Anúncios
Arte e entretenimento

Memória | Há dois anos Conquista perdia Sara de Castro e Paulo Mascena 

Os dois se conheciam e muitas vezes estavam envolvidos na mesma coisa. Sara de Castro era jornalista e uma radialista das melhores. Com passagens por várias emissoras de Vitória da Conquista, ela trabalhava na Uesb FM. Profissional responsável, competente e respeitosa em suas relações de trabalho e pessoais, Sara também encantava com a voz de contralto em casamentos, eventos religiosos ou mesmo em momentos de confraternização entre amigos. Quem a conhecia a apreciava. Era uma pessoa de hábitos saudáveis, mesmo assim foi assaltada por um Acidente Vascular Cerebral (AVC) no dia 27 de fevereiro de 2017. Foi levada pelos amigos ao Hospital IBR, mas não conseguiu se recuperar e, na tarde do dia 2 de março, os médicos informaram à única pessoa da família presente, uma prima, que ela tivera morte cerebral.

Paulo Mascena era produtor cultural. Atuava e dirigia peças de teatro e promovia espetáculos e artistas. Era ele mesmo um artista. Assim como Sara, que foi a primeira repórter mulher da TV Sudoeste, ele também trabalhou lá. Fazia a produção de comerciais. Ativo, desenvolto, cavalheiro e inteligente, Paulo conquistou a cabeça e o coração de muita gente. Andava na Olívia Flores e cuidava da saúde. Embora fosse um homem da noite, não exagerava. Sequer fumava quando um câncer de pulmão apareceu e levou oito meses corroendo o corpo e as energias dele e maltratando a esperança dos filhos, da família e dos amigos que ele tinha muitos. Oito meses e uma madrugada depois, ele nos deixou. A gente se despediu dele no dia 3 de março.

Pessoalmente, lembro do peso daquele dia. Sara ainda estava no hospital, aguardando que um familiar até segundo grau de parentesco comparecesse para confirmar seu desejo de doar os órgãos. A prima que estava lá não podia fazer isso. Paulo estava na capela do São Vicente, cercado de amigos. Era dolorido vê-lo ali, inerte, sem poder falar nada. Mas, como disse um amigo em comum, é como se ele tivesse produzido mais um evento que todos foram participar. Já Sara não pôde fazer a doação. Ficou dois dias no hospital e as regras não autorizaram os médicos a retirar os órgãos. Ela foi velada na Igreja Metodista, da Avenida Frei Benjamim, onde cantaram para ela, e seu corpo sepultado no dia 4, à tardinha, também no cemitério da Saudade.

Deixaram memória. Mas, pode chamar de saudade.

Anúncios

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 56 anos de idade, 40 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

4 comentários em “Memória | Há dois anos Conquista perdia Sara de Castro e Paulo Mascena 

  1. Heraldo Gusmão

    Lindo texto, amigo Gio. Lacrimejei aqui

  2. Morena Mascena

    Que homenagem bonita. Realmente a saudade é grande…

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: