Anúncios

Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista toma posição para tentar evitar fechamento do Cami/Hospec 

Depois de um discurso veemente da diretora administrativa do Centro de Atendimento Médico Infantil (CAMI), antigo Hospec, Riolan Santana, proferido da Tribuna Livre da Casa, a Câmara de Vereadores se posicionou em relação à crise financeira que provocou a suspensão do atendimento na clínica localizada no bairro Brasil e, de forma praticamente unânime, se determinou a trabalhar no sentido de impedir que a mesma seja fechada de forma definitiva.

Segundo funcionários do Cami que participaram da sessão desta quarta-feira (27), a instituição, que é privada, entrou nessa crise por causa de má gestão da diretoria. Eles chegaram a afirmar que o principal fator foi a mistura da administração com a política partidária. A diretora Riolan Santana afirmou que tanto o Cami como os funcionários estão precisando de ajuda externa e apelou para que os vereadores ajudem na reforma da unidade. “Estamos necessitando de ajuda. Que vocês nos ajudem na reforma”, pediu Riolan.

“Há 26 anos temos uma luta diária. Temos vários impostos, situações internas, como processos trabalhistas, e nossa situação é cada vez mais grave”, detalhou a diretora do Cami. Segundo ela, a suspensão do atendimento, desde o dia 18 deste mês, se deu em cumprimento a determinação da Vigilância Sanitária que indicou uma reforma para que o hospital possa continuar suas atividades.

Os vereadores se dispuseram a trabalhar para tentar manter o Cami funcionando depois da reforma. Quase todos os que falaram na sessão mencionaram a questão e manifestaram seu interesse em ajudar a resolver. O líder da situação, vereador Luís Calos Dudé (PTB), como já fez outras vezes, chegou a garantir que a clínica não vai fechar. Em um arroubo governista, Dudé afirmou que “essa gestão que aí está é para gerir a Saúde e não para fechar hospitais”.

PRESIDENTE CONVOCA COMISSÃO

O presidente da Câmara, vereador Luciano Gomes (PR), ressaltou a importância do Cami para o atendimento da população da zona Oeste e de outras partes de Vitória da Conquista. Para Luciano, não se poderia pensar, sequer, na suspensão do atendimento, muito menos em fechar a unidade. “Recebemos aqui pais e mães de família desesperados porque vão perder seus empregos, a renda que tinham, sem contar que o fechamento vai deixar a cidade carente de serviço médico pediátrico gratuito”, disse.

Luciano aproveitou para destacar a luta do vereador Cícero Custódio (PSL) em favor do Cami desde que ainda era Hospec. “É preciso que se faça justiça, Cícero tem lutado muito e esse hospital não foi fechado há mais tempo por causa do empenho dele”, afirmou, acrescentando que designou a Comissão de Saúde da Câmara e mais alguns vereadores, principalmente os da Zona Oeste, para que se juntem ao  vereador Cícero Custódio na luta em favor do Cami. “Cícero é o grande lutador dessa causa, vamos lutar juntos com ele para impedir que o hospital seja fechado, porque essa unidade é importante para a população carente do nosso município”, salientou.

Segundo a Prefeitura de Vitória da Conquista, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, a presidência do CAMI garantiu que a suspensão do atendimento é por tempo indeterminado e servirá para que sejam feitas reformas estruturais e adequações do serviço, de acordo com as determinações da legislação vigente. “A Secretaria de Saúde informa, ainda, que os pacientes que necessitarem do atendimento oferecido pelo CAMI deverão se dirigir aos demais serviços credenciados na Rede Municipal.”

Anúncios

Comente

%d blogueiros gostam disto: