Com desgaste do governo Herzem e rejeição ao PT até político de Salvador quer ser prefeito de Vitória da Conquista

O deputado estadual Marcell Moraes (PSDB) nasceu em Ruy Barbosa, no noroeste da Bahia, no dia 29 de agosto de 1978. Na juventude mudou-se para Salvador com a família. Disputou a primeira eleição em 2008, como candidato a vereador de Salvador, pelo PV, e ficou na suplência. Elegeu-se na eleição seguinte e ficou no mandato por apenas dois anos, tendo sido eleito deputado estadual, em 2014, com 35.771 votos. Nas eleições deste ano, Marcell Moares quase dobrou a votação, elegendo-se com 64.219 votos, dos quais 9.277 em Vitória da Conquista.

O município onde Marcell nasceu fica no Território Piemonte do Paraguaçu, composto por 13 municípios e está a 395 quilômetros de Vitória da Conquista. A maior votação que o deputado teve na região foram os 152 votos que ele teve em Itaberaba, a 44 quilômetros da cidade onde ele nasceu. Em Ruy Barbosa, sua terra natal, Moraes ficou com 94 votos. Somando todos os votos que ele teve na região de origem não chega a 10% dos votos que o deputado conseguiu em Vitória da Conquista.

Por isso, Marcell quer ser prefeito daqui. Conquista lhe deu a segunda maior votação absoluta, 9.277, ou 5,84% dos votos válidos, situando-se em quarto lugar entre os candidatos a deputado estadual e em oitavo considerando os dez candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara de Deputado mais votados no município. Na eleição de 2014 ele só teve 935 votos. Depois de multiplicar a votação por dez, Marcell sonha em substituir o prefeito Herzem Gusmão a partir de 2021. Em Salvador, Marcell teve 18.450 votos, o dobro da votação de Conquista, mas os votos na capital representaram apenas 1,55% dos eleitores. Dezenas tiveram mais que ele. Então, lá, não dá. 

O deputado que se elegeu vacinando e castrando cães domésticos, e realizando, em Conquista, as famosas “cãominhadas”, teve 9,94% dos votos em Paripiranga, lá na divisa da Bahia com Sergipe. Para chegar a Paripiranga, saindo de Conquista, leva em torno de nove horas de carro. Se for de Salvador é mais perto, 327 quilômetros, dá para chegar em quatro horas. Nos dois casos, depende do trânsito, que é quase sempre muito intenso na estrada. Marcell não quer ser prefeito de Paripiranga, onde os percentuais indicam que ele teria mais chance. Também não quer ser prefeito de Maiquinique, onde teve 8,50% dos votos, nem de Euclides da Cunha, cidade em que o povo lhe deu 7,05%, ou Itacaré onde ele alcançou 5,81%  do votos válidos.

Marcell Moraes quer ser prefeito de Vitória da Conquista. Diz que tem condição de disputar e que está preparado para governar.

Como deputado, Marcell apresentou 49 indicações, 7 moções, 50 projetos de lei e um projeto de resolução (título de cidadã baiana a Luisa Mell). Aprovou três dos projetos. Nenhum inédito. Todos sobre temas que já haviam virado lei em várias partes do país. Um que dispõe sobre a proibição de utilização de animais selvagens, domesticados, nativos ou não, em espetáculo de circos realizados em todo Estado da Bahia. Outro regulamenta a autorização de transporte de animais domésticos em meios de transporte coletivos no Estado da Bahia. E o terceiro proíbe proprietários de estabelecimentos, moradores e/ou visitantes do Estado da Bahia de jogarem lixo nos logradouros públicos.

Para Vitória da Conquista ele apresentou três indicações. A primeira ao governador Rui Costa: a implantação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) no município de Vitória da Conquista (maio de 2015). A segunda foi ao prefeito Guilherme Menezes: a isenção fiscal para entidades, associações e cuidadores de animais, cuja a bandeira seja assistência de forma voluntária à vida e à saúde do animal no município de Vitória da Conquista (junho de 2015). Ele também indicou ao prefeito Guilherme Menezes a implantação de ciclovias e ciclofaixas (maio de 2016). Naquele ano, Conquista já tinha mais de 20 quilômetros dessas vias.

Marcell mora em Salvador há muitos anos, para onde se mudou com a família quando era jovem, saindo de Amargosa, onde residia depois de sair de Ruy Barbosa. Diz que pretende morar em Vitória da Conquista. Se for mesmo candidato e vencer a eleição, não será o único prefeito que veio de fora. Nos últimos 36 anos quatro dos sete prefeitos conquistenses não eram nascidos no município. Jadiel Matos (1973-1987) era de Nova Canaã; Murilo Mármore (1989-1993) nasceu em Salvador; Guilherme Menezes (1987 a 2016, com intervalos) é de Iguaí; e José Raimundo Fontes nasceu em Pojuca. Mas, nenhum se mudou para Conquista apenas para ser candidato a prefeito. Todos tinham vida familiar, profissional e política no município. Nasceram em Vitória da Conquista José Pedral Sampaio, Raul Ferraz e o prefeito atual, Herzem Gusmão.

Marcell Moares durante evento em Conquista

O BLOG CONVERSOU COM MARCELL MORAES PELO WHATS APP. LEIA A ENTREVISTA. PERGUNTAS E RESPOSTAS NÃO FORAM EDITADAS

1. Por que você se sente credenciado a ser prefeito de Vitória da Conquista?
Com certeza. Como Deputado Estadual fizemos muitas ações em Conquista, inclusive sem apoio nenhum, tudo com recurso e iniciativa própria. Nessas eleições, a população conquistense deu sua resposta nas urnas, mas não só em respeito aos animais, mas uma resposta da insatisfação com a atual gestão que não faz nada pela causa nem tão pouco pela cidade. A minha determinação vem sobretudo, da minha força de vontade, ética e compromisso de lutar pelo o que acredito e pelo social.

2. Li seu portfólio de vereador e deputado. Seus projetos e ações foram voltados na imensa maioria para animais, mais cães e gatos. Isso não restringe sua experiência para governar o município da Bahia?
De forma alguma. Prometi cuidar dos animais e modéstia parte, fiz muito bem. Realizamos muitas ações de mutirão de castração, vacinação, entre outras na cidade, sem apoio e com recurso próprio. Quando me comprometo com algo vou até o final, e farei o mesmo pelo povo conquistense seja em outras áreas como educação, saúde. O que falta hoje em dia não é experiência e sim, força de vontade e sobretudo palavra, de cumprir o que se promete a população, que em Conquista, já está cansado de descaso.

3. Se for candidato se posicionará na oposição ao prefeito Herzem Gusmão ou acha possível compor, visando um 2º turno? Não vê o PT com chances?
Não sou lado A ou lado B, eu sou do lado de Conquista. Irei me posicionar de quem for a favor de fazer em prol da população conquistense. Temos que procurar unir forças com quem tem projetos sérios e quer trabalhar de verdade para mudar a realidade atual da cidade.

4. Sua candidatura teria lugar em razão da impopularidade atual de Herzem e da rejeição ao PT?
Acredito que a sociedade no geral quer o novo. O Brasil mudou muito, as pessoas estão mais inteiradas nos assuntos políticos e querem mais transparência. Hoje, a população está mais atenta, quer pessoas jovens, com ideais e temos isso como diferencial. O brasileiro, seja ele conquistense ou não, está cansado de tanta decepção.

5. Você vai mudar o domicílio eleitoral apenas ou a residência?
Os 2.

6. O que acha das candidaturas de 1. Herzem; 2. Guilherme Menezes; 3. Zé Raimundo 4. David Salomão?
Bom sinal. Todos preocupados com Conquista.

AS DEZ MAIORES VOTAÇÕES NA ELEIÇÃO PARA DEPUTADOS EM VITÓRIA DA CONQUISTA

(CINCO FEDERAIS E CINCO ESTADUAIS)

ZÉ RAIMUNDO (PT) DEPUTADO ESTADUAL – 35.855 VOTOS (22,58%)
WALDENOR PEREIRA (PT) DEPUTADO FEDERAL – 33.381 (21,52%)
DAVID SALOMÃO (PRTB) DEPUTADO FEDERAL – 23.221 (14,75%)
LÚCIA ROCHA (DEM) DEPUTADA ESTADUAL – 23.090 (14,54%)
MARCELO MELO (PHS) DEPUTADO FEDERAL – 13.630 (8,66%)
FABRÍCIO FALCÃO (PCdoB) DEPUTADO ESTADUAL – 12.661 (7,97%)
MARCELL MORAES (PSDB) DEPUTADO ESTADUAL – 9.277 (5,84%)
JOÃO ARAGÃO (PTC) DEPUTADO ESTADUAL  7.693 (4,84%)
JORGE SOLLA (PT) DEPUTADO FEDERAL – 5.021 (3,19%)
SHEILA LEMOS (DEM) DEPUTADA FEDERAL – 4.525 (2,87%)

PRÓXIMA MATÉRIA: DAVID SALOMÃO ENTRA NA FILA E DIZ NÃO QUERER CONVERSA COM NINGUÉM DOS POLÍTICOS TRADICIONAIS

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “Com desgaste do governo Herzem e rejeição ao PT até político de Salvador quer ser prefeito de Vitória da Conquista

  1. O perfil do próximo prefeito de Vitória da Conquista aponta para jovens conquistenses, conhecedores da realidade regional, sem ranços e com trajetória comprovada na vida do município. Já tivemos forasteiros que não deu certo. Mais um aqui, não.
    Chega de aventureiros e oportunistas. Que o Sr Marcell continue cuidando dos animais, se é que cuida.

Comente