Governo municipal sobe tom e reclama de reações à greve de servidores nas redes sociais

Posted on terça-feira, 23 maio 2017

0


Em nota publicada no site oficial e distribuída à imprensa, a Prefeitura de Vitória da Conquista reclama do que chama de “factoides e discussões informais em redes sociais”, responsáveis, segundo o texto, pela geração “de problemas para a Administração, como uma cortina de fumaça feita para confundir a opinião pública e os milhares de servidores que não aderiram à greve”.

A nota ainda sinaliza que há setores e membros do governo que não estão falando a mesma linguagem e que agentes políticos e dirigentes setoriais podem estar tratando do assunto sem delegação do prefeito. Isso é o que se infere da reiteração dos nomes dos que podem falar do assunto e da reclamação de “geração de problemas para a administração”, já que o público em geral não pode ser cobrado por criticar o que acha errado ou não entende.

“Neste momento, apenas os secretários de Comunicação e Transparência e Controle estão oficialmente designados para falar em nome do Governo Municipal. Não vamos admitir que, diante de uma discussão que exige controle e seriedade, factoides e discussões informais em redes sociais sejam geradoras de problemas para a Administração”, afirma a nota, que encerra agradecendo aos servidores que não aderiram à paralisação e apela aos três sindicatos (professores, agentes de saúde e servidores em geral) “para que evitem cair em tais manobras escusas” sem, no entanto, explicitar as tais manobras.

Sinserv Reunião PMVC

Segundo informação do blog do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Vitória da Conquista (Sinserv), o sindicato reivindica “10% de reajuste para todos os níveis da tabela salarial; 25% sobre o vale alimentação além do aumento gradativo de 0,5% sobre o interstício da tabela salarial que atualmente não passa de 0,5%. Com o aumento gradativo a categoria espera chegar até 2020 no percentual de 2.5%”. (Na foto, com os óculos na cabeça, o presidente do Sinserv, José Marcos Amaral).

 

O texto reforça a posição da administração municipal de que não pode dar aumento aos servidores apresentando como justificativa a Lei de Responsabilidade Fiscal, que não autoriza reajustes quando a despesa com salários ultrapassar o limite prudencial de 51,3% das receitas correntes líquidas por dois períodos consecutivos. Segundo o governo, o limite já foi ultrapassado uma vez, no último quadrimestre da administração anterior.

A proposta apresentada pela prefeitura foi de aumento de 25% no vale-alimentação, a contratação de plano de saúde (para discutir) e a possibilidade de aumento salarial depois do primeiro semestre, se as receitas melhorarem. Segundo a nota, a administração criou uma mesa permanente para acompanhamento de resultados, com as participações das secretarias de Administração, Gabinete Civil, Transparência e Finanças e de da Assessorias Especial.

LEIA A NOTA OFICIAL

Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista tem conduzido a relação com os sindicatos com seriedade, respeito e democracia e esclarece que continua aberta ao entendimento na negociação salarial, dentro dos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Já indicamos caminhos para um acordo rápido, com aumento de 25 % no vale-alimentação e início de estudos para implantação do plano de saúde, com mesa permanente para acompanhamento de resultados e concessão de reajustes futuros.
Esclarecemos que os interlocutores da Prefeitura são, oficialmente, os membros da comissão de campanha salarial, composta pelos secretários de Administração, Gabinete Civil, Transparência, Finanças e Assessoria Especial.

Neste momento, apenas os secretários de Comunicação e Transparência e Controle estão oficialmente designados para falar em nome do Governo Municipal.

Não vamos admitir que, diante de uma discussão que exige controle e seriedade, factóides e discussões informais em redes sociais sejam geradoras de problemas para a Administração, como uma cortina de fumaça feita para confundir a opinião pública e os milhares de servidores que não aderiram à greve.

Contamos e agradecemos o apoio da maioria do funcionalismo, que sensível à realidade e comprometida com o cidadão, permanece em suas atividades normais, sem prejuízos maiores.

Continuamos dialogando e fazemos um apelo aos sindicatos para que evitem cair em tais manobras escusas, trabalhando com positividade, pois vamos encontrar caminhos conjuntos de valorização do servidor, com foco na melhoria dos serviços prestados à população.

VEJA VÍDEO COM ESCLARECIMENTO DA PREFEITURA SOBRE A DIFICULDADE PARA CONCEDER RESJUSTES AOS SERVIDORES: