Campanha Eleitoral

Pré-candidatos a prefeito de Vitória da Conquista: Herzem Gusmão

O BLOG vem publicando o perfil de cada um dos pré-candidatos a prefeito de Vitória da Conquista anunciados pelos partidos. O do radialista e deputado estadual Herzem Gusmão, que segue abaixo, é o penúltimo, em seguida será publicado o do também deputado estadual Fabrício Falcão (PCdoB). Alexandre Pereira não enviou, embora a assessoria tivesse se comprometido a fazê-lo, mais de uma vez, e o de Arlindo Rebouças não respondeu ao que o BLOG pediu. Entretanto, se Arlindo enviar o complemento antes da postagem do perfil de Fabrício, publicaremos com prazer.

O leitor deve ter reparado que alguns dos textos publicados estão na primeira pessoa ou têm uma linguagem elogiosa, isso é porque os próprios candidatos ou suas assessorias escrevem o material, cabendo ao BLOG pequenos ajustes de espaço ou uma rápida revisão ortográfica, porque é comum – e normal – ocorrerem erros de digitação.

Leia abaixo o que Herzem diz sobre si mesmo, o que ele pensa sobre o Brasil e a Vitória da Conquista atuais e qual a sua motivação para ser candidato a prefeito. Herzem vai disputar a prefeitura pela terceira vez. Em 2012 foi ao segundo turno e obteve 70.760 votos. Nas pesquisas de intenção de voto o pré-candidato do PMDB está à frente, variando de 36% a 46%, a depender do cenário.

Herzem Gusmão (PMDB)

Os desafios são enormes, mas a vontade e o sonho de uma cidade melhor são maiores ainda.

Herzem 2Origem: Nasci em 02 de Junho de 1948, em Vitória da Conquista. Filho de Eunildo Gusmão Pereira e Zilda Gusmão Pereira. Sou casado com a professora Luci Freire Gusmão, tenho três filhos e um neto, o Artur, que é recém-nascido. Estudos: Estudei Direito em Montes Claros, mas segui como comunicador durante toda a vida. Sou Jornalista, Especialista em Comunicação pela UESB e atuo como comunicador desde a década de 1960. Há mais de 30 anos apresento o programa Resenha Geral, líder em audiência na região.

No decorrer da minha vida profissional, atuei ainda como Gerente da ASPEB- Associação de Poupança e Empréstimo da Bahia, em 1981, e também no Banco Econômico, em 1984, além de ter sido gerente das Lojas Unilar, 1985. Como deputado estadual, assumi a vice-liderança da oposição entre março de 2015 e março de 2016, sou Vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviço Público (2016); Titular das Comissões de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviço Público (2015-), Direitos Humanos e Segurança Pública (2015-2016), Finanças, Orçamento, Fiscalização e Controle (2015-2016), Presidente da Comissão Especial de Desenvolvimento Regional (2016), Especial Desporto, Paradesporto e Lazer (mar/2016-); e membro suplente da comissão de Saúde e Saneamento (2015- 2016).

Opinião sobre o país: O Brasil vive um momento difícil, com conflitos envolvendo as instituições. O saudoso Ulysses Guimarães dizia que “devemos ouvir a voz rouca das ruas”. O povo brasileiro deseja um novo governo. E é obrigação dos políticos dar esse novo governo que o Brasil deseja. Vivemos a pior crise econômica da república, provocada por uma serie de erros intencionais de gestão, mentiras deslavadas que deram razão e consistência ao processo de impeachment. Erraram e mentiram muito, e nesse aspecto, ao alegar ilegalidade e golpe ao processo de impeachment, mentem novamente.

Quem golpeou e golpeia contra a democracia desde 1988 é o PT, e no governo piorou, fraudando dados econômicos, maquiando números para ganhar a eleição, dizendo que tudo estava bem para depois trair o povo brasileiro. Para ser reeleita, Dilma Rousseff desorganizou a economia. Detonou os limites de gastos públicos, maquiou dados oficiais, caluniou os adversários, mentiu para a população. É o PT quer agride a democracia pela via da corrupção do aparelho de Estado para o financiamento de um projeto de poder.

Portanto, queiram ou não, estamos vivendo os últimos tempos da irresponsabilidade e manipulação do PT no poder. O modelo se esgotou. Não há chance que Brasil se recupere com o PT, devemos reconhecer isso com coragem. A única chance para o Brasil e para a democracia brasileira é o impeachment.

Opinião sobre a cidade hoje: Vitória da Conquista cresce fruto da iniciativa privada, que colocou a cidade como 6º maior PIB do Estado e é o desdobramento desse modo de governar do PT, da manipulação e inércia. Infelizmente o poder público aqui não acompanha a vontade e a força do setor produtivo. A falta de um aeroporto, a falta de água, a pouca oferta de energia, a necessidade de revitalização do centro comercial e do distrito industrial, o pouco auxílio ao agronegócio, a falta de investimento no ensino fundamental e médio assim como também na universidade, são apenas algumas coisas que eles tiveram 20 anos pra fazer e não fizeram.

O trágico é que isso, essa falta de desenvolvimento em diversas áreas ao mesmo tempo, gera a violência que nos assombra e desnuda a falta de governo, em todas as esferas. Regredimos na área social durante a administração do PT, basta ver os números. O que temos hoje é um modelo esgotado, de um partido desgastado, sem condições de oferecer novas saídas para a cidade. Uma prefeitura acomodada, entristecida, inerte, que bem representa o PT que não tem mais compromisso com mudanças. Um esqueleto de uma esquerda que nada tem de revolucionaria, e apenas quer conservar cargos e verbas. O PT hoje é o que há de mais conservador na política da cidade. Não tem mais sonho, não tem ambição, não tem energia. E quanto falta isso tudo, a política perde o sentido. Pra Conquista crescer e se desenvolver, voltar a gerar empregos e se modernizar, precisamos mudar esse modelo que está ai. E quem conhece a cidade sabe: Vitoria da Conquista quer e vai mudar.

Cansei de esperar que os governantes dessem jeito nas coisas, e resolvi eu mesmo enfrentar as dificuldades com energia e disposição.

A principal razão que o motiva a querer ser prefeito: De tanto questionar os problemas da cidade e de apresentar sugestões para o desenvolvimento de Vitória da Conquista, durante minha vida na radio, surgiu o desejo de viabilizar essas ideias através de um mandato com apoio popular. Conheço as demandas da população, e suas necessidades, afinal, são décadas acompanhando diariamente o sofrimento e as angustias de nossa gente, observando as diversas administrações, seus acertos e fraquezas.

Cansei de esperar que os governantes dessem jeito nas coisas, e resolvi eu mesmo enfrentar as dificuldades com energia e disposição. Mas não serei o candidato de mim mesmo, até porque são quatro anos para realizar o que eles não fizeram em 20, e pra isso, precisamos de um grupo disposto, unido e competente. Isso é que estou pregando: que nosso grupo tenha um compromisso de longo prazo com a cidade, sem vaidades, que envolve a união de varias lideranças e um projeto de futuro, com uma gestão inovadora e transformadora, como vemos, por exemplo, em Salvador, com o extraordinário trabalho de ACM Neto, no qual o PMDB participa ativamente.

Quero sim ser candidato, mas candidato de um projeto, construído por nossos partidos, ser porta-voz desse projeto na campanha, e vencer por esse projeto, mostrando que podemos fazer mais, que Conquista pode mais. Precisamos voltar a ter orgulho das coisas boas de nossa terra, sentir orgulho de uma cidade exemplo de administração. Certamente teremos uma ampla coligação, que vai apresentar esse projeto de modernização de Vitoria da Conquista que a população tanto deseja e merece. Modernizar a mobilidade, com novas vias e transporte publico decente. Modernizar a educação, melhorando as escolas e os indicadores. Modernizar a Saúde, aumentando cobertura da atenção básica, implantando novas UPAS, e resolvendo definitivamente o problema dos hospitais e falta de vagas. Modernizar a segurança publica, a cultura, a infraestrutura.

Os desafios são enormes, mas a vontade e o sonho de uma cidade melhor são maiores ainda. Apresentaremos esse projeto de transformação e faremos um amplo debate para mostrar o leque de propostas e diretrizes que temos, para julgamento da população conquistense.

Essa será nossa prioridade: mostrar o que podemos fazer, sem precisar mentir e agredir, como faz o PT. E tenho certeza que podemos fazer mais e melhor que eles. Estamos trabalhando em projetos arrojados, de quem acredita na cidade, e na força do trabalho e da união. Nosso grupo terá um plano de governo inovador, que vai mudar a cara da cidade, devolvendo à Conquista o protagonismo econômico e administrativo que sempre teve.

2 respostas »

  1. Será que vai ter um político q se preocupe com a ordem e a pás dessa cidade , porque moro no vila América e o som que toca aqui é um absurdo de altura e ninguém resolve nada nem a polícia e nem a prefeitura , ninguém dorme de noite , ou será que tudo é farinha do mesmo saco

    Curtir

  2. Gostaria q o m eu candidato se defendesse do q o PT está dizendo de Herzen .
    Eu moro no Parq. das Flores- Campinhos MINHA CASA MINHA VIDA.
    O Zé passou por aq, 2x,, e o meu candidato nós iguinorol. Estão dizendo q Herzem chomou de pu lero de galinha as Habitações. Ele está perdendo muitos votos por conta disso.
    A campanha do PT está forte aq.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s