Anúncios

Médium João de Deus tem prisão decretada pela Justiça de Goiás, acusado de abusar sexualmente mais de 300 mulheres

O médium João de Deus, acusado por mais de 300 mulheres de abusos sexuais, praticados durante atendimento espiritual em Abadiânia, Goiás, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça daquele estado, nesta sexta-feira (14). A informação foi confirmada à imprensa pelo secretário de Segurança Pública de Goiás, Irapuan Costa Júnior.

Um dos advogados que compõem a defesa de João de Deus, Thales Jayme, disse que foi informado sobre o mandado de prisão, mas não tinha recebido o documento até as 12h30. Ele declarou também que não conseguiu falar com o médium nesta manhã. “Nós recebemos um contato informando que havia um decreto de prisão, para tratarmos uma forma do João se apresentar de uma forma menos traumática e que ele esteja em segurança. A minha opinião é a de que ele se apresente”, disse o advogado.

Por sua vez, o advogado Hélio Braga, que também integra a defesa do médium, ressaltou que o cliente é inocente. “Nós enquanto defesa, continuamos contestando com veemência todas as acusações. Não acreditávamos na decisão nesse sentido, perante a total falta de provas”, declarou.

De acordo com o Jornal Hoje, da Rede Globo, outro advogado de João de Deus,  Alberto Toron, disse, em nota, que não conseguira ter acesso aos depoimentos das mulheres e nem ao pedido de prisão preventiva contra o médium. Segundo ele, “é inaceitavel a utilização de pretextos e artifícios para se impedir o exercício da defesa”.

Em nota, a Polícia Civil informou que “se empenha em dar cumprimento à referida determinação judicial”.

Na quarta-feira, o Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) protocolou um pedido de prisão na promotoria de Abadiânia. No entanto, não se sabe se este é o pedido que originou a decisão.

MÉDIUM ALEGA INOCÊNCIA

Na primeira visita que fez à Casa Dom Inácio de Loyola, onde realiza os trabalhos espirituais, desde que as denúncias vieram à tona, na manhã de quarta-feira (13), João de Deus disse que era inocente e que confiava na Justiça de Deus e dos homens.

“Meus queridos irmãos e minhas queridas irmãs, agradeço a Deus por estar aqui. Ainda sou irmão de Deus, mas quero cumprir a lei brasileira porque estou na mão da lei brasileira. João de Deus ainda está vivo. A paz de Deus esteja convosco”, disse o médium.

CLIQUE E VEJA REPORTAGEM DO JORNAL HOJE SOBRE O CASO:

https://globoplay.globo.com/v/7233842/

Anúncios

Comente

%d blogueiros gostam disto: