Governador da Bahia explica posicionamento favorável a projeto de combate ao crime apresentado por Sérgio Moro

Depois de ter sido criticado por setores de esquerda e do próprio partido, o PT, o governador da Bahia, Rui Costa, usou a abertura da conversa que faz com internautas todas as semanas pelas redes sociais para explicar sua posição quanto ao projeto do ministro da Justiça Sérgio Moro, que endurece as leis contra a criminalidade, o qual “liberaria a polícia para matar”, segundo os críticos da iniciativa do ministro.

Segundo o jornal Correio, “mesmo sendo de partido opositor ao governo de Jair Bolsonaro (PSL), Rui disse que não vai se opor a tudo que for proposto, se não houver um motivo real para isso. ‘Preciso ler o projeto, até porque ele apresentou lá os principais pontos, mas conceitualmente eu manifestei meu apoio. Um país onde morrem 61 mil pessoas assassinadas, não é possível assistir isso passivamente’, frisou o governador, ainda de acordo com o Correio.

Rui Costa sempre foi a favor do endurecimento das leis para o que ele chama de defender o povo e punir com rigor os bandidos. O governador é contra, por exemplo, a audiência de custódia. “É preciso regular melhor a audiência de custódia. Não concordo que uma pessoa com um fuzil, uma escopeta, uma metralhadora, seja libertada na audiência de custódia. É preciso investigar de onde veio essa arma, quais as relações dessa pessoa. Esse tipo de armamento não é para qualquer pessoa ter acesso. É preciso investigar, e não soltar a pessoa no mesmo dia. Sugerimos que haja restrição para soltura de pessoas pegas com armamento pesado como esses”, disse.

“O que o povo brasileiro quer é que as ruas não sejam dominadas por bandidos. Não posso me omitir e adotar uma postura de oposição pela oposição. Aquilo que eu entender que vai melhorar a vida das pessoas, eu vou apoiar”.

No Papo Correria Rui Costa enfatizou que a campanha eleitoral já acabou e ele não vai fazer política com assuntos que dizem respeito à segurança e bem-estar do povo da Bahia. “Minhas convicções serão mantidas em defesa do povo baiano. Vou dialogar. Vou propor mudanças a esse projeto. Acha oportuna a existência de uma lei para que possamos fazer o debate, fazer as mudanças que a sociedade merece”, explicou.

O principal argumento do governador é que “não é correto morrer mais de 60 mil pessoas através de homicídios”, por isso ele vai ouvir a bancada baiana no Congresso Nacional, advogados e juristas para propor alterações ao projeto original “junto ao Congresso Nacional”. Rui Costa anunciou que esta semana haverá reunião com os governadores do Nordeste para discutir a formação de um consórcio de cooperação, que pode incluir a segurança pública.

Rui Costa afirmou que, como governador do Estado. representa 15 milhões de baianos e, por essa razão “minha posição para este tema [projeto de Moro para o combate à criminalidade] e qualquer outro tema que envolva o governo federal é defender o interesse do povo brasileiro e da Bahia”. Segundo Rui, uma questão como a segurança pública, o combate ao crime, “em que bandidos matam pessoas todos os dias”, não comporta uma discussão como se fosse uma campanha política. “A eleição já passou e não vou atuar de forma politiqueira”.
_____
FOTO DESTAQUE: MANU DIAS/GOVBA

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente