Hospital Geral de Vitória da Conquista nega que tenha faltado assistência a jovem com câncer

Nos últimos dias dezenas de pessoas compartilharam nas redes sociais o apelo da família da jovem Leidiane Sena de Carvalho, natural de Mirante, que foi diagnosticada com Leucemia Aguda Linfocítica (LLA), para que a mesma fosse recebida pelo Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC) e depois para que a unidade de saúde realizasse com urgência os procedimentos para encaminhar a paciente para tratamento em Salvador, já que em Vitória da Conquista nenhum hospital tem como cuidar do caso de Leidiane.

No Facebook a irmã de Leidiane chegou a postar um vídeo pedindo ajuda das pessoas para fazer uma corrente e cobrar do HGVC a internação. Em mensagem postada na rede social, com o título “Todos por Leidiane!!”, amigos da jovem contam que ela foi internada no Hospital Unimec no dia 11 deste mês e que o resultado dos exames que diagnosticaram a leucemia saiu no dia 15. Contam, ainda que a família teve que realizar exames com recursos próprios, para antecipar, devido à demora do atendimento pelo SUS. O tratamento, no entanto depende de uma vaga no Hospital das Clínicas em Salvador. Por isso, até que a vaga surgisse, Leidiane teria que ser transferida para o HGVC, que dispõe de banco de sangue, imprescindível no momento que ela atravessa, o que aconteceu na noite da última sexta-feira (21).

No dia seguinte, a família voltou às redes sociais, demonstrando sua angústia e sofrimento, afirmando que o Hospital Geral não havia feito um relatório indispensável para que Leidiane pudesse entrar na fila de regulação e ser transferida para o hospital da capital. ”
No dia 21/12, a paciente foi transferida para o Hospital de Base, entretanto até o momento não foi atendida por médicos especialistas, deixando a família em desespero!  No entanto, se encontra sem previsão para o início do tratamento, dependendo do HOSPITAL DE BASE DE VITÓRIA DA CONQUISTA lançar a paciente no Sistema de Regulação e após isso, uma vaga hospitalar em Salvador para o início deste!”, diz a nota postada pela família na rede social.

A família apelava para que as pessoas ajudassem a “sensibilizar os médicos e funcionários do HOSPITAL DE BASE, e nos auxiliar na obtenção dessa transferência o quanto antes.  Como visto nos seus relatórios, exige urgência, pelo risco de morte que a paciente está correndo! Desde já agradecemos à todos!”, escreveram Anderson Spinelli e Família, Bellzinha Senna e Luziene Silva, da família de Leidiane.

Neste domingo, o hospital divulgou uma nota oficial explicando sua situação diante do caso da jovem. O HGVC assegura que o Leidiane já teve o nome e o prontuário inseridos no Sistema de Regulação de Urgência e Emergência (SUREM) e que o relatório do seu estado de saúde é “atualizado diariamente solicitando transferência  para a Unidade de Referência em Hematologia do Estado.” Leia a nota na íntegra:

Nota Oficial

A direção do Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC) vem por meio da presente nota esclarecer questões em relação às condições de atendimento da paciente Leidiane Sena De Carvalho.

Confirmamos o seu internamento no dia 21 de dezembro (sexta-feira) e acompanhamento por equipe do Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC). Informa-se ainda que, a mesma está assistida com decisões guiadas por evidências e que tanto a paciente quanto a família são informados sobre a evolução do quadro. Negamos quaisquer acusações de falta de assistência à paciente.

Reiteramos ainda que, a paciente Leidiane Sena De Carvalho deu entrada no Hospital Unimec por demanda espontânea no dia 11 de dezembro. Ao concluir o diagnóstico de Leucemia Aguda Linfocítica, a equipe do Unimec passou a tentar transferência para a unidade do HGVC, por conter banco de sangue que oferece suporte em tratamento com hemoderivados

No entanto, o tratamento de Leucemia em adulto não é realizado em nenhum hospital da região, sendo necessária a transferência para uma unidade de referência em hematologia em um hospital localizado na capital baiana.

A paciente foi transferida para o HGVC na noite do dia 21, quando surgiu vaga em ala de isolamento da unidade, onde a paciente segue sendo atendida pela equipe de especialistas, e têm sido realizados os tratamentos cabíveis dentro do que a unidade pode oferecer para o quadro da mesma, como por exemplo a transfusão de plaquetas. Mesmo diante de toda assistência oferecida, Leidiane Sena De Carvalho necessita cuidados específicos que o HGVC não dispõe.

A paciente já está inserida no Sistema de Regulação de Urgência e Emergência (SUREM) e seu relatório é atualizado diariamente solicitando transferência  para a Unidade de Referência em Hematologia do Estado.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente