Conquista: Afinal, a pesquisa era boa para quem? Pelas especulações, ter sido impugnada foi melhor para o PMDB

Posted on quarta-feira, 20 julho 2016

0


Fachada_Prefeitura_1[1]

A guerra pela tão desejada prefeitura tem lances diários. O episódio pesquisa do Na Fonte foi um dos mais tensos.

Na semana passada, imprensa e eleitores de Vitória da Conquista foram informados de que no domingo (17) uma pesquisa de intenções de votos seria divulgada. O levantamento, feito pelo Instituto NaFonte, foi encomendado pelo site Política Livre, de Salvador. Apesar de algumas estranhezas – como realizar em único dia (12, segundo dados do registro no T.S.E) 1.040 abordagens sem erro, em um município com doze distritos e 304 povoados, em área de 3.204,257 Km2, e colocar o nome do pré-candidato do PMDB, Herzem Gusmão, encabeçando a lista de candidatos, fora da ordem alfabética -, nem todo mundo achava que a pesquisa conteria irregularidade. O BLOG, por exemplo, tinha fé no trabalho do NaFonte.

Mas, eis que começam a “pipocar” resultados. O BLOG recebeu três. Tudo especulação, é de se crer. Em todos, ao contrário do que expressava a confiança dos correligionários e apoiadores do pré-candidato do PMDB, que falavam em números acima de 40%, o que daria um indicativo fortíssimo de vitória no primeiro turno, Herzem ficou com números entre 34% e 37%. Esclareça-se, isso nos números não oficiais, divulgados em grupos de WhatsApp. Em quase todas essas especulações, a quantidade de votos dos candidatos da base do governador Rui Costa (PT, PSB, PDT e PT) supera as intenções de votos de Herzem, Marcelo Melo (DEM), Arlindo Rebouças (PSDB) e Armênio Santos (PPS). Dos quadros que chegaram ao BLOG em apenas um a oposição ganha da “esquerda”, mas Herzem fica em 36%.

Diante de toda especulação, com tantos números díspares, cada grupo decidiu fazer o uso que considerava legítimo da pesquisa. Uma olhada nos números, sem muita análise, mostra que os percentuais apresentados nos vários quadros divulgados eram bons para todos os pré-candidatos. Apoiadores de Armênio Santos e Fabrício Falcão, por exemplo, comemoraram (e espalharam os quadros que julgaram bons para seus candidatos). Mas, Marcelo Melo não gostou. Embora nem ele tivesse certeza de que os números da pesquisa fossem aqueles espalhados nas redes sociais, em qualquer dos cenários ele “decepcionava”. Marcelo não aparecia com mais do que 3%. Ato contínuo: entrar na Justiça em busca de liminar para suspender a publicação dos resultados, com sucesso.

Um amigo jacobinense, dado à ironia, mas um depositário da inteligência, diria: obteve uma vitória de Pirro. E se queria atrapalhar Herzem e se preservar, não fez nem uma coisa nem outra. Os números, se verdadeiros ou próximos já espalhados pelas redes sociais e becos de fofoca, já teriam sido suficientes para mostrar que Herzem está na frente, mas nem tanto, e que Marcelo, se fosse um time do campeonato brasileiro, na zona de rebaixamento. A pesquisa, tendo sido divulgada, não pioraria o que já se sabe sobre a posição de Marcelo no cenário. Mas, mostraria que as intenções de voto de Herzem não chegam àquele patamar que propalam os entusiasmados. E, a analisar os números divulgados, tem não apenas ao primeiro turno ameaçado como não pode contar com o ovo na cloaca da galinha também em relação ao segundo turno.

Ou seja: Herzem não foi tão prejudicado assim pela suspensão da pesquisa encomendada pelo Política Livre. E pode sair pelos bairros e pela zona rural dizendo, sem poder ser contestado, que impugnaram a pesquisa porque ele está na frente. Pode dizer que fizeram isso por medo. E, ainda por cima, pode achar bom que esconderam os verdadeiros números.

Vejam abaixo alguns dos números que circularam. Não se trata de divulgação de pesquisa, porque os números reais da tal pesquisa estão guardados em 15 chaves. Nem estamos divulgando pesquisa fraudulenta, nem pesquisa não registrada, porque os quadros abaixo não se referem a nenhuma das situações e vão aqui apenas para contextualizar o artigo, em nome das boas normas jornalísticas. Não me processem. Não tenho nem salário. Todos os pré-candidatos têm acesso a mim e ao BLOG, que está aberto às considerações de cada um, que serão publicadas na íntegra.

Especulação 1: Especulação 2: Especulação 3:
Herzem – 34% Herzem Gusmão – 37% Herzem Gusmão – 36%
José Raimundo – 20% Zé Raimundo – 28% Zé Raimundo – 22%
Fabrício – 15% Fabrício – 17% Fabrício – 12%
Armênio Santos – 5% Joás Meira – 6% Joás Meira – 6%
Joás 4% Armênio Santos- 5% Armênio Santos – 4%
Marcelo Melo – 3% Marcelo Melo – 3% Arlindo Rebouças – 3%
Arlindo Rebouças – 2% Arlindo Rebouças – 3% Marcelo Melo – 2%
Eny – 0,5 % Maria Eny – 0,5% Eny – 1,0%
Professor Euvaldo – 0,5% Professor Euvaldo – 0,5%