nós e, nos dias seguintes, novamente lá estávamos nós, sempre ao anoitecer, correndo rapidamente de um bairro a outro para não sermos pegos novamente.

A luta continuava com as pregações políticas e de liberdade também nos comícios de campanhas, culminando com os famosos COMÍCIOS DAS DIRETAS JÁ entre 1983 e 1984, que coordenamos por toda a Região do Sudoeste da Bahia, até atingirmos incansavelmente as nossas liberdades democráticas.

Geração de Políticos que só visavam a população e, muitas das vezes, gastava do próprio bolso para suprir as necessidades na realização daquilo que acreditava, não construíram nenhum império financeiro ou de comunicação para sustentar suas convicções, porque esta não era a prática e nem a crença para elevar a sociedade e o ser humano pelo bem e para o bem.

Posteriormente surgiu uma proposta política no Brasil com o PT, Partido que a todo custo e sem limites de qualquer ordem de vida, contestava tudo a todos para atingir e se manter no poder, não tinha comedimento em tentar desmoralizar e atingir as pessoas que se opunham ou mesmo que não aderiram politicamente.

Iniciando por atingir as lideranças e os valores culturais e históricos dos ambientes em eu ascendiam ao poder, fez um processo ditatorial que em vez de atingir o físico das pessoas como fizeram os militares, ATINGIU A ESSÊNCIA DA VIDA: A MORAL, A FAMÍLIA, O CORAÇÃO E A ALMA DAS PESSOAS e, com o advindo da Onda Vermelha, ninguém tinha mais nenhum poder ou espaço nos meios de comunicação que não fossem eles do poder, o PT e seus aliados em ‘todos os cantos e em todos os bares e em todas as esquinas’.

Criou-se uma onda de terror por todo o País, numa tática de uma Cartilha Nacional de ascensão e permanência no poder, o que fez com que os componentes da melhor geração política que a Bahia já teve recuassem, optando pela não exposição e execração publica, preservando a família e os valores e sentido da vida e o verdadeiro sentido e razão de ser e fazer políticas, o sentimento, a família, a ética e a lealdade.

Mas, como DEUS é justo, eis aí tudo se voltando contra eles e, com a máscara caída, estamos vendo quem realmente se beneficiou do poder para as individualidades pessoais e patrimoniais.

Como minha natureza é politica, essencialmente politica socializante e de elevar o ser humano para o bem, só resta neste momento, com a grande experiência administrativa, intelectual, cultural e de vida adquirida, postular com legitimidade a pré-candidatura a prefeito (força da lei) para restaurar e resgatar valores históricos que fizeram e compuseram a nossa Vitória da Conquista no cenário político da Bahia e do Brasil.

Com trabalho revolucionário à época como secretário de Saúde e Bem-Estar Social de nossa cidade e marcante a nível nacional e internacional, a partir de Cuba quando lá estive em 1986, mostrando os primeiros Agentes de Saúde Urbano e Rural e os primeiros PSF do Brasil, que tínhamos constituído, juntamente com a excelente equipe que montamos na secretaria, nos sentimos na obrigação de dedicarmos mais e mais na sedimentação da história com ‘H’ de nossa Vitória da Conquista, tanto física, moral administrativa e cultural dos seus valores, aglutinando a família conquistense na busca da convivência harmoniosa das pessoas e o Poder, para alcançarmos uma PAZ definitiva, se Deus quiser.

Temos que restaurar e fomentar novas lideranças politicas em nossa Terra, para que, com orgulho, possamos propagar verdadeiramente a Conquista que todos amamos e que nela convivemos. Portanto cabe a nós com raízes e compromissos verdadeiros de trazer a felicidade plena para a população, preservar o resto de história que deixaram, e fazer acontecer este novo tempo de evolução na comunicação, para nunca deixarmos de propagar somente a VERDADE e estimulando as pessoas para o real sentido de vida que é a família e a felicidade.

Por fim, o momento político do Brasil, é reflexo macro do domínio do poder pela desorganização da estruturação da vida, a família. Apostaram no consumismo e o assistencialismo desenfreados para dominar as pessoas, mas esqueceram de avisar e consultar à referência da vida (DEUS) se isto era correto.

Uma das motivações para minha aceitação ao convite inicial para a pré-candidatura a prefeito, feito pelo companheiro Vereador Hermínio Oliveira, foi o grupo de pré-candidatos a vereadores de alto conteúdo familiar, ético e moral, que pensam e agem exatamente com a mesma filosofia política e de vida que pensamos e propomos, nos motivando a práticas políticas como nos velhos tempos dos ‘políticos por vocação e ideal’.

Estas afirmativas podem ser até poéticas e emocionais, mas são os sentimentos que movem a todos nós a marcharmos em direção à vitória e são também as carências da população na relação com os políticos, são os 32 pré-candidatos a vereadores e as outras 28 pessoas que compõem o nosso Conselho  e que nos ajuda a pensar e decidir nosso planejamento  de  ações e que também compõem a Comissão Executiva do PPS“.

 

Posted in: Uncategorized