Gás natural: prefeitura de Conquista e Bahiagás farão estudo para medir demanda e definir forma de atendimento

O prefeito Herzem Gusmão anunciou que a prefeitura de Vitória da Conquista vai fazer um estudo conjunto com a Bahiagás, empresa estadual de economia mista responsável pela distribuição do gás natural em toda a Bahia, para avaliar a demanda por gás natural no município, com o objetivo de definir a forma como o combustível chegará à cidade. Uma discussão nesse sentido já tinha acontecido no começo de 2017, quando o prefeito e o empresário Horácio Andrés, vice-presidente da argentina Galileo Technologies, da área de distribuição de gás natural, conversaram sobre a instalação em Conquista de uma unidade de processamento e distribuição. A ideia era que Conquista recebesse o gás liquido e o processasse para mandar a Brumado até que o duto chegasse àquela cidade.

A disposição do governo municipal de atuar para garantir que o gás natural chegue à cidade foi confirmada pelo prefeito Herzem Gusmão em reunião ocorrida nesta quinta-feira (31) na Fainor, quando a direção da Bahiagás explicou a proposta da companhia para garantir que Vitória da Conquista possa contar com o gás natural, independentemente de o gasoduto não passar pelo município. Para isso, será realizado um estudo de viabilidade técnica, em parceria com o governo Municipal. Um acordo de cooperação técnica já está sendo elaborado com esse fim.

O prefeito recebeu a proposta com otimismo. “Nós teremos o gás natural chegando mais rápido”, comemora. Ainda de acordo com ele, a representação que Conquista tem para o estado lhe torna merecedora da chegada do energético: “Ela é a terceira maior cidade da Bahia, com todos os indicativos, com o quinto maior PIB. E eu tenho certeza de que a resposta para o gás natural que será implantando aqui será das mais positivas”.

Para o diretor-presidente da Bahiagás, Luiz Raimundo Gavazza, a sensação ao fim do evento é de dever cumprido. “A gente cumpriu o objetivo, que é mostrar à cidade que o gás natural é importante, é economicamente viável, é ambientalmente muito importante, melhora a condição de vida e melhora a condição econômica da população da cidade”, afirma. “Vamos fazer um esforço coletivo. Não é que pensemos exatamente igual, mas é o que nós podemos contribuir para que daqui saia uma solução mais rápida”, completa.

PROPOSTA

Durante a apresentação, Luiz Gavazza explicou os movimentos de interiorização do gás natural na Bahia. A sua terceira fase está acontecendo com o Projeto Gás Sudoeste, que consiste na implantação de um gasoduto físico na região Sudoeste do estado. A obra teve início no município de Ipiaú e contará com 300 quilômetros de dutos, cortando 12 municípios.

Como Vitória da Conquista não está na rota do gasoduto, a intenção da Bahiagás é justamente trazer alternativas para que o energético chegue até a cidade. A proposta é transportar o energético nos formatos de Gás Natural Comprimido (GNC) ou Gás Natural Liquefeito (GNL), o mais indicado para o município. Esse método, que desloca o energético pro meio de carretas, é conhecido como gasoduto virtual. Uma das vantagens dessa tecnologia de transporte é a economia, já que um quilômetro de gasoduto físico equivale a um investimento de R$ 1 milhão.

ESTUDO

No estudo de viabilidade, que será executado em parceria com a Prefeitura de Conquista, serão analisados o mercado para o gás natural na cidade; o público consumidor em potencial; a possibilidade de utilização do gás natural em empreendimentos e equipamentos locais; e a competitividade do produto e seus riscos de negócio. Essa etapa será iniciada assim que o acordo de cooperação entre as instituições for formalizado.


COM TEXTO DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO DA PMVC

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente