Com saída de Cuba do ‘Mais Médicos’ Conquista perde oito médicos que atuam no PSF, principalmente na zona rural

Segundo o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas disse nesta quarta-feira, reunião da Comissão Intergestores Biparte (CIB), que aconteceu na sede da União dos Municípios da Bahia (UPB), em Salvador, que o fim da cooperação com a Organização Pan Americana da Saúde (Opas) e o governo cubano – que determinou que os médicos cubanos retornem – terá grave impacto em todo o Brasil, sobretudo no Norte e no Nordeste e na periferia das grandes cidades do sudeste.

Vilas-Boas disse “de uma só vez, sairão mais de 8.500 médicos cubanos dos locais onde estão trabalhando atualmente. Esses médicos estão em 2.885 municípios do país, sendo a maioria nas áreas mais vulneráveis, tais como Norte, semiárido nordestino, cidades com baixo IDH, saúde indígena e periferias de grandes centros urbanos”, afirmou o secretário. Além disso, 1.575 municípios só possuem médicos cubanos, sendo que 80% desses municípios são pequenos (menos de 20 mil habitantes).

VITÓRIA DA CONQUISTA

O Programa Mais Médicos mantém 19 profissionais atuando na sede e na zona rural de Vitória da Conquista, a maioria no Programa Saúde da Família. Desde setembro de 2013 o município tem médicos do Mais Médicos trabalhando nas unidades de saúde. Já foram 26, sendo 11 de Cuba. Os primeiros cubanos chegaram no dia 4 de novembro de 2013. Quando o contrato completou três meses, um evento de despedida reuniu vários profissionais que se despediam de Conquista e o prefeito Guilherme Menezes. Este ano, queixando-se que não tinham uma conversa direta com a secretaria de Saúde há muito tempo, os oito cubanos remanescentes foram recebidos pelo secretário José Raimundo Costa Fernandes.

Juca com médicos do Mais Médicos
Reunião dos médicos cubanos com secretário de Saúde e assessora Juliede Rosa da Silva, em agosto deste ano (Foto: Secom)

O PROGRAMA NA BAHIA

Ao longo de cinco anos de existência, mais de 5,6 milhões de pessoas beneficiadas, cerca de 800 mil consultas realizadas por mês e uma cobertura de 72% da Atenção Básica. Estes são os números alcançados pela Bahia após a implantação do Programa Mais Médicos no país. Atualmente, o estado possui 1.522 médicos do Programa, que estão alocados em 363 municípios. Deste total, 846 são cubanos. Os números foram apresentados pelo secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, na reunião da Comissão Intergestores Biparte (CIB).

De acordo com o secretário, o programa vinha sendo extremamente relevante, sobretudo, para os moradores dos municípios distantes dos grandes centros, pela maior dificuldade de acesso aos serviços de saúde. “Além de possibilitar o acesso ao atendimento, o Mais Médicos vinha oferecendo atendimento de qualidade, mais humanizado à população”, ressalta.

NOTA DO EDITOR: O PROGRAMA MAIS MÉDICOS NÃO FOI DESATIVADO. O GOVERNO CUBANO DECIDIU SE RETIRAR DO PROGRAMA DEPOIS DE DECLARAÇÕES DO PRESIDENTE ELEITO, JAIR BOLSONARO, DE QUE EXPULSARIA OS MÉDICOS CUBANOS COM BASE NA PROVA DO ‘REVALIDA’. BOLSONARO TAMBÉM DISSE QUE A ‘DITADURA CUBANA’ É IRRESPONSÁVEL E EXPLORA SEUS CIDADÃOS.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente