Emprego formal | Demissões superaram admissões em Vitória da Conquista em janeiro, mas desempenho em 12 meses é bom

Nos últimos 12 meses o município foi o que teve o maior saldo positivo entre contratações e demissões em números absolutos entre os dez maiores do estado, sem contar a capital, Salvador. Em termos percentuais ficou abaixo de Teixeira de Freitas. Em janeiro houve uma queda. O comércio foi o setor que mandou mais gente embora, já a construção civil contratou mais.

Foi negativo o saldo no mercado de trabalho de Vitória da Conquista no mês de janeiro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego divulgados, na quinta-feira (28). A diferença entre o número de contratados com carteira assinada e os demitidos foi de 62 pessoas. As 13.057 empresas instaladas no município fizeram 1.746 admissões e 1.808 desligamentos. Na microrregião considerada pelo Caged, envolvendo 17 municípios, aconteceram 2.029 admissões e 2.064 desligamentos, com o registro de 35 postos de trabalho a menos.

O Caged foi criado como registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). É utilizado pelo Programa de Seguro-Desemprego, para conferir os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais

De acordo com o cadastro, em Conquista o setor que mais demitiu foi o comércio. Foram 611 desligamentos e apenas 469 admissões, diferença negativa de 142 vagas. O Caged abrange, além do comércio, sete áreas de atividade: construção civil; serviços; indústria de transformação;  extratividade mineral; serviços industriais de utilidade pública (setor de energia elétrica, água e saneamento); administração pública (incluindo autarquias) e agropecuária, extração vegetal, caça e pesca (fazendas, etc.) e, à exceção da construção civil e a administração pública, todos apresentaram resultados negativos. Depois do comércio, a que mais perdeu postos de trabalho foi serviços, com 21 vagas a menos, e agropecuária, 14. A indústria de transformação demitiu 11 pessoas a mais do que contratou; serviços industrias, seis e extratividade mineral cinco.

Em comparação com o dezembro de 2018, o resultado foi melhor. Naquele mês 1.425 pessoas foram demitidas e 1.287 admitidas, uma diferença de 138 empregos. O comércio, que foi o maior responsável pelo saldo negativo de janeiro, em dezembro contratou 62 pessoas a mais do que demitiu. Já em relação a janeiro do ano passado o quadro deste ano foi pior. No começo de 2018 as empresas e instituições conquistenses das diversas áreas que mantêm trabalhadores com carteira assinada fizeram 1.691 contratações e mandaram embora 1.425 trabalhadores, com saldo positivo de 48 empregos.

Entre os 17 municípios da abrangência da microrregião, além de Vitória da Conquista, o BLOG destaca apenas três: Poções, Barra do Choça e Planalto. No primeiro o saldo foi positivo em janeiro, com 83 contratações e 44 demissões (39). Planalto também teve variação positiva, de dois empregos, com 21 admissões e 19 desligamentos. Barra do Choça registrou uma perda grande, com 123 trabalhadores de carteira assinada mandadas embora e apenas 83 admitidas, variação negativa de 40.

Apesar da queda em janeiro, com destaque para o comércio, os números dos últimos 12 meses são positivos e estão entre os melhores resultados do estado. Desde 1º de fevereiro de 2018 até 31 de janeiro deste ano foram contratados com carteira assinada em Vitória da Conquista 20.820 pessoas e demitidas 19.300, de acordo com o Caged, uma variação absoluta de 1.520 postos de trabalho a mais. O órgão do Ministério do Trabalho informa o município tinha 59.623 empregos formais no município em janeiro.

O desempenho na manutenção dos empregos formais em Vitória da Conquista, nos últimos 12 meses superam, em termos absolutos, os dez maiores municípios do estado da Bahia, à exceção da capital Salvador, que teve um saldo positivo de 2.954 e manteve 1,64% das contratações no decorrer dos 12 meses: 179.680 admissões e 176.726 dispensas. Vitória da Conquista manteve 7,30% dos empregos contratados. Em termos percentuais, Conquista só ficou abaixo de Barreiras.

O saldo de Feira de Santana foram 52 vagas, depois de 34.433 contratações e 34.381 demissões, manutenção de 0,15%. Camaçari perdeu 217 empregos das 23.433 contratações, diferença negativa de 0,93%. Juazeiro teve saldo positivo de 4,77% (16.127 admissões e 15.358 demissões); Itabuna diferença negativa de 15,90% entre as 7.885 contratações e 9.139 dispensas, foi a maior perda de todos com quase 50% acima da soma dos demais municípios que tiveram perdas, como Lauro de Freitas, que com 35.189 admissões e 35.631 dispensas, também teve resultado negativo: 1,25%. Ilhéus, por sua vez, contratou mais com carteira assinado do que demitiu nos últimos 12 meses (6.108 – 5.860, saldo de 248, ou 4,06%).

Jequié foi outro com perda de empregos formais, com uma diferença entre admissões (4.715) e demissões (4.786) de 71 vagas, ou uma perda de 1,50%. Já Teixeira de Freitas contratou mais que demitiu (10.471 – 9.308), com diferença positiva de 335 vagas, ou 3,98%. Em Barreiras também mais gente teve com a carteira assinada do que demitida, 10.471 para 9.308, com um saldo positivo de 11,10% (1.163 vagas mantidas). E Porto Seguro contratou 12.220 trabalhadores com carteira assinada e mandou 11.719 embora, ficando 505, ou 4,09%.

 

DESEMPENHO NA MANUTENÇÃO DOS EMPREGOS DE CARTEIRA ASSINADA EM 12 MESES
 

ADMISSÕES

DESLIGAMENTOS SALDO

%

VITÓRIA DA CONQUISTA

20.820

19.300 1.520 7,30

SALVADOR

179.680

176.726 2.954

1,64

FEIRA DE SANTANA

34.433

34.381 52 0,15

CAMAÇARI

23.287

23.504 -217

-0,93

JUAZEIRO

16.127

15.358 769

4,77

ITABUNA

7.885

9.139 -1.253

-15,90

LAURO DE FREITAS

35.189 35.631 -442

-1,25

ILHÉUS

6.108

5.860 248

4,06

JEQUIÉ

4.715 4.786 -71

-1,50

TEIXEIRA DE FREITAS

8.422

8.087 335

4,57

BARREIRAS

10.471

9.308 1.163

11,10

PORTO SEGURO

12.220

11.719 505

4,09

NÚMEROS DE VITÓRIA DA CONQUISTA

ÚLTIMOS 12 MESES
Admissões: 20.820
Desligamentos: 19.300
Empregos formais: 59.623
Estabelecimentos: 13.057
Variação absoluta: 1.520

DEZEMBRO 2018
Admissões: 1.287
Desligamentos: 1.425
Variação absoluta: -138

JANEIRO 2018
Admissões: 1.691
Desligamentos: 1.643
Variação absoluta: 48

JANEIRO 2019
Admissões: 1.746 – 86,05%
Desligamentos: 1.808 – 87,60%
Variação absoluta: – 62

POR ATIVIDADE (JAN 2019)

Comércio
Admissões: 469 – 91,07%
Desligamentos: 611 – 89,99%
Empregos formais em janeiro: 17.548 – 86,10%
Estabelecimentos: 5.091 – 71,87%
Variação absoluta: -142

Construção Civil
Admissões: 333
Desligamentos: 197
Empregos formais em janeiro: 3.518
Estabelecimentos: 600
Variação absoluta: 136

Serviços
Admissões: 624
Desligamentos: 663
Empregos formais em janeiro: 25.635
Estabelecimentos: 5.633
Variação absoluta: -21

Indústria de transformação
Admissões: 264
Desligamentos: 275
Empregos formais em janeiro: 10.472
Estabelecimentos: 992
Variação absoluta: -11

Extratividade mineral
Admissões: 0
Desligamentos: 5
Empregos formais em janeiro: 180
Estabelecimentos: 26
Variação absoluta: -5

Serviços industriais de utilidade pública (setor de energia elétrica, água e saneamento)
Admissões: 4
Desligamentos: 10
Empregos formais em janeiro: 495
Estabelecimentos: 19
Variação absoluta: -6

Administração Pública
Admissões: 4
Desligamentos: 3
Empregos formais em janeiro: 268
Estabelecimentos: 10
Variação absoluta: 1

Agropecuária, Extração Vegetal, Caça e Pesca
Admissões: 30
Desligamentos: 44
Empregos formais em janeiro: 1.507
Estabelecimentos: 686
Variação absoluta: -14

MICRORREGIÃO (JAN 2019)
Admissões: 2.029 – 3,60%
Desligamentos: 2.064 – 3,82%
Empregos formais em janeiro: 69.251 – 3,52%
Estabelecimentos: 18.168 – 3,45%
Variação absoluta: – 35

BARRA DO CHOÇA
Admissões: 83 – 3,60%
Desligamentos: 123 – 3,82%
Empregos formais em janeiro: 1.876– 3,52%
Estabelecimentos: 932
Variação absoluta: -40

POÇÕES
Admissões: 83 – 3,60%
Desligamentos: 44– 3,82%
Empregos formais em janeiro: 1.908– 3,52%
Estabelecimentos: 792,
Variação absoluta: 39

PLANALTO
Admissões: 21
Desligamentos: 19
Empregos formais em janeiro: 847
Estabelecimentos: 396
Variação absoluta: 2

 

 

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente