Anúncios
Esporte Futebol Geral

Três jogos, três técnicos, três gols de cabeça decisivos e o Vitória da Conquista sobe na classificação do Baianão

 

Depois de perder os dois primeiros jogos, o time conquistense conseguiu sete pontos em três jogos e avançou na tabela. Nas três últimas partidas, foram cinco gols, sendo que as duas vitórias tiveram três de cabeça. Três também foram os treinadores. Agora, é esperar – e vencer – o Bahia.

 

Tem gente atribuindo à estrela do treinador Elias Borges a mudança de perfil do ECPP Vitória da Conquista no Campeonato Baiano 2019. Elias foi chamado para assumir o time logo depois do empate de 2 a 2 com o Atlético de Alagoinhas, quando técnico Everton Goiano foi instado a pedir demissão. Apresentado aos jogadores no dia seguinte, Elias viajou a Riachão do Jacuípe para ver o Bode vencer a Jacuipense por 2 a 1, mas quem esteve à beira do campo orientando os jogadores foi o velho Guilhermino Lima, que também tem o pé quente. No clube desde o início Lima assumiu várias vezes. Praticamente todo ano é ele quem começa, pega no meio ou termina os torneios do Vitória da Conquista.

Mas, além de Elias e de Lima – e longe da cara fechada e de poucos amigos do presidente e dono do time, Ederlane Amorim – há que se reconhecer o mérito dos jogadores, incluindo os veteranos Sílvio e Tatu. Composto com jogadores que se diz baratos e pouco conhecidos, diante da dificuldade financeira alegada pelo presidente, o Vitória da Conquista começou perdendo para o time B do Vitória, o que não é novidade quando se trata de jogos com o time da capital.

Mas, a desconfiança veio mesmo com a derrota para o Bahia de Feira, pelo contundente placar de 3 a 0. Os dois resultados negativos representam o pior começo do time conquistense na competição, antes só em 2016, quando o Vitória da Conquista chegou a disputar a repescagem para não cair para a 2ª divisão do Campeonato Baiano. Naquele ano, foram dois empates na estreia, contra Flamengo de Guanambi (0 a 0) e Vitória (1 a 1).

Contra o Atlético, apesar de ter cedido o empate no segundo tempo, o time jogou bem, fez dois belos gols e sinalizou que estava vivo. Isso é dito considerando que o time de Alagoinhas não tinha perdido para ninguém, tendo empatado na estreia contra o Juazeirense, também 2 a 2, e em casa com o Jequié, 4 a 4. Aliás, o Atlético de Alagoinhas viria empatar mais uma, com o Bahia, e só perdeu no sábado (9) para o Fluminense, em Feira.

DUAS VITÓRIAS COM GOLS DE CABEÇA

A impressão da torcida de que o Bode estava, finalmente, começando a se acertar foi quando ganhou da Jacuipense, lá em Riachão do Jacuípe, com dois gols de cabeça, um de Eduardo e outro de Tatu.  Ontem (domingo, 10), enfrentando o Jequié, outro gol de cabeça, novamente de Eduardo, elevou o time à sexta posição, com cinco pontos, cinco gols, sendo três de cabeça. Os resultados positivos foram obtidos com três treinadores diferentes: Everton Goiano (2 a 2). Lima (2 a 1) e Elias (1 a 0). E a torcida foi se chegando.

Contra o Atlético foram 1.136 pagantes, ontem, 1.882. Contra o Bahia espera-se mais de dois mil pessoas ajudando o Bode. Os jogos com o Bahia sempre tiveram bons públicos, em grande parte por causa do Bahia, mas a maioria torcendo pelo alviverde, assim a diretoria e jogadores esperam que seja no domingo (17). Se o time conquistense vencer vai para a terceira posição, basta que o Fluminense não vença o Jequié fora de casa, na Cidade Sol.

Mesmo que perca o Bode não voltará para as ultimas posições, mas é bom não dar chance ao perigo.

VEJA O VÍDEO DO GOL DO VITÓRIA DA CONQUISTA EM CIMA DO JEQUIÉ. UMA CORTESIA DO MÉDICO ORTOPEDISTA LEONARDO MASCARENHAS QUE FILMOU. GRATO, LEO!


FOTO DESTAQUE: EDUARDO E COMPANHEIROS COMEMORAM O GOL CONTRA O JEQUIÉ (LUCIANA FLORES)

 

Anúncios

0 comentário em “Três jogos, três técnicos, três gols de cabeça decisivos e o Vitória da Conquista sobe na classificação do Baianão

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: