Se Herzem tivesse um Rasputin ou uma eminência parda quem seria?

Posted on sexta-feira, 2 dezembro 2016

0


Em meio a hipóteses sobre o secretariado do futuro governo municipal, com alguns nomes já conhecidos, mas ainda não oficializados pelo prefeito eleito, surge uma nova especulação: quem exerce ou exercerá maior influência sobre o prefeito Herzem Gusmão (PMDB)? Sabe-se que Herzem reuniu um grupo de pessoas no que ele chama de conselho consultivo, do qual participam alguns nomes influentes de Vitória da Conquista, como o empresário Onildo Oliveira, o ex-ministro Ubirajara Brito, os contadores Hamilton Nogueira e Edvaldo Paulo Araújo, os médicos Clodoaldo Cadete e Sebastião Castro, o advogado Marcelo Nova, o Ten.Cel Esmeraldino Correa e a arquiteta Ana Maria Gonçalves, mas quem, nas conversas reservadas, nas viagens, no momento em que os membros do conselho estão em suas atividades profissionais, sem ser da família, influencia o prefeito eleito em seus passos, falas e decisões?

Alguns acham mais fácil atribuir esse papel a Hamilton Nogueira. Hamilton é apoiador de primeira hora e foi um dos que assumiram a articulação em favor da candidatura do radialista no meio empresarial, onde Herzem tinha grande dificuldade. O contador também foi o maior contribuinte individual com a campanha, respondendo por 14,95% do total de R$ 545.764,75 recebidos pela campanha do peemedebista. Em seguida vieram Edvaldo Paulo, com 14,67%, e Onildo Oliveira com 13%. Mas não é nenhuma dessas pessoas que pode ser vista com Herzem em todos os seus eventos públicos, desde coletivas de imprensa, a conversas com Paulo Souto e ACM Neto, até o encontro com o prefeito Guilherme Menezes. Nem Irma Lemos, vice-prefeita, acompanha o prefeito eleito tão amiúde. O assessor de imprensa, Diego Gomes, e o assessor geral Gildásio Olveira, apesar da proximidade e da competência ainda não alçaram a essa condição.

Marcos Antônio de Miranda Ferreira, sim. Ele doou 15.000,00 – ou 2,75% do total arrecadado – à campanha de Herzem, segundo informações passadas ao TSE, mas não é isso o que faz forte na hierarquia do novo poder municipal. Marcos Ferreira é administrador de empresas, foi da OAS, da TV Bahia e por 12 anos diretor da TV Sudoeste. De 2004 a 2007 foi diretor comercial da Federação Baiana (FBF) e em 2007 assumiu a vice-presidência da CBF para o Nordeste, indicado por Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, que recusou o cargo na CBF. Os dois recomendados pelo diretor de Competições da entidade máxima do futebol nacional, Virgílio Elísio. Marcos voltou a Conquista este ano. Considera a cidade sua terra do coração. Apresentou-se como coordenador de campanhas do ex-governador Paulo Souto e foi ungido à condição de coordenador-geral da campanha do prefeito eleito.

herzem-e-marcos-ferreira-com-paulo-souto

Marcos Ferreira, ao lado de Herzem, com Paulo Souto

Marcos Ferreira não fala muito. Ri menos ainda, sempre de canto de boca. É considerado um amigo leal e fiel. Gosta de futebol, carnaval e música. Na TV Sudoeste apoiou vários artistas e promoveu eventos culturais e esportivos em Vitória da Conquista e região. A classe artística e os clubes e atletas envolvidos com Futsal são muito gratos a ele. Pouca gente sabe, mas muito antes, muitas antes mesmo, de a TV Sudoeste criar o Festival de Inverno nos moldes que hoje realiza, Marcos Ferreira, em parceria com Ivan Lemos, representando a Band FM de Conquista, já havia feito dois eventos com este nome no Parque de Exposição Teopompo de Almeida. Estamos falando de 2005 e 2006. Por causa de seu trabalho na TV Sudoeste, em 2005 Ferreira foi agraciado com o título de Cidadão Conquistense, por iniciativa do então vereador Wilson Feitosa.

guilherme-e-herzem-em-reuniao

Marcos Ferreira ao lado de Herzem em reunião com o prefeito Guilherme Menezes

Com a confiança de Herzem Gusmão, de quem conhecemos as boas intenções, mas não sabemos quais os métodos e planos para que ele as torne reais, Marcos Ferreira é, sem sombra de dúvida, o mais influente dos assessores do prefeito eleito. Ele, Herzem e outros correligionários e amigos negarão a afirmativa do BLOG. Chamar Marcos Ferreira de Rasputin seria depreciativo. Ele nada tem de bruxo. Também não seria elegante chamá-lo de eminência parda. Marcos não guarda semelhança com François Leclerc du Tremblay, que foi o braço direito do poderoso cardeal francês Richelieu e inspirou a expressão eminência parda, desde os anos 1612. Mas, há quem diga que ele, bom no uso das palavras, charmoso, com um currículo de bom executivo e de boas relações, exerce um poder enfeitiçador sobre Herzem e é quase sempre o último a ser ouvido, antes da família. Se isso será bom para Herzem e para Vitória da Conquista só esperando para ver.

Hoje Herzem fez duas coisas que chamaram a atenção do BLOG. Entrou com sua equipe no gabinete do prefeito para o primeiro encontro entre eles e sequer autorizou ou defendeu a entrada de jornalistas para um mero registro fotográfico. Na saída, à exceção de uma jornalista da Secom e do seu assessor Diego Gomes, só estava o editor deste BLOG, jornalista Giorlando Lima. Herzem não se dignou a dizer nada sobre o encontro. Na saída do gabinete, porém, o político Herzem, quis saber onde era a Secretaria de Comunicação e lá entrou, para “cumprimentar os colegas”. O secretário não estava, pois se encontra em Salvador. Como beija-flor o prefeito eleito deu meia volta e saiu.

Diante da reivindicação de que da parte do prefeito eleito e equipe faltam melhor informação e um contato mais aberto, o editor do BLOG ouviu de Marcos Ferreira, o conselheiro, que lhe faltou sensibilidade (ao jornalista, claro). Disse o assessor que se o editor do BLOG fosse um bom jornalista saberia da delicadeza do encontro, que poderia nem ter acontecido. Falou como se se tratasse de uma conversa de alcova, de uma confissão de crente ao pastor, um encontro reservado entre Putin e Obama, mas na sala entraram outras quatro pessoas, além do prefeito eleito. O BLOG não entendeu qual princípio seria ferido se um jornalista disposto a ajudar apenas pudesse fazer o registro fotográfico do encontro dito histórico. No silencio de Herzem Gusmão e na bronca mal-humorada de Marcos Ferreira o BLOG entende quem definiu aquilo e quem define como são as coisas, pelo menos no que diz respeito à imprensa, ou só ao BLOG.

* – Grigoriy Yefimovich Rasputin (Pokrovskoie, 22 de janeiro de 1869 – Petrogrado, atual São Petersburgo, 30 de dezembro de 1916) foi um místico russo, figura politicamente influente no final do período czarista e um amigo de confiança da família de Nicolau II, o último czar da Rússia. Ele se tornou uma figura influente em São Petersburgo, especialmente depois de agosto de 1915, quando Nicholas assumiu o comando da frente do exército. (Fonte: Wikipédia)