Administração Pública

Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima: Esmeraldino tem razão

Reforma do equipamento se arrasta sem data

No dia 12 de setembro de 2013, em razão de requisição do Ministério Público, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (CREA) realizou uma vistoria no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima e terminou por interditar o teatro e a concha acústica. A última reforma no equipamento tinha sido feita em 1996. O CREA e o Corpo de Bombeiros apontaram mais de trinta problemas estruturais que exigiam solução. Desde então, mais de quatro anos e seis meses, várias datas para entrega da unidade recuperada foram anunciadas pela Secretaria Estadual de Cultura. Nenhuma foi cumprida.

Placa da obra do Centro de Cultura

Placa deixa de informar valor e prazo de conclusão da obra

No dia 7 de novembro do ano passado, a empresa Nordeste Incorporações e Serviços Eireli vencedora da licitação está executando a obra, mas a reclamação é de que o trabalho prossegue com lentidão. A Secretaria Estadual de Cultura previa a conclusão para o primeiro quadrimestre de 2018, ou seja, o prazo termina em 31 de abril, mas não há sinais de que isso possa ocorrer. Até mesmo o deputado federal Waldenor Pereira já foi cobrar da secretária Arany Santana celeridade para a obra. A reunião foi no dia 5, em Salvador. Dos recursos destinados à reforma, mais de R$ 1 milhão, emenda do deputado garantiu R$ 500 mil.

Não dá para saber se a cobrança de Waldenor surtiu efeito, já uma campanha que está sendo feita pelo secretário municipal Esmeraldino Correia, pré-candidato a deputado estadual pelo PSDB, pode ter melhor efeito. Esmeraldino, que é autor de livros de poesia e já foi presidente da Academia Conquistense de Letras, tem se usado a a liberação de R$ 24 milhões para a retomada das obras de um teatro em Itabuna, além das reformas do teatro Castro Alves e da Concha Acústica para acusar o governo do estado de não priorizar a cultura e os artistas de Vitória da Conquista. E nisso Esmeraldino tem razão.

29366072_2026488690938953_4752120157537566720_n

A reforma do Centro de Cultura atravessou quatro gestões na Secretaria de Cultura e está no segundo governo – Jaques Wagner e depois Rui Costa, sem que haja uma esperança de que a administração estadual esteja disposta a investir como se espera no cetro de cultura ou em outro espaço cultural. Vale ressaltar que Itabuna também tem um centro de cultura, arquitetonicamente igual ao de Vitória da Conquista, mesmo assim, ganhará um teatro maior. Segundo Esmeraldino, o descaso do governo estadual tem sido estímulo para que o prefeito Herzem Gusmão agilize o processo para construir o Centro de Cultural do Banco do Nordeste, na área do antigo Clube Social. Nisso Esmeraldino e Herzem estão certos.

Leia texto de postagem feita por Esmeraldino Correia na sua página do Facebook e trechos do artigo que ele escreveu para o site SigaNews sobre o assunto.

“Enquanto Vitória da Conquista está há quase cinco anos com seu Centro de Cultura interditado, o governador da Bahia vai investindo alto em outros lugares, mostrando que os representantes de Conquista não têm nenhuma influência no Palácio de Ondina. Depois de investir R$ 120 milhões no Teatro Castro Alves, agora ele anunciou mais R$ 24 milhões para o Teatro de Itabuna.

Só pra dar água na boca aos conquistenses, o teatro de Itabuna terá capacidade para 581 lugares, antecâmaras, housemix, palco, passarelas técnicas sobre a plateia, varandas de manobra e de cargas sobre o palco, salas de sonorização e de luz cênica, dispondo ainda de foyer, sala multiuso, sala de dança, camarins coletivos e individuais, cafeteria, bilheteria, administração e sala de reunião.” (FACEBOOK)

 

“[…] Lastimavelmente, esses mesmos artistas – que tiveram pela primeira vez seu valor reconhecido pelo governo municipal* – não estão merecendo o mesmo respeito do governador do Estado.

Nada mais justo. Injusto da parte do governador é uma população de quase 400 mil habitantes sem o direito constitucional de acesso à cultura assegurado porque se resolve governar de costas para o interior. Vamos iniciar nossa luta pela construção do Centro Cultural Banco do Nordeste e lutar para que um governo com olhos para toda a Bahia possa nos acolher também como legítimos cidadãos baianos.” (SIGA NEWS https://siga.news/2018/03/19/cultura-nos-temos-nos-falta-um-centro/)

* Esmeraldino, no entanto, erra quando diz que os artistas locais só foram reconhecidos pelo governo do qual ele faz parte. Em todos os anos da administração de Guilherme Menezes, os músicos de Vitória da Conquista fora valorizados e tocaram nos festivais e eventos promovidos pela prefeitura.

Anúncios

1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s