Anúncios
Eleições Política

TRE esclarece que não houve prisões em Conquista, lamenta constrangimento de envolvidos e condena fake news.

Ele não no quadro
No quadro da escola estava escrito #EleNão. (Reprodução de imagem da TV)

Repercutiu muito o episódio ocorrido em Vitória da Conquista no dia da eleição, quando a TV Sudoeste filmou (segundo consta, sem informar ao pessoal que travalhava na seção sobre o motivo da matéria) e divulgou imagens do quadro de uma das salas da Escola Modelo Luís Eduardo Magalhães, onde estava escrito, em meio a outras anotações de uma possível aula ocorrida no dia anterior, uma mensagem negativa em referência a um dos candidatos.  As informações são de que a equipe de TV apresentou as imagens às autoridades e as mesmas, em cumprimento da lei, estiveram no local para conferir a denúncia e fazer a substituição dos mesários.

Durante o tempo em que se desenvolveu a ação da Justiça Eleitoral, Ministério Público e polícias federal e militar, os servidores foram expostos a constrangimentos, xingados e agredidos moralmente, o que se estendeu depois que pessoas presentes ao local filmaram as cenas e espalharam em redes sociais, com reprodução por blogs da cidade, dando conta da prisão dos mesários, o que, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), não ocorreu. No início da noite o tribunal divulgou nota oficial de esclarecimento e lamentou o constrangimento imposto aos servidores. “Imagens realizadas por uma eleitora e replicadas por blogs da cidade submeteram os envolvidos a constrangimento, atingindo especialmente a servidora do TRE baiano Juliana da Silva Pereira Cal”.

O TRE reiterou a necessidade de combater as fake news e alertou “quanto à importância de prudência por parte dos cidadãos e da imprensa ao compartilhar determinados conteúdos”.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) esclarece que não houve prisões efetuadas pela Polícia Federal durante o primeiro turno das Eleições 2018, realizado no domingo (7/10), em Vitória da Conquista.

No Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães aconteceu uma situação que se tornou pública quando uma emissora de TV divulgou imagens da seção 176, tornando-se possível a identificação de mensagem desfavorável a determinado candidato escrita na lousa da sala de aula onde funcionou a seção.

Na ocasião, a medida adotada pela juíza da 41ª Zona Eleitoral, após pedido do Promotor Eleitoral, foi a exclusão imediata da mensagem e a substituição de todos os mesários da seção.

Imagens realizadas por uma eleitora e replicadas por blogs da cidade submeteram os envolvidos a constrangimento, atingindo especialmente a servidora do TRE baiano Juliana da Silva Pereira Cal, chefe da 41ªZona Eleitoral. Na filmagem, a servidora e os mesários que foram substituídos são insultados por eleitores da escola e é possível ouvir gritos de “prende mesmo”.

A situação gerou preocupação aos familiares de Juliana, que chegaram a acreditar que ela havia sido presa pela Polícia Federal.

O TRE-BA reitera a necessidade do combate às Fake News e alerta quanto à importância de prudência por parte dos cidadãos e da imprensa ao compartilhar determinados conteúdos, uma vez que os mesmos podem causar prejuízos irreparáveis ao cidadão.”

 

Anúncios

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 56 anos de idade, 40 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

0 comentário em “TRE esclarece que não houve prisões em Conquista, lamenta constrangimento de envolvidos e condena fake news.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: