Números da violência em Conquista: apesar da redução de homicídios no semestre, já morreu mais gente este ano que em 2017

Quando assumiu o Comando de Policiamento Regional do Sudoeste (CPRS), o coronel Ivanildo da Silva implantou a Operação Conquista Mais Segura, visando a redução dos indicadores de violência no município, especialmente fomentada pelo tráfico de drogas e pela guerra de gangues. Igual esforço se registrou, ao mesmo tempo, da parte da Polícia Civil. O resultado das ações foi percebido no segundo semestre, em que ocorreu uma sensível redução na quantidade de crimes na cidade, principalmente os Crimes Violentes Letais e Intencionais (CVLI), que são homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

Até o dia 21 de dezembro, o CPRS respondia por 43% na redução dos CVLI no interior do estado, considerando a Região Integrada de Segurança Pública – RISP composta pelas Áreas Integradas de Segurança Pública – AISP de Vitória da Conquista, Jequié, Brumado, Guanambi e Itapetinga. Considerando o segundo semestre, até o dia 21, ocorreram em todo interior da Bahia 1.584 crimes letais e intencionais, 229 a menos que o mesmo período do ano anterior. Na RISP Sudoeste, foram 98 mortes a menos, 36% menor que 2017.

Na área de Vitória da Conquista foram 87 assassinatos, 26 a menos, uma diminuição de 23% comparado com o segundo semestre de 2017. No município tinham sido registrados, até o dia 21, 57 CVLI e no mês dezembro somente três assassinatos. No primeiro semestre, foram 110 ocorrências, somando 167. A quantidade de tentativas de homicídio também foi alta, mas os dados não estão disponíveis. A meta da polícia era, este ano, manter a quantidade de assassinatos abaixo dos números do ano passado, quando morreram 168 pessoas vítimas de crimes violentos letais e intencionais.

No domingo, (23), antevéspera do Natal, no entanto, 11 dias após o último homicídio ocorrido no mês, duas pessoas foram mortas a tiros. Pela manhã, três homens acabaram mortos depois de reagirem a abordagens policiais. Com os dois homicídios de ontem, o total de mortes por arma de fogo chegou a 169, um a mais que no ano passado. E, infelizmente, a preocupação é que outros assassinato possam ocorrer, já que há suspeitos considerados perigosos soltos, beneficiados pela saída temporária de Natal. Dos três mortos em confronto com a PM dois tinham saído do Conjunto Penal Advogado Nilton Gonçalves entre os 184 contemplados com o saidão.

PROFECIA

Em janeiro de 2015, o então delegado titular da Delegacia de Homicídios, Neuberto Costa, baseado na verificação dos dados históricos da violência em Vitória da Conquista, disse ao Blog da Resenha Geral, ao explicar a sua previsão de que, naquele ano, a quantidade de assassinatos seria menor que em 2014, o que, de fato, ocorreu, com reduçao de 15% menor (De 171 para 145 crimes violentos letais e intencionais): “Pretendemos registrar uma nova redução, haja vista que em 2014 teve um aumento significativo, mas em 2013 houve uma redução. Ou seja, estamos alternando os anos: temos anos de aumento e anos de redução”.

A profecia que o delegado Neuberto fez, sem querer, está confirmada este ano. O ponto bom nisso – se é que pode haver algo bom quando se trata de índices de violência – é que, mantido o histórico, 2019 poderá ter menos assassinatos em Vitória da Conquista do que 2018. O coronel Ivanildo da Silva disse ao BLOG nesta segunda (24), que a Polícia Militar vai ampliar as operações que levaram à queda do número de crime no segundo semestre deste ano. “Vamos iniciar o ano com novos projetos para que, com outras ações, possamos diminuir o índice de homicídios!”, assegurou.

Comente