Anúncios
Educação Sociedade

Conquistense premiado ao apresentar pesquisa em conferência internacional de engenharia, em Singapura

O conquistense José da Silva Andrade Neto, formando de Engenharia Civil na Universidade Federal da Bahia (Ufba), foi laureado com o certificado de Excelente Apresentação Oral, do trabalho do seu grupo de estudantes na 9ª Conferência Internacional sobre Pesquisa Avançada de Materiais realizada em Singapura. José Neto discorreu sobre pesquisa feitas em cimento, trabalho preparado por equipe de formandos-pesquisadores da Ufba da qual ele faz parte.

José Andrade Neto é filho de Karine Andrade e Marcos Brito e neto do empresário José Andrade e da vice-prefeita Irma Lemos. Ele estudou o ensino médio até 2013 no Colégio Nossa Senhora de Fátima (Sacramentinas) e no ano passado concluiu a graduação de Engenharia Civil pela Ufba, onde realizou iniciação científica no Centro Tecnológico das Argamassas (CETA), tendo como foco a reologia de argamassas industrializadas. Foi pesquisador do Laboratório de Ensaios em Durabilidade dos Materiais (LEDMa) trabalhando com clínquer e cimento Portland, hidratação do cimento Portland, cimento de silicato de cálcio (CSC), geopolímeros e materiais álcali-ativados, materiais pozolânicos, nanotubo de carbono, reologia e durabilidade.

A notícia do sucesso da palestra de José Andrade Neto, que já representou o LEDMa da Ufba em várias conferências sobre materiais da engenharia civil, recebeu destaque na imprensa de Vitória da Conquista, e a avó dele, Irma Lemos, não escondeu a emoção. “Tudo isso é o resultado de muito esforço e dedicação. Zeca é admirado por toda a família, e agora é referência para o mundo”. O pesquisador comentou a experiência e lembrou que foi o porta-voz do trabalho da equipe, à qual elogiou. “Para nós foi uma alegria muito grande receber esse reconhecimento que retrata o trabalho de uma das mais comprometidas equipes da UFBA. Agora vamos seguir levando o conhecimento para o mundo”.

A ICAMR (International Conference on Advanced Materials Research) é uma conferência de âmbito mundial que reúne especialistas renomados na área da pesquisa avançada sobre materiais da indústria da construção civil. O evento de Singapura, que aconteceu do dia 24 ao dia 27 de janeiro, foi a nona desde 2011. Antes, a ICAMR aconteceu em Fukuoka, no Japão(2018), Hong Kong (2017), Torino, Itália (2016), Doha, Qatar (2015), Macau (2014), Dubai, Emirados Árabes Unidos (2013), Chengdu, China (2012) e Chongqing (China) em 2011.

SINGAPURA OU CINGAPURA?

Para escrever a nota, o BLOG teve que pesquisar. E no gigantesco oceano de resultados que o Google oferece, a dúvida poderia ter aumentado. Há veículos de comunicação importante, como o UOL, do grupo Folha, que na mesma matéria (título e corpo do texto) ou na mesma data, em editorias diferentes, grafa dos dois modos.

Segundo a professora de português, Flávia Neves, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). com atuação nas áreas da Didática e da Pedagogia: “A forma correta de escrita da palavra é Singapura, com s inicial. A palavra Cingapura passou a estar errada desde a entrada em vigor do Novo Acordo Ortográfico, em janeiro de 2009. Antes da entrada em vigor do acordo ortográfico, as duas palavras existiam – com s e com c inicial – e estavam corretas. A palavra Cingapura era utilizada no português brasileiro e a palavra Singapura era utilizada no português europeu e em outros países de língua portuguesa. Apenas no Brasil se escrevia Cingapura com c.

O Novo Acordo Ortográfico, visando unificar o idioma em todos os países que falam português, apresenta listagens de palavras, definindo quais grafemas consonânticos devem ser usados em casos de homofonia. A palavra Singapura se encontra nos exemplos de distinção gráfica entre as letras s, ss, c, ç e x para representação da sibilante surda s.

Vários estudiosos se opõem à mudança de Cingapura para Singapura, justificando que não se trata da alteração da grafia de uma palavra simples, mas de um nome próprio com uma tradição histórica de escrita com c no Brasil.

Apesar dessa alteração, alguns dicionários, incluindo o Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras grafam cingapurense e singapurense como adjetivos pátrios de Singapura.” (Dúvidas de Português).

Mais: “A indefinição entre as grafias com s ou com c foi resolvida em Portugal e nos demais países lusófonos pelo Acordo Ortográfico de 1945. O Brasil, porém, foi o único país que não adotou a ortografia de 1945 (razão pela qual, até 2009, o Brasil tinha uma ortografia diferente da dos oito outros países lusófonos).

O novo Acordo, por fim, resolveu essa situação peculiar em que o Brasil era o único país do mundo a grafar o nome de Singapura com ‘C’.

O Dicionário Aurélio, em sua edição pós-Acordo Ortográfico, já eliminou as formas “cingapurense” e “cingapurano“, passando a registrar apenas singapurense e singapurano.

O dicionário Michaelis e o do Professor Pasquale (foto abaixo) também já apagaram qualquer vestígio de cingapurense ou Cingapura, registrando agora apenas formas com ‘S’.” (DICIONARIOEGRAMATICA.COM)

Anúncios

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 56 anos de idade, 40 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

0 comentário em “Conquistense premiado ao apresentar pesquisa em conferência internacional de engenharia, em Singapura

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: