Herzem diz que José Maria Caires, do Conquista Pode Voar Mais Alto, faltou com a verdade sobre aeroporto. Empresário rebate.

Em entrevista ao programa Bem Bolado, da Melodia FM, o prefeito Herzem Gusmão acusou o empresário José Maria Caires, da Livraria Nobel e Maxtour Turismo, a mentir e induzir o jornalista Robson do Val a passar dados errados sobre a participação do governo do Estado nos custos de construção do aeroporto de Vitória da Conquista. De forma incisiva, para salvar a pele do jornalista, um dos mais antigos da Bahia, que falhou ao não verificar as informações que daria no ar, durante o programa Resenha Geral, em que ele substitui justamente o prefeito, Herzem foi categórico em dizer que Caires faltou com a verdade.

Herzem enfatizou que queria restabelecer a verdade, porque o apresentador da Resenha Geral, na Brasil FM, teria sido induzido a dar informação errada sobre qual teria sido a parte de cada governo na obra do aeroporto. “Induziu o meu amigo Robson do Val ao erro e eu estou com esse documento para entregar a Robson do Val. E Zé Maria não falou a verdade e deveria. Zé Maria, da Maxtour, precisa caminhar com a verdade”,  reclamou, passando em seguida a ler partes de documentos onde constariam os dados certos sobre os repasses financeiros do governo federal para a obra do aeroporto. Para o prefeito, o empresário foi o responsável pela informação passada pelo radialista da Brasil FM que teria dito que o governo do Estado havia entrado com R$ 75 milhões para a construção do aeroporto. José Maria afirmou que nunca falou em valores a Robson do Val.

(A afirmação de que os custos da obra foram divididos por igual foi passada pelo governdor Rui Costa, segundo o Blog do Anderson).

Herzem declarou que, mesmo com a aprovação de recursos da União, o Estado não tocou a obra, “a obra ficou travada”. Foi quando, segundo ele, José Maria, que liderava o movimento Conquista Pode Voar Mais Alto, o procurou, na condição de deputado, e lhe pediu que articulasse uma reunião com Geddel Vieira Lima e seu irmão Lúcio, que era deputado federal. Antes, José Maria teria estado com governador em exercício, Otto Alencar, que não deu atenção à proposta do aeroporto, ao contrário, fez blague, segundo o prefeito de Vitória da Conquista, dizendo: “Aeroporto de Conquista? Vocês estão brincando. Isso é sonho de buteco”. A audiência solicitada com Geddel e Lúcio foi marcada, disse Herzem, mas José Maria não foi. “Inventou uma história e não foi. Ele não foi, mas eu fui”. O empresário negou a versão do prefeito.

De acordo com Herzem Gusmão, graças à intervenção de Lúcio e Geddel, a pista foi concluída. “Vamos, agora, para o terminal”. Mais uma vez, afirmou o prefeito, José Maria Caires o procurou. “‘É, Herzem, tem que procurar Geddel e Lúcio porque não sai a obra. Me arranje uma audiência.’ Eu arranjei, ele não foi. Mas eu fui”. Desse contato, infere-se pela declaração do prefeito, ficou garantida a liberação de R$ 45 milhões para o terminal. Ao Estado coube uma contrapartida de apenas 0,01%, ou R$ 4,5 mi. [Na entrevista o prefeito disse, erradamente, R$ 45 mil, que seria 0,1%]. Neste momento Herzem aproveitou para elogiar Michel Temer, que teria liberado não apenas este valor, mas outros, como R$ 140 milhões da barragem do Catolé.

A explanação de Herzem teve o objetivo de contestar informação que teria sido dada por José Maria Caires de que o governo do Estado teria participado com metade do valor da construção do novo aeroporto. “Pra você chegar agora e dizer que o governo do Estado entrou com a metade e o governo federal entrou com a outra metade, induzindo os jornalistas ao erro.” José Maria nega.

Prefeito Herzem Gusmão ouve o que José Maria fala em evento sobre o gás natural (Foto: Giorlando Lima, em 31 jan 2019)

A RESPOSTA DE JOSÉ MARIA

As respostas do empresário foram dadas em entrevista a outro programa da Melodia FM, o Rádio Chofer, conduzido pelo jornalista Caíque Santos. José Maria disse que a entrevista do prefeito foi infeliz, quando ele disse que ele faltara com a verdade. “Primeiro, com relação ao âncora do programa Resenha Geral, que ao meu ver é um dos mais conceituados jornalistas da Bahia e que, em nenhuma hipótese, será induzido por qualquer entrevistado, e não seria por mim”, disse o dono da Nobel de Conquista, acrescentando que o prefeito se equivocou ao dizer que ele induzira o jornalista Robson do Val. “Ele não pode dizer isso”.

José Maria foi incisivo ao corrigir o prefeito quanto às audiências em Brasília que Herzem disse que ele não quis comparecer, e sobre qual governo teria liberado a verba para o terminal. Segundo ele, “na época o ministro [da Secretaria de Aviação Civil] Moreira Franco era ministro de Dilma Rousseff, era o governo de Dilma Rousseff, e ainda não era o governo de Michel Temer, portanto isso faz muito tempo e por isso, talvez, o prefeito Herzem Gusmão tenha esquecido das datas”.

“Mas eu queria dizer também que não fui a Brasília [com Herzem] porque não fui convidado”, declarou José Maria Caires, acrescentando que foi a Brasília em outro momento, com sete vereadores de Vitória da Conquista. “Portanto, não é verdade do prefeito. Eu não recusei de ir a Brasília, até porque não precisou, porque, na segunda-feira, foi feita uma entrevista no programa Resenha Geral, onde passou uma gravação do ministro Moreira Franco, dizendo que havia atendido nosso pedido. Portanto, acho que está bem claro que eu vou faltar com a verdade com a população de Vitória da Conquista”, esclareceu.

Com relação à participação financeira do governo do Estado na construção do novo aeroporto, José Maria Caires afirmou que não falou sobre isso. “Eu nunca disse que Estado contribuiu com qual valor. Eu tenho convicção de que a elaboração do projeto, que custou cerca de R$ 3 milhões, foi bancado pelo governo do Estado. Sei também que toda desapropriação da área foi contrapartida do estado da Bahia. Agora, esse percentual de 0,01%, eu não conheço o documento, nunca contestei, nunca entrei em valores, até porque não cabe ao movimento [Conquista Pode Voar Mais Alto] questionar quem foi que deu mais e quem deu menos. Para mim, o grande interesse é que o aeroporto saia”.

O empresário disse que, na condição de líder do movimento que cobrava a construção do aeroporto conversou com políticos de várias tendências, incluindo Geddel Vieira Lima. “Conversei com o senador Walter Pinheiro, com a senadora Lídice da Mata, com o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, que era deputado federal. Falei com Fabrício, Waldenor, Zé Raimundo, Guilherme e com Herzem Gusmão, várias vezes”. Segundo José Maria, o movimento Conquista Pode Voar Mais Alto “tem várias ramificações, várias tendências, e não foi só o deputado Lúcio Vieira Lima que ajudou na construção deste aeroporto de Vitoria da Conquista, mas foram várias mãos, várias cabeças e vários pensamentos. Todo mundo participou, inclusive Geddel Vieira Lima.”

Apesar de rebater o prefeito com firmeza, José Maria também lhe rendeu homenagem. “Gostaria de dizer que Herzem Gusmão, como radialista, foi uma peça fundamental no processo de viabilização da construção do novo aeroporto, como mobilizador da sociedade, como uma pessoa influente na formação de opinião, que, com certeza convenceu muitas pessoas que eram contra a construção do novo aeroporto”.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “Herzem diz que José Maria Caires, do Conquista Pode Voar Mais Alto, faltou com a verdade sobre aeroporto. Empresário rebate.

Comente