As pesquisas confirmam: Conquista quer Herzem

Posted on terça-feira, 25 outubro 2016

0


whatsapp-image-2016-10-25-at-19-36-45

Diego Gomes é jornalista e assessor de comunicação de Herzem Gusmão

Por Diego Gomes

A ditadura militar brasileira, que o PMDB de Conquista combateu com vigor e independência e que tanto infelicitou nosso país, durou exatos 21 anos, apenas dois a mais do que o tempo em que o PT está no poder em Vitória da Conquista.

Tanto tempo no poder, esteja nele quem estiver, nunca é bom para a democracia. O continuísmo político e administrativo sempre favoreceu práticas indesejáveis, como a corrupção eleitoral, os favorecimentos, os desvios de verba, as licitações viciadas, e toda a sorte de malfeitos que são quase sempre escondidos nos armários da burocracia.

O exemplo nacional é inequívoco. Treze anos de PT no poder fizeram muito mal ao Brasil, levaram o país à situação em que hoje se encontra. E levaram o povo às ruas para exigir mudanças, contra o maior esquema de corrupção da nossa história.

E o Brasil mudou, temos hoje ações, investigações e perspectivas que a sociedade exige, e queriam ou não, temos um novo governo, que busca novas perspectivas de crescimento e de dias melhores para os brasileiros, com mais responsabilidade fiscal e menos populismo.

A alternância de poder é sempre resultante da participação do povo na vida democrática, da supremacia da vontade popular. Conquista não é exceção a essa regra. Não tem sido boa para a nossa cidade essa paralisação política de 19 anos, essa tentativa de nos impor um poder hegemônico e autoritário. Um governo municipal que acha que a cidade foi fundada por eles, e nega toda a história política de Conquista, feita por homens honrados, que ajudaram, cada qual ao seu tempo, a construir essa cidade grandiosa.

E o povo de Conquista já mostrou, durante todo o primeiro turno desta eleição, que quer mudar, que quer abrir um leque de novas possibilidades, que quer decidir seu destino de forma independente, sem as amarras impostas por quem se julga eterno do poder.

Conquista não tem dono. Conquista é dos conquistenses e são eles que decidem. E os conquistenses confirmam nas pesquisas essa afirmativa, desde o primeiro turno. As pesquisas  acertaram em cheio e mostraram que dois a cada três eleitores querem tirar o PT do poder em Vitória da Conquista.

O resultado eleitoral é a maior prova dessa decisão e refletiu a tendência apontada nas pesquisas: de que a ampla e majoritária parcela da população de Conquista não vota no PT. E no segundo turno elas novamente apontam essa decisão bem consolidada. Herzem tem que quase o dobro dos votos do candidato do PT em quase todos os levantamentos.

Negar o óbvio, o sentimento popular, e pior, a estatística, mais mais parece coisa de amadores. Mas como se tratam de profissionais na manipulação, temos todos que estar atentos e fiscais da democracia, para fazer valer a vontade popular, e evitar que a compra de votos e as fraudes, práticas já conhecidas do PT, possam prosperar em Vitória da Conquista mais uma vez.

Nossa cidade não será vergonha nacional e se manterá fiel às suas tradições de independência e inovação, e certamente, assim como todo o Brasil fez, condenará o PT pelos seus crimes, nas urnas no próximo dia 30. Isso que o Brasil espera da gente. Isso é o que diz as pesquisas. Isso é o que quer o povo conquistense quer. Conquista quer Herzem.