O zum-zum-zum do dia na eleição de Conquista: Afinal, quem contratou a pesquisa do Veritá?

Posted on sábado, 22 outubro 2016

0


O Instituto Veritá, que tem duas sedes, uma em Uberlândia, onde surgiu, e outra em Brasília, está – segundo consta – realizando uma pesquisa de opinião pública em Vitória da Conquista para medir a intenção de votos. O resultado deve ser divulgado na terça-feira, 25. Nas redes sociais, para não fugir à regra, seguidores dos dois candidatos a prefeito trocam farpas tendo como motivação a pesquisa em andamento (e todas as demais pesquisas já feitas). Vamos chamar aqui os seguidores e apoiadores de Herzem como herzistas e os de Zé Raimundo como raimundistas, já que o pedralismo morreu com Pedral e o guilhermismo começa a sair de cena nesta eleição.

O herzistas postam notícias coletadas no Google em que o Veritá é acusado de fraudes em pesquisas feitas em outros municípios do Brasil, como Monte Carmelo (MG), Campina Grande (PB) e Campinas (SP). Embora praticamente todos os institutos de pesquisa em atuação no país possam errar e ter seu trabalho questionado na e pela Justiça, quem não quer nem ouvir falar na possibilidade de haver uma pesquisa eleitoral favorável ao PT em Vitória da Conquista não perdoa o Veritá, cujo nome é inspirado na mitologia romana. Veritas é a filha de Saturno, mãe da virtude. A palavra, em latim, significa verdade.

anuncio-veritas

Banner que aparece no site da Veritá

Em 2014, durante as eleições presidenciais, a Veritá foi acusada de forjar pesquisa para favorecer o candidato do PSDB, Aécio Neves, colocando-o à frente de Dilma Rousseff no segundo turno. Naquele momento quem batia no instituto eram os petistas. O silêncio ficou por conta dos tucanos, que em Vitória da Conquista apoiam Herzem Gusmão, que foi o vencedor no primeiro turno e apareceu na primeira pesquisa do segundo na frente do candidato do PT. A pesquisa do Veritá terá o condão de confirmar os números ou desmenti-los. Daí a liberdade para especular sobre as estratégias de cada lado. Afinal, este BLOG de opinião analisa cenários e possibilidades, de forma livre e independente, desde que a base sejam fatos.

O BLOG não conseguiu confirmar com nenhuma das suas fontes ligadas ao PT e à candidatura de Zé Raimundo se a pesquisa do Veritá atende a requisição do partido. O próprio Veritá se encarregou de camuflar essa importante informação do processo: apresentou-se ao TSE como o contratante de si mesmo, a um custo de R$ 32.000,00, deixando os curiosos a exercitar seus poderes de adivinhação, tentando saber a quem o Veritá vai entregar o seu relatório tão caro. E quem vai publicar. Se for o Bocão News é provável que a pesquisa do instituto mineiro seja um presente para a campanha de Herzem. Se for no blog de Levi Vasconcelos (bahia.ba) ou em A Tarde, indicará ser pesquisa de interesse do PT.

herzem-e-ze-2-turno

O resultado da Veritá será bom para quem, Zé Raimundo ou Herzem Gusmão? E será verdade, como preconiza o nome do instituto?

O fato é que a pesquisa do Veritá está chamando mais atenção, antes mesmo de ser divulgada, do que a do Painel Brasil, publicada na quarta-feira, com Herzem à frente. O PT nega que tenha alguma coisa a ver com ela. Argumenta que não tem recurso para contratar pesquisa. O PMDB contra-ataca. Postagens feitas por herzistas em grupos de WhatsApp e no Facebook dão conta de uma estratégia petista para validar os percentuais que devem ser divulgados pelo Veritá. Dizem que a estratégia inclui a vinda do governador Rui Costa a Vitória da Conquista na segunda-feira, acompanhado de um reforço de propaganda de obras do governo do Estado no rádio e na TV; na terça-feira sai a pesquisa; na quarta-feira tem uma grande ação na cidade com participação do MST e durante toda a semana a propaganda eletrônica de Zé Raimundo intensificaria a notícia, reforçada por distribuição farta de material gráfico nos bairros e distritos.

Verdade ou não, é isso o que começa a correr nas redes sociais. De pés juntos o PT nega que o roteiro apresentado pelos seguidores do PMDB tenha sido pensado. Para alguns petistas ao “inventar” a estratégia que atribui à campanha de Zé Raimundo, o PMDB tenta se vacinar para a possibilidade de os percentuais da nova pesquisa serem desfavoráveis a Herzem, daí a desqualificação do levantamento, as críticas ao instituto e o roteiro com Rui Costa e o MST. “Me diga: a fúria da propaganda de HG é compatível com um candidato com mais de 60%?”, questiona um zezista. “Não está vendo que o PT quer criar fato para confundir o eleitor tentando diminuir o tamanho do massacre eleitoral?”, retruca um herzista.

Não dá para saber qual dos dois lados tem a verdade, ou a veritas. Para depois desta, outras duas pesquisas estão registradas, uma nova da Painel Brasil e a outra do desconhecido Eleva, com atuação a área de tecnologia, mas cujo site está fora do ar. A Eleva foi contratada pela Rádio Metrópole (Mário Kertész), de Salvador. Amanhã ou depois é provável que seja registrada uma pesquisa do IBOPE, para divulgação na sexta-feira ou no sábado. Vai sobrar pesquisa e números para os eleitores escolherem em quais acreditar.

Até lá, o mistério é a pesquisa do Veritá que ninguém assume. Quem estará com a verdade? Quer saber mesmo? O eleitor, na urna.