Conquista: Para Zé Raimundo aumento da passagem de ônibus foi antidemocrático

Posted on sábado, 11 fevereiro 2017

0


Do jeito dele, calmo e sem agredir, o deputado estadual e ex-prefeito José Raimundo Fontes (PT) comentou as recentes medidas tomadas pelo novo governo municipal, como o corte de gratificações dos servidores efetivos e contratados e o aumento no preço da passagem do transporte coletivo. José Raimundo foi o convidado de sexta-feira (10) do programa Informação e Análise, apresentado por mim, na rádio Melodia FM.
img-20170210-wa0007
Questionado sobre o primeiro mês da nova administração na cidade, o deputado petista disse que ainda era cedo para fazer um julgamento da administração e que apenas torce para que não haja retrocesso, mesmo assim, ele falou do reajuste das passagens e da retirada das gratificações.
Com sua experiência de ex-prefeito e de deputado, José Raimundo relembrou que ele fez parte da comissão que analisou, pela primeira vez os índices e critérios para reajuste de passagens, tendo como base a planilha do Ministério dos Transportes. Isso em 1982. O objetivo era entender como é que se compõe o preço da passagem de ônibus.
16710201_1252564431502331_1796096385_oO deputado comentou o fato de o Conselho Municipal de Transporte não ter sido ouvido pela atual administração. Para Zé Raimundo, a decisão foi: “Antidemocrática, unilateral e sem ouvir uma estrutura legal, que é o Conselho Municipal do Transporte. Não sei se o valor da passagem seria um pouco menos ou um pouco mais, mas era preciso analisar a planilha de gastos. O método é que está errado. O conselho tinha que se reunir e demonstrar toda a estrutura de custo, do pneu, do óleo diesel, tudo o que compõe a planilha. Seria uma forma também de demonstrar transparência para a população”.
José Raimundo falou ainda sobre a liberação para a circulação das vans sem regulamentação na cidade: “Isso vai impactar no preço da passagem depois. Tenho visto as vans levando os passageiros e em seguida os ônibus passando vazios. Vai ser preciso uma regulamentação. A van em si, pode fazer parte, mas desde que ela componha o sistema de transporte, que entre no custo da passagem. Isso pode vir a impactar a médio prazo”, explicou.
Sobre a retirada da gratificação de alguns servidores municipais, medida tomada logo no começo do governo Herzem e que gerou protestos em vários setores da prefeitura, José Raimundo comentou que “todos os atos do prefeito Guilherme foram atos baseados na lei, sobretudo na questão dos monitores de creche. O que eles reivindicavam era uma elevação a categoria de professores. Isso até onde eu sei, ainda não há uma regulamentação. Em função da especialidade, do cuidado, da tarefa dos monitores, o então secretário Valdemir Dias deu uma gratificação compensando esses profissionais. Eles são responsáveis pelo cuidado da criança na pré-escola. Foi uma determinação legal. Prejudicar o conjunto de servidores retirando sem nenhum critério a gratificação, mostra mais uma medida açodada da administração pública. Falta de planejamento, de racionalização e de maturidade das pessoas que estão tomando esta decisão”.
No fim da entrevista, o deputado reforçou que continuará, junto com o deputado federal Waldenor Pereira, trabalhando por Vitória da Conquista e região, para a viabilização de obras e serviços, como o novo aeroporto, a barragem do Catolé e investimentos na saúde.
Com texto e fotos  assessoria de imprensa (Indhira Almeida)