Anúncios
Eleições Política

Conquista: os candidatos a deputado mais ricos, os “mais pobres” e os que aumentaram mais o patrimônio

Esta é uma reportagem longa, mas, pela sua importância, você pode ler os primeiros parágrafos e depois escolher o que quer consultar. O BLOG procurou prestar um serviço importante ao eleitor com a pesquisa e a organização dos dados. Aproveite. Boa leitura.

As campanhas eleitorais contêm apelos sedutores que nos impedem de avaliar aspectos importantes para a decisão do voto. Nas eleições majoritárias de prefeito e governador, por exemplo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) exige o registro de um plano de governo, contendo as propostas que os candidatos pretendem transformar em realidade se forem eleitos. Quase ninguém presta atenção nisso e os candidatos atendem a determinação do TSE apenas por formalidade. Alguns apresentam tópicos superficiais de ações de pouca importância, outros enchem páginas com propostas e ideias tiradas de outro lugar, mas existem os que listam propostas sérias e factíveis, razão pela qual, e também pelos outros exemplos, deveria ser uma obrigação do eleitor conhecer os planos de governo, avalia-los e comparar com os demais para ter certeza de estar fazendo a melhor escolha.

Outra exigência da lei eleitoral para os candidatos com a qual os eleitores parecem não se importar muito é a declaração de bens. A partir dela se pode conhecer melhor o candidato. Se ele só faz política, só exerce mandato ou função pública, como explicar, em alguns casos, gigantescos crescimentos patrimoniais? Se o candidato é muito rico, o eleitor pode aproveitar para avaliar qual o posicionamento dele em relação a temas sociais ou verificar de que modo ele usa a fortuna na política, se abusa do poder econômico ou se essa riqueza foi amealhada nos cargos que ocupou. Também é interessante ver muitos políticos exercendo mandatos por longos períodos, mas seu patrimônio cresce pouco, de forma razoável, já que eles também são remunerados e podem investir para crescimento de sua renda e aumento de bens móveis e imóveis. O importante é conhecer, avaliar, sem cometer injustiça ou injúria contra os políticos só porque ele ganha bem ou teve um aumento na sua lista de bens de um mandato para outro.

O BLOG apresenta nesta matéria a relação de candidatos a deputados estadual e federal que disputam votos mais diretamente em Vitória da Conquista. Divididos pelo cargo e em ordem alfabética, são apresentados primeiro os candidatos com domicílio eleitoral no município, os candidatos locais, em seguida, também em ordem alfabética, os candidatos de fora, que mantêm dobradinhas e/ou têm apoios de destaque em Vitória da Conquista. Não há comentários ou julgamentos sobre como os políticos relacionados conseguiram obter o patrimônio apresentado ou como a lista de bens e os valores cresceu, quando for o caso, de uma eleição para outra, entretanto, o BLOG destaca alguns pontos que considera curiosos ou que podem ajudar o leitor a entender melhor alguns casos.

Dos candidatos que já têm mandato os que tiveram maior crescimento percentual no patrimônio foram:


DEPUTADO FEDERAL

1. Adolfo Viana (PSDB, faz dobradinha com Lúcia Rocha): 121,50% de aumento, saindo de R$ 363.183,86 em 2014, para R$ 804.468,74.
2. Daniel Almeida (PCdoB, faz dobradinha com Fabrício Falcão): 34,80%, saindo de R$ 696.554,04 para R$ 939.020,00.
3. Jorge Solla (PT, faz dobradinha com Marcelino Galo, com apoio do ex-prefeito Guilherme Menezes): 32.92%, saindo de R$ 486.525,84 para R$ 646.715,27;
4. Waldenor Pereira (PT): 31,72%, saindo de R$ 771.778,83 para R$ 1.016.622,50.

Lúcio Vieira Lima
Lúcio teve o quinto maior crescimento patrimonial e é o segundo mais rico

5. Lúcio Vieira Lima (MDB, faz dobradinha com Gilmar Ferraz em Vitória da Conquista): 19,91%, saindo de R$ 7.720.882,46 para R$ 9.258.396,85.
6. Paulo Magalhães (PSD, faz dobradinha com Clóvis Ferraz, com apoio de Hermínio Oliveira): 18,77% saindo de R$ 14.046.149,19 para R$ 16.683.655,72.
7. David Salomão (PRTB): 19,79%, saindo de R$ 413.198,48 em 2016 para R$ 495.000,00 em 2018.
8. Alice Portugal (PCdoB, também faz dobradinha com Fabrício): 5,81%, saindo de R$ 1.148.071,03 para R$ 1.207.562,08.

O candidato Roberto Dias, do PDT, também teve oscilação positiva do patrimônio, 59% de 2016 a 2018, saindo de R$ 17.600,00 para R$ 28.000,00, mas não exerceu cargo público neste tempo.

DEPUTADO ESTADUAL

1. Esmeraldino Correa (PSDB): 204,26%, saindo de R$ R$ 113.000,00 para R$ 343.817,14, porém em dez anos, já que ele só foi candidato em 2008.

Galo e Guilherme
Galo, de barba, é o quarto mais rico e teve a segunda maior evolução patrimonial. (Na foto, com Guilherme Menezes)

2. Marcelino Galo (PT, faz dobradinha com Jorge Solla, com apoio do ex-prefeito Guilherme Menezes): 63,52%, saindo de R$ 915.301,50 R$ para 1.495.193,71
3. Alexandre Aleluia (DEM, faz dobradinha com Marcelo Melo): 25,81%, saindo de R$ 869.230,40 para R$ 1.093.655,86 em dois anos, já que ele foi candidato a vereador em Salvador em 2016.
4. Fabrício Falcão (PCdoB): 19,82%, saindo de R$ 580.000,00 para R$ 695.000,00.
5. Clóvis Ferraz (PSD, faz dobradinha com Paulo Magalhães, em Vitória da Conquista, com apoio do presidente da Câmara, Hermínio Oliveira): 26,36%, saindo de R$ 4.488.167,00 para R$ 5.671.386,65.

Os candidatos Euvaldo Cotinguiba (PSOL) e Valdir Barbosa (PPS) também tiveram variação patrimonial positiva desde 2016, quando foram candidatos a vereador, mas não exerceram mandatos. Euvaldo variou 91,48%, saindo de R$ 164.500,00 para R$ 315.000,00; e Valdir 7,7%, saindo de R$ 770.000,00 para R$ 825.270,00 em dois anos.

Tiveram variação negativa no patrimônio, que diminuiu em valores e/ou bens entre a última eleição disputada e a atual, os seguintes candidatos:


DEPUTADO FEDERAL

1. Marcelo Melo (PHS): 66,66%, saindo de R$ 360,000,00 para R$ 120.000,00, de 2016, quando foi candidato a vice-prefeito, a 2018.
2. Leur Lomanto (DEM, faz dobradinha com Esmeraldino Correa, em Vitória da Conquista): 31,36%, passando de R$ 497.825,73 para R$ 341.660,21, entre 2014 e 2018.
3. Josias Gomes (PT, em dobradinha com Fabrício Falcão e apoio de parte do PT não guilhermista): 0,67%, tendo caído de R$ 403.125,99 para R$ 400.412,38.

O candidato Mozart Tanajura Júnior também teve queda patrimonial entre 2016, quando ele foi candidato a vice-prefeito de Planalto, para hoje: 0,45%, saindo de R$ 254.787,53 para R$ 253.625,00.

DEPUTADO ESTADUAL

1. Hidélcio Meireles (PSC, tem o apoio do ex-vereador José William e do advogado Rafael Nunes) – 33,29%, saindo de R$ 963.925,71 para R$ 642.965,03, desde 2014.
2. José Raimundo (PT): 31,26%, passando de R$ 1.910.653,90 para R$ 1.313.246,30 em dois anos, desde a candidatura de prefeito em 2016.
3. Gilmar Ferraz (MDB): 3,48%, caindo de R$ 429.951,96 para R$ 414.977,15 em dois anos, desde a candidatura a vereador em 2016.
4. Lúcia Rocha (DEM): 3,18%, saindo de R$ 438.751,71 para R$ 424.783,88 em dois anos, desde a candidatura a vereador em 2016.

OS MAIS RICOS:

Acima de R$ 1 milhão

Paulo Magalhães
Magalhães é o mais rico dos candidatos a deputado em campanha em Conquista

1. Paulo Magalhães: R$ 16.683.655,72 em bens e valores.
2. Lúcio Vieira Lima: R$ 9.258.396,85.
3. Clóvis Ferraz: R$ 5.671.386,65.
4. Marcelino Galo: R$ 1.495.193,71
5. José Raimundo: R$ 1.313.246,30
6. Alice Portugal: R$ 1.207.562,08
7. Alexandre Aleluia: R$ 1.093.655,86
8. Waldenor Pereira: R$ 1.016.622,50

Acima de R$ 500 mil

Daniel Almeida
Daniel Almeida teve crescimento patrimonial de 34,80% em quatro anos

1. Daniel Almeida: R$ 939.020,00
2. Valdir Barbosa: R$ 825.270,00
3. Adolfo Viana: R$ 804.468,74
4. Fabrício Falcão: R$ 695.000,00
5. Joao Aragão: R$ 662.285,34
6. Jorge Solla: R$ 646.715,27
7. Hildécio Meireles: R$ 642.965,03
8. Sheila Lemos: R$ 557.569,35

OS MAIS OU MENOS

Acima de R$ 200 mil:
1. Kleber Avelino Doutor Saúde: R$ 465.000,00
2. Lúcia Rocha: R$ 424.783,88
3. Gilmar Ferraz: R$ 414.977,15
4. Josias Gomes: R$ 403.125,99.
5. Esmeraldino Correa: R$ 343.817,14
6. Leur Lomanto Jr: R$ 341.660,21
7. Euvaldo Contiguiba: R$ 315.000,00
8. Taíssa Gama (PTB, faz dobradinha com Sheila Lemos, em Vitória da Conquista): R$ 295.651,84
9. Iporan Benjamin: R$ 280.000,00
10. Mozart Tanajura Júnior: R$ 253.625,00

Marcelo Melo
Marcelo teve declarou uma queda de 66,66% no patrimônio desde 2016

OS MAIS POBRES

Abaixo de R$ 200 mil:
1. Ciano Filho: R$ 6.000,00
2. Roberto Dias: R$ 28.000,00
3. Marcelo Melo: R$ 120.000,00
4. Herling Conceição: R$ 185.000,00

Pelo menos três curiosidades:

1. Como os candidatos deixam de atualizar os valores de alguns bens, principalmente imóveis (casas e apartamentos); 2. Detalhes que levam a crer que a declaração de bens também tem uma parte do trabalho feita com o famoso copia e cola, só assim para explicar, por exemplo, que a deputada Alice Portugal lance um carro Fiat Uno Way, ano 2011, por R$ 60.171,36, o mesmo valor de quatro anos atrás; 3. Que alguns candidatos façam declaração de bens sem listar valores em dinheiro, seja em banco ou em mãos, como é o caso de Josias Gomes, que declarou ter apenas R$ 412,38 em caderneta de poupança ou Marcelo Melo, que deixou em branco este item. E o salário? Não têm rendimento? Também chama a atenção que o candidato mais rico da lista, Paulo Magalhães, declare ter apenas R$ 11.652,81 em contas e aplicações bancárias, sendo dono de mais de R$ 16 milhões  patrimônio.

Veja a seguir a relação dos candidatos a deputado (que fazem campanha por votos em Vitória da Conquista) e os detalhes dos bens que declararam ao TSE.


DEPUTADO FEDERAL

Ciano Filho (PROS) – Declarou um carro de R$ 6.000,00.
Em 2016, candidato a vereador, Ciano não declarou bens.

David Salomão (PRTB) – R$ 495.000,00, sendo R$ 200.000,00 em cotas ou quinhões de capital sem especificação; R$ 180.000,00 em bens imóveis sem especificação; R$ 80.000,00 de um veículo automotor; e R$ 35.000,00 em caderneta de poupança.
Em 2016, Salomão declarou possuir R$ 413.198,48 em bens, sendo R$ 200.000,00 em cotas ou quinhões de capital sem especificação; R$ 180.000,00 em bens imóveis sem especificação; e R$ 33.198,48 em caderneta de poupança.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: CRESCIMENTO – 19,79%

Iporan Benjamin (PDT) – R$ 280.000,00 em participações societárias.
De 2016, quando foi candidato a vereador, não consta lista de bens no site do TSE.

Kleber Avelino Doutor Saúde (PTC) – R$ 465.000,00, incluindo duas casas (R$ 200.000,00 e R$ 50.000,00); um veículo automotor (R$ 65.000,00); um terreno (R$ 70.000,00) e outros bens imóveis não especificados (R$ 80.000,00).
Kleber Avelino não concorreu em eleições anteriores.

Marcelo Melo (PHS) – declarou, sem especificar os bens, sob a rubrica outros bens de direito, outros fundos R$ 120.000,00.
Em 2014 ele declarou R$ 360,000,00, sendo R$ 120.000,00 de empréstimo feito pelo sogro e mais 10% de uma fazenda, equivalente a R$ 240.000,00
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: QUEDA – 66,66%

Roberto Dias (PDT) – R$ 28.000,00, incluindo dois veículos automotores (R$ 8.000,00 e R$ 20.000,00).
Em 2014 ele declarou R$ 17.600,00, incluindo um veículo (R$ 15.000,00) e dinheiro em espécie (R$ 2.600,00)
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: CRESCIMENTO – 59%

Sheila Lemos (DEM) – R$ 557.569,35, incluindo dois lotes de terrenos em Vitória da Conquista, um na Vila Elisa (R$ 4.050,00) e outro no Morada dos Pássaros (R$ 32.454,00); cotas na empresa Tabatinga Agropecuária Ltda (R$ 100.180,00); cotas em cooperativa de crédito (R$ 1.425,19); capital social na AKM Tecidos e Confecções (R$ 100.000,00); um veículos automotor; contas bancárias, investimentos e dinheiro em espécie no valor de R$ 107.662,05, além de cota por linha telefônica (R$ 1.804,71).
Sheila não foi candidata em outras eleições.

Waldenor Pereira (PT) – R$ 1.016.622,50, incluindo um apartamento em Salvador (R$282.522,95), uma casa em Vitória da Conquista (R$358.591,90) e outra em Mucugê (R$220.000,00), uma chácara (R$5.551,77), uma sala comercial (R$8.000,00), dois carros e contas e investimentos bancários no valor de R$ 39.965,88.
Em 2014, ele declarou R$ 771.778,83, incluindo um apartamento em Salvador (R$175.442,55) e uma casa em Vitória da Conquista (R$358.591,90), uma chácara (R$5.551,77), uma sala comercial (R$8.000,00), três carros e contas e investimentos bancários no valor de R$ 71.365,62
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 31,72%

Adolfo Viana – R$ 804.468,74, incluindo R$ 40.000,00 em ações de empresas; R$ 261.573,53 em previdência privada; R$ 16.100,00 em cabeças de gado; R$ 399.291,21 em contas e investimentos bancários e empréstimos a terceiro; além de R$ 87.504,00 de dinheiro em espécie.
Em 2014 Adolfo Viana declarou R$ 363.183,86, incluindo previdência privada (R$ 152.086,31), uma Pajero Dakar (R$ 92.490,84); participação em empresa (R$ 30.000,00); além de R$ 88.606,71 em bancos ou em espécie.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 121,50%

Alice Portugal – R$ 1.207.562,08, incluindo uma casa em Salvador (R$ 1.000.000,00); um Fiat Uno 2011 (R$ 60.171,36), um Fiat Toro 2016 (R$ 70.807,28), um Hyundai H20 (R$ 42.535,00) e um Renault Sandero 2013 (R$ 14.000,00); contas e investimentos bancários no valor de R$ 20.048,44.
Em 2014, Alice declarou possuir R$ 1.148.071,03 em bens, sendo: R$ 1.000.000,00 de uma casa financiada no bairro Federação, Salvador; R$ 60.171,36 de um Fiat Uno 2011; R$ 42.535,00 de um Hyunday HB20; R$ 34.000,00 de um Corsa Hatch; e R$ 11.364,67 em contas e aplicações bancárias.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 5,81%

Daniel Almeida  – R$ 939.020,00, incluindo um apartamento no Itaigara, (R$ 170.000,00) e uma casa no Alphaville (R$ 600.000,00), ambos em Salvador; um carro (R$ 48.000,00); contas e investimentos bancários no valor de 71.020,00, além de R$ 50,000,00 de dinheiro em espécie.
Em 2014, o candidato declarou R$ 696.554,04, incluindo o apartamento no Itaigara (R$ 170.000,00) e terreno no Alphaville (R$ 500.000,00), um carro (R$ 25.000.00) e R$ 1.554,00 em conta bancária.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 34,80%

Jorge Solla (PT) – R$ 646.715,27, incluindo dois apartamentos em Salvador (R$ 430.837,56 e R$ 110.000,00), um Ford KA 2015 (30.000,00) e contas e investimentos bancários, no valor de R$ 75.877,71.
Em 2014, Solla declarou ter R$ 486.525,84, referentes a um apartamento no Canela, em Salvador (R$ 197.124,08); um apartamento no Solar Elísio Nunes, também no Canela (R$ 110.000,00); um apartamento no Caminho das Árvores, Salvador (R$ 60.000,00); ações da Petrobras (R$ 36.040,56); e contas e aplicações bancárias (R$ 83.361,20)
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 32,92%

Josias Gomes – R$ 400.412,38, sendo: R$ 400.000,00 de uma casa na Pituba, Salvador, e R$ 412,38 em caderneta de poupança.
Em 2014, o candidato declarou R$ 403.125,99, da mesma casa e um título de capitalização de R$ 3.125,99.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: QUEDA – 0,67%

Leur Lomanto Jr – R$ 341.660,21, incluindo R$ 270.299,34 em cotas e ações; previdência privada (R$ 60.874,95) contas e investimentos bancários no valor de (R$ 10.485,92).
Em 2014, Leur declarou R$ 497.825,73, incluindo, entre outros, um carro (R$ 138.500,00).
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: QUEDA – 31,36%

Lúcio Vieira Lima – R$ 9.258.396,85, incluindo dois apartamentos em Salvador (R$ 203.351,52 e R$ 33.333,33), fazendas/terra nua (R$ 655.005,48); quotas ou quinhões de capital em empresas (R$ 76.710,10), ações, inclusive as provenientes de linha telefônica, (R$ 1.345.874,73), contas e investimentos bancários no valor de R$ 6.392.485,09, dois veículos automotores (R$ 197.000,00 os dois), além de outros bens e direitos sem especificação (R$ 364.242,59).
Em 2014, o candidato declarou R$ 7.720.882,46 em bens diversos.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 19,91%

Mozart Tanajura Júnior (PSOL) – R$ 253.625,00, sendo R$ 190.000,00 de um apartamento em Vitória da Conquista; R$ 36.800,00 de um Fiat Uno 2014; R$ 20.000,00 de um terreno em Planalto; R$ 20.000,00 em poupança.
Em 2016, quando foi candidato a vice-prefeito em Planalto, Mozart declarou R$ 254.787,53 em bens, sendo: R$ 190.000,00, do apartamento em Conquista; R$ 36.800,00 do Fiat Uno; R$ 20.000,00 do terreno em Planalto; R$ 7.082,52 em contas e aplicações bancárias; e R$ 904,91 em previdência privada.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: QUEDA – 0,45%

Paulo Magalhães – R$ 16.683.655,72, sendo R$ 11.199.443,00 referentes a 11 fazendas rurais; R$ 1.578.268,73 de um apartamento, na Vitória, Salvador; R$ 1.427.851,00 de um apartamento no Horto Florestal, Salvador; R$ 1.500.000,00 de um terreno em Porto Seguro; R$ 400.000,00 de uma casa no Candeal, Salvador; R$ 135.000,00 de um Audi, ano 2011; R$ 96.950,40 de um carro IX35, ano 2015; R$ 75.645,00 de um Honda CRV ano 2015; R$ 150.000,00, de um avião Baro 48; R$ 40.000,00 de um avião Beech Craft, ano 1978; R$ 20.000,00 de quotas de capital em empresa; R$ 48.844,78 de um consórcio no Bradesco; e R$ 11.652,81 em contas, aplicações e créditos bancários.
Em 2014, Paulo Magalhães declarou possuir R$ 14.046.149,19 em 11 fazendas rurais; R$ 1.500.000,00 de um terreno em Porto Seguro; R$ 1.578.268,73 por um apartamento na Vitória; R$ 233.065,05 de um apartamento no Horto Florestal; R$ 400.000,00 de uma casa residencial no Candeal; R$ 91.000,00 de um Honda CRV 2208; R$ 80.000,00 por um veículo Honda Civic; R$ 39.800,00 de um Audi 2003; R$ 40.000,00 de um avião Beech Craft, ano 1978; R$ 484.570,00 em gado bovino; R$ 30.891,30 em ações; e R$ 7.111,11 em contas e aplicações bancárias.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 18,77%

DEPUTADO ESTADUAL

Clóvis Ferraz – R$ 5.671.386,65, sendo: R$ 1.300.000,00 em cotas da empresa Vale do Rio Grande; R$ 759.141,00 em gado; R$ 1.961.500,00 de fazenda Wanderley; R$ 500.000,00 de fazenda em Cotegipe; R$ 230.000,00 de fazenda em Tremedal; R$ 335.000,00 de um apartamento na Pituba, em Salvador; R$ 164.522,00, em outro apartamento na Pituba; R$ 89.000,00, de um veículo Ranger, ano 2011; R$ 75.000,00, de um veículo L200, ano 2005; R$ 49.000,00 de veículo Cross Fox, ano 2006; R$ 62.600,00, de um terreno em Patamares, Salvador; R$ 145.623,65 de contas e aplicações bancárias.
Em 2014, Ferraz declarou possuir R$ 4.488.167,00 em bens, sendo: R$ 1.590.000,00 em gado; R$ 1.090.000,00 em cotas da empresa Barras; R$ 730.000,00 em duas fazendas; R$ 335.000,00 de um apartamento na Pituba; R$ 178.500,00 de um apartamento em construção em Salvador; R$ 124.500,00 de outro apartamento em construção de Salvador; R$ 113.789,00 e 62.600,00 de dois terrenos em Salvador; R$ 89.000,00 de veículo Cross Fox, ano 2006; R$ 75.000,00 de um veículo L200, ano 2005; 49.000,00 de um veículo Ranger, ano 2011; R$ 50.778,00 em consórcios.
OSCILAÇÃO 2014- 2018: CRESCIMENTO – 26,36%

Esmeraldino Correa (PSDB) – R$ 343.817,14, sendo: um apartamento em construção, em regime de condomínio em Vitória da Conquista (R$ 117.000,00); uma chácara em Vitória da Conquista (R$ 70.375,00); um terreno no Jardim Guanabara (R$ 110.000,00); um Corola, 2012 (R$ 45.000,00); e contas correntes e aplicações bancárias (R$ 1.442,14)
Em 2008, única eleição disputada anteriormente pelo candidato, ele declarou bens que somavam R$ 113.000,00, incluindo um carro (R$ 40.000,00); três lotes de terreno no Jardim Guanabara (R$ 45.000,00); sociedade em duas fazendas em Barra do Choça, Santa Rita (R$ 8.000,00) e Santa Maria (R$ 20.000,00).
OSCILAÇÃO 2008 – 2018: CRESCIMENTO – 204,26%

Euvaldo Cotinguiba (PSOL) – R$ 315.000,00, sendo uma casa no bairro Boa Vista, em Vitória da Conquista (R$ 300.000,00) e um Fusca 1994 (R$ 15.000,00).
Em 2016, quando candidatou-se a prefeito Euvaldo declarou ter R$ 164.500,00 em bens, sendo R$ 150.000,00 da casa que estava em construção; R$ 8.000,00 do Fusca; e R$ 6.500,00 em conta salário e caderneta de poupança.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: CRESCIMENTO – 91,48%

Fabrício Falcão (PCdoB) – R$ 695.000,00, sendo: 50% de dois apartamento financiados em Vitória da Conquista (R$ 220.000,00 e R$ 100.000,00), 50% de um apartamento financiado na Avenida Paralela, em Salvador (R$ 150.000,00); 50% de uma casa do Loteamento Alto da Boa Vista, em Conquista (R$ 50.000,00); um carro (R$ 90.000,00) e investimento em fundo de previdência (R$ 85.000,00). O deputado não declarou valores da previdência da Assembleia Legislativa.
Em 2016, Fabrício declarou R$ 580.000,00, constando um apartamento e uma casa em Conquista (R$ 250.000,00 e 150.000,00) e um apartamento no Alphaville (R$ 180.000,00).
Assim como no caso de José Raimundo, para 2014, o site do TSE apresenta a mesma lista de bens atual.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: CRESCIMENTO – 19,82%

Gilmar Ferraz (PMDB) – R$ 414.977,15, incluindo um veículo automotor (R$ 80.000,00); duas participações societárias sem especificar (R$ 24.488,42, as duas); quatro bens móveis sem especificar (R$ 100.000,00, 33.000,00, R$ 25.000,00 e R$ 20.000,00); e sala ou conjunto de salas, sem localização (R$ 132.488,73).
Em 2016, Gilmar declarou R$ 429.951,96, sendo: R$ 132.462,73 de sala no Multiplace Conquista Sul; R$ 100.000,00 de uma fazenda, terra nua, na Lagoa de Martilino, zona rural de Conquista; R$ 85.000,00 de uma caminhoneta GM; R$ 33.000,00 em terra nua na Fazenda Areiada; R$ 25.000,00 na Fazenda Areiada 2; R$ 20.000,00 da Fazenda Caçula; R$ 11.000,00 de participação societária na Caçula Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios; R$ 13.488,42 de cotas em cooperativa de crédito em Vitória da Conquista; além de R$ 10.000,00 de dinheiro em mãos e R$ 0,81 em caderneta de poupança da Caixa.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: QUEDA – 3,48%

Herling Conceição (PRTB) – R$ 185.000,00, sendo um terreno (R$ 150.000,00) e um veículo automotor (R$ 35.000,00).
Em 2016, quando foi candidato a vereador, Herling declarou não possuir bens.

O candidato João Aragão (PTC) teve a sua candidatura indeferida e entrou com recurso, assim, a lista dos bens declarados não está disponível no site do TSE. (Indeferido com recurso – Candidato julgado não regular por não atender as condições necessárias para o deferimento do registro, que interpôs recurso contra essa decisão e aguarda julgamento por instância superior)
Em 2016, Aragão declarou R$ 662.285,34, sendo: R$ 200.000,00 por 155 cabeças de gado; R$ 200.000,00, Fazenda Boa Esperança, em Itarantim; R$ 115.000,00 de um veículo Triton L200 e R$ 30.863,00 de um Peugeot 207 ano 2011; R$ 61.022,34 de um trator agrícola; R$ 20.000,00 e R$ 10.000,00 referentes a 20% de dois terrenos em Conquista; R$ 14.400,00 de 20% da Fazenda Pau Sangue, em Maiquinique; R$ 8.000,00 de 20% da Fazenda Barrocas, em Vitória da Conquista; e R$ 3.000,00 de 20% da Fazenda Boa Esperança, em Ribeirão do Largo.

José Raimundo (PT) – R$ 1.313.246,30, incluindo uma casa de Vitória da Conquista (R$ 350.000,00), um apartamento na Pituba, em Salvador (R$ 272.657,46), uma chácara em Barra do Choça (R$ 45.000,00), dois terrenos em Conquista (R$ 60.000,00, cada), um Fiesta Sedan (R$ 38.000,00) e um Jeep Tracker 2008 (R$ 38.000,00), Previdência privada (Assembleia R$ 87.585,06 e PGBL Bradesco R$ 71.911,17), poupança e contas bancárias (R$ 290.092,61).
Em 2016, o candidato declarou R$ 1.910.653,90, sendo R$ 439.564,08 de saldo de contribuições à previdência da Assembleia Legislativa; uma Hilux, R$ 183.500,00; R$ 227382,27 em previdência junto a instituições bancárias; carta de crédito de consórcio R$ 2.458,78; apartamento em Salvador (R$ 272.657,46) e casa em Conquista (R$ 350.000,00); os mesmos terrenos (R$ 120.000,00) e mesma chácara (R$ 45.000,00), R$ 285.206,17 em poupança, aplicações e contas bancárias, além de uma biblioteca com 5.800 volumes, considerada de valor inestimável, mas lançada pelo valor simbólico de R$ 1,00.
De 2014, segundo o TSE, a declaração de bens de José Raimundo Fontes somava exatamente o mesmo valor da atual R$ 1.313.246,30, com a mesma lista de bens, o que leva a crer que houve erro de informação do candidato.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: QUEDA – 31,26%

Lúcia Rocha (DEM) – R$ 424.783,88, incluindo um apartamento em Brasília (R$ 300.000,00); um imóvel de 294m² na Avenida Crescêncio Silveira, em Vitória da Conquista (R$ 32.260,71); um automóvel Voyage 2011 (R$ 37.490,00); poupança bancária (R$ 25.033,17) e crédito de empréstimo a terceiros (R$ 30.000,00).
Em 2016 Lúcia declarou R$ 438.751,71, listando, além dos mesmos imóveis e carro com respectivos e valores, um terreno no Jardim Candeias (R$ 18.000,00), uma casa na Avenida Guanambi, Vitória da Conquista (R$ 50.000,00) e contas correntes (R$ 1.001,00)
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: QUEDA – 3,18%

Valdir Barbosa (PPS) – R$ 825.270,00, sendo um apartamento no Edifício Metropolitan Residence, em Vitória da Conquista (R$ 350.000,00); dois terrenos no Loteamento Boa Sorte, em Vitória da Conquista (R$ 350.000,00, os dois); um veículo Mitsubishi ASX 2016 (R$ 95.270,00); e conta bancária (R$ 30.000,00).
Em 2016, candidato a vereador, Valdir Barbosa declarou R$ 770.000,00, em bens, sendo um apartamento no Metropolitan Residence (R$ 300.000,00); os terrenos no loteamento Boa Sorte (R$ 300.000,00, os dois); o veículo Mitsubishi (R$ 120.000,00) e conta bancária (R$ 50.000,00).
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: CRESCIMENTO – 7,17%

Alexandre Aleluia – R$ 1.093.655,86, sendo R$ 353.000,00 de um apartamento no Caminho das Árvores; R$ 148.000,00 de 50% de um avião; R$ 100.000,00 em cotas da empresa Eco GB2; R$ 208.602,00 de alienação de cotas de empresas diversas; R$ 4.893,75 em previdência privada; R$ 90.400,00 referente a empréstimo a terceiro; R$ 78.439,57 em contas e aplicações bancárias, além de R$ 320,54 de juros sobre capitalização.
Em 2016, candidato a vereador em Salvador, Aleluia declarou possuir R$ 869.230,40 em bens, incluindo R$ 353.000,00 do apartamento no Caminho das Árvores; R$ 101.802,00 em cotas da Eco GB2; R$ 91.300,00 de empréstimo a terceiro; R$ 220.800,00 em cotas de cinco empresas; R$ 4.390,54 em ações e rendimentos sobre ações da Eucatex; R$ 58878,64 em previdência privada; R$ 39.059,22 em contas e aplicações bancárias.
OSCILAÇÃO 2016 – 2018: CRESCIMENTO – 25,81%

Marcelino Galo – R$ 1.495.193,71, incluindo R$ 656.000,00 de um apartamento em Pituaçu, Salvador; R$ 649.193,71 em conta corrente; R$ 110.000,00 de uma casa em Stella Maris, Salvador; R$ 60.000,00 de um veículo Amarok e R$ 20.000,00 de um Voyage 2012.
Em 2014, Galo declarou R$ 915.301,50, sendo R$ 726.616,20 em contas e aplicações bancárias; R$ 130.000,00 da casa em Stella Maris; R$ 30.685,30 em ações; e R$ 28.000,00 de um Voyage 2012.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: CRESCIMENTO – 63,35%

Hildécio Meireles (PSC, tem o apoio do ex-vereador José William e do advogado Rafael Nunes) – R$ 642.965,03, sendo: R$ 500.000,00 de um apartamento em Valença; R$ 81.500,00 de um apartamento em Cairú; R$ 50.000,00 em dois terrenos em Valença; e R$ 11.465,03 em contas correntes e poupança.
Em 2014, o candidato informou que tinha R$ 963.925,71 em bens, incluindo três terrenos em Valença (R$ 250.000,00); uma casa em Cairu (R$ 81.500,00); R$ 125.000,00 de empréstimos a terceiros; R$ 495.785,71 em contas correntes e aplicações bancárias; e R$ 11.640,00 em previdência privada.
OSCILAÇÃO 2014 – 2018: QUEDA – 33,29%

Taíssa Gama – R$ 295.651,84, sendo R$ 211.001,84 da aquisição parcial de um apartamento no bairro de Piatã, Salvador; R$ 29.650,00 em joias e objetos de arte; e R$ 55.000,00 em dinheiro em espécie.
Em 2016, candidata a vereadora em Salvador, Taíssa, declarou os mesmos valores.

—-
FONTE: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2018/divulgacandcontas#/

Anúncios

0 comentário em “Conquista: os candidatos a deputado mais ricos, os “mais pobres” e os que aumentaram mais o patrimônio

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: