Anúncios
Administração Pública Movimentos Sociais

Prefeitura de Conquista e servidores não chegam a acordo e campanha salarial é marcada por protestos

Há quase dois meses, os sindicatos de servidores da prefeitura de Vitória da Conquista estão em campanha salarial. Representados, principalmente, pelo Sinserv (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Vitória da Conquista e Região Sudoeste da Bahia) e pelo SIMMP (Sindicato do Magistério Municipal Público), os trabalhadores reivindicam aumento real de salário e garantia de vantagens adquiridas, com os devidos reajustes. Diante das dificuldades alegadas pelo governo municipal, vários protestos, incluindo paralisações, têm ocorrido. A prefeitura oferece 2,76%, referente à recomposição inflacionária dos salários. Os servidores não aceitam e as negociações se arrastam.

Ontem (quarta-feira, 11), sindicalistas e servidores realizaram protestos na porta da prefeitura e no terminal da Lauro e Freitas (veja o vídeo abaixo). Com direito a músicas, cartazes e apitos, o movimento incluiu  professores com a intenção de chamar a atenção do governo e da população para a justeza de suas reivindicações. Na tarde desta quinta-feira o SIMMP volta a se reunir com a categoria para definir os movimentos dos próximos dias. A reunião será na Câmara de Vereadores.

Segundo informações obtidas no site do sindicato, as principais reivindicações dos professores são o cumprimento integral da Lei do Piso e reestruturação do plano de carreira dos profissionais da educação, com o acréscimo de mais quatro níveis na carreira.  Além disso, a categoria reivindica o desmembramento do profissional da educação (monitor escolar) do quadro administrativo e o reajuste do auxílio alimentação. A pauta completa pode ser conferida aqui.

SIMMP QUER FUNDEB

A última reunião [divulgada pela prefeitura e pelos sindicatos] de negociação entre a administração e os servidores foi no dia 20 de junho. Foi quando a prefeitura apresentou para os servidores a proposta de reajuste de 2,76%, mesma porcentagem do índice de inflação, e de 5% no vale-alimentação. Segundo os representantes do governo, este índice é o máximo possível, considerando as restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), já que o município teria estourado o limite prudencial de 54% da receita corrente líquida (RCL) em gastos com pessoal, segundo o Relatório de Gestão Fiscal do primeiro quadrimestre, tendo chegado a 56,05%.

Negociação PMVC Sinserv
Reunião entre administração municipal e servidores

Para o secretário municipal de Administração, Jonas Sala, “houve uma evolução muito grande na mesa. Primeiro, porque as questões não financeiras já foram discutidas e a maior parte acertada. Segundo, por acenar com a reposição da inflação, pois é o que nos cabe nesse momento, dentro do cenário que a Prefeitura está vivendo”.

Professores na prefeitura2
Ana Cristina, do SIMMP (primeira à esquerda): “Esperamos que o governo repense sua forma de investimentos e de gastos, de maneira a atender a categoria e proporcionar um reajuste que contemple nossas necessidades”.

O SIMMP argumenta que a proposta apresentada pela administração é muito abaixo do repasse do FUNDEB, que é de 6,81% para 2018 e que já ocorreu desde janeiro. Os professores  querem o repasse integral do FUNDEB, “mais o ganho real, principalmente porque nossa tabela não atende mais às expectativas de formação da categoria, composta por apenas dois níveis”, explicou a presidente do SIMMP, Ana Cristina Silva Novais.

O blog do Sinserv não tem atualização desde 30 de maio deste ano e a aba de notícias nem abre.

 

 

 

 

Anúncios

0 comentário em “Prefeitura de Conquista e servidores não chegam a acordo e campanha salarial é marcada por protestos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: