Anúncios
Eleições

Cenário de pré-candidaturas a deputado no grupo de Herzem impõe um labirinto para o eleitor

Esmeraldino no PSDB  de João Gualberto; o PSDB contra o MDB de Herzem; Herzem com Lúcio; Dudé com Benito; Sheila com Arthur Maia e Lúcia sem definição… E Marcelo Melo, como fica?

O mineiro Carlos Drummond de Andrade, um dos mais importantes poetas da língua portuguesa, legou-nos uma pérola intitulada Quadrilha:

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o  convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

As últimas notícias sobre a movimentação dos pré-candidatos a deputado dão conta de uma confusão que lembra o delicado e comovente poema de Drummond. Senão, diria que cria um labirinto para o interessado em saber paradeiro e destinos da cada candidato. Senão vejamos:

Herzem e Lúcio
Herzem mantém lealdade a Lúcio Vieira Lima

Herzem reafirma seu apoio a Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel (mesmo com as agruras do deputado federal com a polícia federal, STF, etc., por causa das malas e outras suspeitas). Sabia-se que o candidato a deputado federal do grupo governista, pelo menos enquanto estava ele na equipe, era Marcelo Melo (DEM), ex-titular da secretaria da Educação. O outro nome, tão governista quanto, apontado para federal, era o vereador Luis Carlos Dudé, líder do prefeito na Câmara. Havia uma certa lógica na compreensão de que Dudé e Marcelo teriam os apoios dos candidatos a deputado estadual do grupo e do prefeito. Não parece que será assim.

Sheila e Arthur Maia
Sheila Lemos – entre o Provedor da Santa Casa, Abmael Brito e o deputado Arthur Maia – deve dobrar com este.

A empresária e presidente da Câmara de Diretores Lojistas (CDL), Sheila Lemos Andrade, que é filha da vice-prefeita Irma Lemos, vai se candidatar a deputada estadual. Ela saiu do PTB, partido de Dudé, e o caminho pode ser o MDB ou o DEM, mas mesmo que a definição seja pelo mesmo partido de Marcelo Melo, a dobradinha deve ser com o deputado federal Arthur Maia.

Esmeraldino e Gualberto
Esmeraldino, entre o professor Claudionor Dutra e o presidente do PSDB, deputado federal João Gualberto.

E Esmeraldino, cuja dobradinha com Melo foi falada, insistida e comemorada, entra no PSDB e faz dobradinha com o presidente estadual da legenda, João Gualberto, que não quer nem ouvir falar do MDB e dos irmãos Vieira Lima, apoiados pelo prefeito. Na conta de Esmeraldino, pelo que depreende-se das notícias dos blogs, Melo está fora. Dudé, idem.

Outra pré-candidata a deputada estadual que todo mundo quer saber para onde vai e com quem vai é a vereadora Lúcia Rocha. Ela é do DEM, como Marcelo Melo, e deve continuar no partido porque a janela de troca partidária é exclusiva para parlamentares no último ano de mandato, o que não é o caso dos vereadores. Mas, Lúcia e Marcelo não estão juntos e ninguém consegue imaginar uma dobradinha dos dois. A vereadora diz que ainda vai ouvir o prefeito ACM Neto, presidente nacional do DEM e maior liderança estadual da agremiação, para decidir com quem fecha a chapa.

Uma fábrica de dúvidas. O eleitor terá que se esforçar para entender esse embaralhamento. Até lá pode ir tentando adivinhar no poema de Drummond quem é quem.

Dobradinhas com importados

Como o prefeito Herzem Gusmão disse que a definição de quem será o candidato oficial do grupo governamental depende de pesquisa que será realizada antes das convenções, é provável que esse embaralhamento nas hostes governistas possa ser desfeito. Mas, Esmeraldino, Sheila, Dudé e Lúcia só serão candidatos se estiverem “ganhando” dos demais na pesquisa que o prefeito vai mandar fazer? Talvez sim; muito provavelmente, não. Neste caso, a confusão se manterá, enfraquecendo a ideia defendida por setores da sociedade de assegurar a candidatos locais a  maior votação possível. O próprio Herzem vai de Lúcio, demonstrando elogiável lealdade e questionável ausência de bom senso político, considerando que as pesquisas que ele tem em mãos e a manifestação da cidade apontam em direção contrária.

No lado da oposição nada muda entre os pré-candidatos mais conhecidos. O deputado estadual José Raimundo continua dividindo prestígio, escritório, despesas de viagem, patrocínios e emendas e juntando votos com Waldenor Pereira. Fabrício Falcão mantém parceria eleitoral com o deputado federal Daniel Almeida (com Alice Portugal também beneficiada).

No post seguinte, comentarei sobre outras candidaturas.

Anúncios

0 comentário em “Cenário de pré-candidaturas a deputado no grupo de Herzem impõe um labirinto para o eleitor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: