Ganhar ou ganhar. Em casa, Vitória da Conquista quer sair da lanterna e afastar fantasma do rebaixamento

O ECPP Vitória da Conquista tem a semana toda para treinar e se preparar para enfrentar o Atlético de Alagoinhas e sair da incômoda posição de lanterna do Campeonato Baiano. O clube perdeu as duas primeiras partidas e completa cinco derrotas no Baianão, desde 2018. A última vitória foi contra a Jacuipense, por 2 a 1, no Lomantão. Com as derrotas frente ao Vitória (1 a 0) e Bahia de Feira (3 a 0) colocam o Bode em último lugar na tabela, atrás de Jacobina e Jacuipense por causa do saldo negativo de gols: o ECPPVC sofreu 4 e não fez nenhum, o Jacuipense também levou quatro, mas marcou um e o Jacobina tomou três e fez um.

Por isso, a meta do Vitória da Conquista é apenas uma para este domingo no Lomantão: vencer ou vencer. Em caso de sucesso e dependendo dos resultados de Jacobina e Jacuipense, o representante conquistense pode ir direto para a sexta posição, desde que os dois times percam os jogos que farão fora, contra Fluminense e Vitória, respectivamente. O ECPPVC passaria, inclusive, o Juazeirense, que tem dois pontos e já fez a sua partida da terceira rodada.

Em conversa com o BLOG por WhatsApp o presidente do Vitória da Conquista, Ederlane Amorim, disse que as duas derrotas seguidas não abalaram o emocional do time e não criaram qualquer problema para o técnico Everton Goiano, que, segundo ele, tem a confiança da diretoria do clube e do elenco. “[Sobre o técnico] Nem pensamos nessa possibilidade de mudança. Apenas [mudança] de atitude”.

Para o fundador e dirigente do Esporte Clube Primeiro Passo Vitória da Conquista, perder na estreia fora de casa não é anormal, mesmo tendo sido duas derrotas. “O anormal foi o placar elástico contra o Bahia de Feira [3 a 0], mas agora a gente vai jogar em nossa casa e vai poder fazer uma boa apresentação e vencer, podendo ir para a sexta posição”, disse Ederlane, que foi enfático: “Não vamos perder”.

O fato (e óbvio) é que três resultados são possíveis. Se empatar o Bode terá que continuar torcendo para Jacobina e Jacuipense perderem, com qualquer outro resultado permanecerá na lanterna. Se perder, hipótese que não é admitida no clube, o Vitória da Conquista ficará em uma situação muito mais complicada que a do ano passado, quando chegou à quarta rodada com três pontos, de uma vitória na estreia contra o Atlântico. O quarto jogo, no dia 6 de fevereiro (quarta-feira) será contra a Jacuipense, em Riachão do Jacuípe, em disputa direta por posição na tabela.

A competição deste ano, com dez clubes, terá nove rodadas e dos cinco jogos que fará fora, o Bode já fez dois. A partir deste domingo terá quatro partidas em casa e mais três for e isso dá esperança. Mesmo assim, as coisas não estão fáceis para ao alviverde conquistense. Uma derrota nas duas próximas rodadas pode ser o início da descida da ladeira. Segundo o artigo 17 do regulamento do Baianão, este ano, a equipe que ficar em último lugar na primeira fase será rebaixada para a Série B. O ECPP Vitória da Conquista nunca foi rebaixado desde a sua fundação, mas precisou disputar repescagem em 2016 para se salvar e no ano passado ficou em penúltimo, tendo sido salvo não pelos próprios méritos (perdeu os dois últimos jogos para Fluminense de Feira e Jacbina), mas pelo desempenho do péssimo Atlântico.

A fé da direção do clube, da comissão técnica e dos jogadores é de que a boa fase comece neste domingo, com a presença da torcida para dar força ao time. Mas, a torcida vai?


Lances do jogo Bahia de Feira 3 Vitória da Conquista 0 (Reproduzido do Globo Esporte/TV Bahia)

Comente