Crise financeira: Prefeitura de Conquista demite comissionados para ajustar folha. Administração diz que 13º está garantido.

Posted on quinta-feira, 1 dezembro 2016

0


(Atualizado às 13h58)

Duas pessoas entraram contato com o BLOG preocupadas com decisão que teria sido tomada pelo prefeito Guilherme Menezes de dispensar, a um mês do término da administração, pessoas que estão em cargos comissionados, sob a alegação de que estourou o limite financeiro para pagamento dos servidores. Uma das fontes, que solicitou ficar no anonimato, ela e outras pessoas souberam que até o pagamento do 13º salário está ameaçado. “O que a gente está sabendo é que não quem tem férias a receber neste período vai ficar na mão e que o que falta do 13º também não vai sair e a orientação é pra entrar na justiça se não aceitar”.

2015-10-02_15.44.44[1]
Como todas as prefeituras do Brasil, a de Conquista sentiu no fim do ano a queda das arrecadações

Outra fonte reclamou que faltou aviso. Segundo a pessoa, a administração poderia ter feito uma reunião para explicar a situação, mas teve gente que foi avisada ontem de tarde para não vir mais amanhã. Lamenta que isso aconteça quando está chegando o fim do ano, perto do Natal. “É chato”, comentou a fonte, que pediu reserva.

A prefeitura de Vitória da Conquista foi uma das poucas do Brasil que conseguiu manter as contas em dia nos últimos dois anos, quando a arrecadação caiu e os repasses da União foram reduzidos. Mas, os sinais de que a situação estava ficando ruim também na prefeitura conquistense foram dados no ano passado, quando o prefeito Guilherme Menezes determinou mudança no horário de atendimento de unidades de saúde, de dois turnos para apenas um – medida posteriormente cancelada -, e decretou, pela primeira vez, recesso de final de ano [do dia 24 de dezembro ao dia 4 de janeiro deste ano] (Leia aqui).

Em entrevista ao BLOG no começo de novembro, o prefeito disse que a queda na arrecadação tinha sido o motivo para que algumas obras não tivessem sido realizadas no tempo previsto. Por causa da redução no ICMS, de repasses federais e da arrecadação própria, quando assumir Herzem Gusmão não encontrará dinheiro em caixa, segundo Guilherme. “Estamos procurando fazer com que aconteça, mas acho muito difícil (deixar dinheiro em caixa), por conta dessa redução de arrecadação e aqui não sobra dinheiro, o dinheiro que chega aqui vai para a educação, pra saúde, pro desenvolvimento social, vai pra quem de direito e sem desvios. Nossas contas estão aí, abertas. Hoje abrir mão, por exemplo, das contas bancárias, do segredo, aquelas coisas, isso não existe mais, porque isso aí está na transparência, além da nossa transparência aqui dentro da prefeitura. Mas, estamos fechando com muita dificuldade”, disse o prefeito na entrevista (leia aqui).

O BLOG entrou em contato, via WhatsApp, com a secretário de Comunicação, jornalista Ernesto Marques, que respondeu dizendo que sobre as demissões não teria o que informar, mas assegurou que o 13º não está ameaçado.