Anúncios
Geral

Da Serra do Periperi se veem a cidade, o pôr do sol e o Cristo de Mário Cravo Júnior. Mas, não os Alpes, nem o Jalisco.

Eu não vi o pôr do sol do Cristo de Mário Cravo. Vi da Serra do Periperi*, onde também vi a estátua do Cristo. Caramba como a gente inventa expressões, troca nomes… (eu, inclusive).

Os blogs locais, com a ajuda da Secretaria de  Comunicação da prefeitura, por exemplo, demitiram o Dr. Crésio Dantas Alves de nome daquela praça que fica atrás do Centro de Cultura CAMILLO DE JESUS LIMA e em frente à Escola Normal, para, agora, só chamar o local de Praça Guadalajara. Mas isso só a nossa imprensa –  blogs, rádios e a TV Sudoeste junto -, famosa guardiã da nossa história (SQN) e o material oficial que sai da Secom, porque o povo, povo mesmo, que pega ônibus no ponto da praça, que come pastel e sanduba nos trailers (hoje quiosques) do lugar, sabe que ali é a PRAÇA DA NORMAL. Aí, é fácil de aceitar. É tradição, é cultura, já que os órgãos oficiais e a nossa imprensa preferem desconhecer o nome correto.

Crésio Dantas Alves foi uma personalidade que viveu em Conquista, foi juiz trabalhista e teve larga participação social e histórica. O irmão dele, médico, chegou a ser candidato a prefeito e só não ganhou porque o governo militar criou um casuísmo chamado sublegenda.

A Escola Normal todo mundo já sabe. É o IEED, Instituto de Educação Euclides Dantas, que, no passado, formou centenas, talvez milhares, de professores e professoras, daí o nome de Escola Normal, porque era assim que se chamava o curso que formava professores, depois Magistério, hoje eu nem sei.

Mas, Guadalajara é apenas uma (linda) cidade mexicana onde a seleção brasileira de futebol, aquela de Pelé e do general Emílio Garrastazu Médici, ficou hospedada uma parte da Copa de 70, e onde fica o estádio Jalisco, onde começou a caminhada do Tri.

Das pessoas que conheço em Conquista só sei de uma que conhece Guadalajara: o ex-deputado estadual e ex-vice-prefeito Clóvis Flores.

Dizem que é preciso compreender a dinâmica da língua, do falar, das expressões, especialmente nesses tempos de internet, quando as mudanças se aceleram. Mas, uma coisa é isso, a outra é desqualificar a história e ensinar errado, alterando o que não precisa.

Já basta insistirem que a Joia do Sertão Baiano virou a Suíça Baiana, mesmo que aqui esteja a fazer 35 graus na sombra neste verão e de a cidade ter um índice de pobreza que a Suíça só conhece de livros. Sem contar que a Suíça é um país, não uma cidade, apesar de pequeno – área de 41.285 km², quase 14 vezes menor que a Bahia, enquanto a cidade de Vitória da Conquista tem 185 Km². (Talvez o pessoal ache que Conquista seja um principado, como Mônaco. Tem gente aqui – como em todo lugar – que age e fala como se fosse de lá).

Mosaico Suiça Baiana

Temo um dia ler em um release da prefeitura ou em dos blogs da cidade que vai acontecer um evento na Serra do Cristo de Mário Cravo, que aliás, não fez estátua nenhuma.

Mário da Silva Cravo, casado com Marina Jorge Cravo (prima do poeta Castro Alves), era fazendeiro,  comerciante e foi prefeito de Alagoinhas, que já foi a terra da laranja e hoje depende da cerveja.

Mário Cravo Júnior (13 de abril de 1923 – 1 de agosto de 2018) nasceu no bairro da Ribeira de Itapagipe, Salvador, e foi o quarto filho do casal. Depois que ele nasceu a família voltou para Alagoinhas, de onde tinha mudado para a capital, e Mário Cravo Júnior cresceu lá.

Houve ainda outro Mário Cravo, o neto, fotógrafo, filho do escultor do Cristo e falecido em 2009.

* Ou Piripiri, como se adotou após correção historiográfica em 2015, para corresponder à forma como era expressado pelos indígenas que habitaram aqui. Os mongoiós e imborés falavam o tupy-guarany. Periperi é um topônimo da expressão original e se refere a juncos, tabuas (não tábuas).


A VÍRGULA COM “E / OU / NEM”

Não use vírgula antes de e, ou e nem, a não ser nas seguintes exceções:

(…)

 Quando se deseja como recurso estilístico, realçar, dar ênfase, a uma afirmação ou oração iniciada pela conjunção [e] [ou] e [nem], ocasião em que a pausa é mais forte.

(FONTE: RECANTO DAS LETRAS)

Anúncios

1 comentário em “Da Serra do Periperi se veem a cidade, o pôr do sol e o Cristo de Mário Cravo Júnior. Mas, não os Alpes, nem o Jalisco.

  1. Robério Barros Pereira

    Não sei quem cunhou a frase, mas achar que Conquista é uma Suiça baiana, é uma coisa totalmente sem nexo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: