Aumento da passagem de ônibus: Prefeitura de Conquista tem dois pesos e duas medidas quando se trata da cidade e da zona rural

No mês passado circulou nas redes sociais uma foto do vidro frontal de um ônibus com um aviso de aumento de passagem autorizado pela prefeitura. Logo, a veracidade da informação foi negada pela prefeitura. Não vai haver aumento – por enquanto – no transporte coletivo urbano. Mas, a foto não é fake. A foto é mostrada abaixo, veja que a cortina vista mostra que foi feita em um veículo do mesmo tipo os que transportam passageiros dentro da cidade, mas é um ônibus que transporta passageiros para e da zona rural.

De fato, o cartaz não foi preparado na prefeitura, usa erradamente a marca do governo, mas, alguns proprietários de ônibus que operam nas linhas para os distritos do município chegaram realmente a acreditar que contariam com o aumento, que reivindicam há algum tempo. Uma fonte ligada ao setor disse ao BLOG que chegou a haver uma sinalização de que ocorreria o reajuste no dia 1º de janeiro. O percentual seria um pouco maior que os 14% autorizados pelo prefeito Herzem Gusmão em julho de 2017, considerando que o último reajuste tinha sido autorizado em  julho de 2017, 17 meses antes.

Mas, o aumento não foi confirmado. A fonte declarou que a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) tem dado pouca atenção ao serviço de transporte coletivo público rural, realizado por proprietários individuais de ônibus reunidos na Associação dos Permissionários do Transporte Rural (APTR), depois que foi regulamentado no governo Guilherme Menezes, em setembro de 2015. A última vistoria, por exemplo, teria sido feita em 2017.

O BLOG procurou o secretário Ivan Cordeiro, da Semob. Por WhatsApp lhe enviou a seguinte pergunta: Qual é o preço da passagem de ônibus rural e para quanto vai? Ivan respondeu que o preço das passagens na zona rural é variado e que a secretaria ainda está tratando do assunto. O BLOG prosseguiu tentando obter maiores informações: “Aquele cartaz num ônibus que saiu nos blogs não era fake. Era, realmente, num ônibus do transporte rural, correto? Mas era desautorizado ou foi a prefeitura que desistiu de dar o aumento sem ouvir o Conselho?”. O secretário optou por não responder.

Como a foto com o cartaz do suposto aumento circulou nas redes sociais, levando muita gente a temer um novo aumento na tarifa do serviço urbano (os dois recentes reajustes pegaram a população de surpresa), no dia 27 de dezembro, sem tocar no assunto no site oficial, a prefeitura postou em sua página de Facebook um desmentido: “Nos últimos dias, tem circulado uma notícia nas redes sociais sobre um possível aumento na tarifa de ônibus em Vitória da Conquista. A Prefeitura de Vitória da Conquista esclarece que essa notícia é falsa! Não haverá aumento de tarifa!”

A possibilidade de aumento no transporte coletivo rural – muito justo, apesar da dificuldade da população em pagar – nem foi mencionada. O máximo que foi divulgado é que o aumento da passagem para o setor será levado à análise do Conselho Municipal de Transportes, o que não aconteceu em nenhum  momento quando o reajuste contemplou a empresa de ônibus que opera apenas na cidade, que, para continuar prestando o serviço acabou de ganhar isenção do ISS, em projeto de lei do prefeito aprovado pelos vereadores, à exceção de Davi Salomão (PRTB), Danilo Kiribamba (PCdoB) e Valdemir Dias (PT).

O SERVIÇO

O transporte coletivo que atende à zona rural de Vitória da Conquista conta com 135 veículos, que percorrem mais de 2.600 quilômetros pelo interior do município, passando por 304 povoados e 11 distritos rurais, segundo a prefeitura. Durante reunião ocorrida no ano passado entre governo e permissionários, o então secretário municipal de Mobilidade Urbana, Esmeraldino Correia, destacou a importância do serviço: “Temos que preservar”. É uma questão de segurança, higiene e controle para que a população do interior do município seja convenientemente transportada”.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente