Anúncios
Polícia Sociedade

Caso de médico conquistense acusado de assédio sexual gera grande debate nas redes sociais


 

Esta terça-feira trouxe para o caso do médico conquistense acusado de assédio sexual a parte da imprensa conquistense que estava em silêncio. Uma nota oficial da OAB, emitida ontem, colocando a entidade à disposição de 24 mulheres que a procuraram em busca de apoio técnico-jurídico, e a publicação de matéria no Correio, jornal estadual, acabou fazendo com que a maioria dos blogs também tratasse do assunto, aumentando a repercussão do caso e ampliando o debate.

Segundo o Correio, em matéria do excelente repórter Mário Bittencourt, “por conta das publicações nas redes sociais o caso já está sendo alvo de investigação na Delegacia de Atendimento Especial à Mulher (Deam), cuja delegada titular, Dercimária Cardoso Gonçalves, informou que abriu na segunda-feira (13) uma ‘investigação pública incondicionada’ para averiguar as denúncias.”

A polícia pode abrir uma investigação sem que seja necessário uma queixa. Isso acontece se o fato chega ao conhecimento da autoridade policial por qualquer meio, sejam blogs, redes sociais ou pelo boca a boca. É que se chama de notitia criminis. Se ela ocorre com relação a uma suspeita de crime cuja ação penal é pública incondicionada, como no caso dos crimes sexuais, de acordo com a lei 13.718/18, que colocou nessa condição o crime sexual, independente de a vítima ser ou não vulnerável, ser ou não maior de 18 anos, praticado com ou sem violência real, é possível abrir o inquérito policial de ofício, sem precisar de queixa ou pedido do Ministério Público, por exemplo.

Ainda de acordo com o Correio 24 horas, a delegada Dercimária Cardoso disse que o primeiro passo está sendo identificar quem fez a denúncia na citada rede social. “Já temos algumas pistas de quem seja, mas ainda estamos buscando informações”, afirmou a delegada.

A autoridade policial disse que não havia nenhuma queixa contra o médico apontado na denúncia e que a expectativa era de que depois da publicação apareçam pessoas na delegacia para fazer denúncias formais. Segundo o Correio, a delegada chegou a ver os relatos e os achou “muito fortes”.

DEBATE

As denúncias contra o médico Orcione Júnior foram postadas em um perfil no Instagram que entrou no ar na quinta-feira (9) e em poucas horas já tinha milhares de seguidores (já são 6.257), curtidas e comentários, a maioria apoiando as denúncias, que foram surgindo com o passar das horas. Por meio do advogado, Paulo Tarso, o médico nega que tenha praticado os crimes de que é acusado. Para o defensor, ele é vítima de uma armação coletiva, com a intenção de praticar um linchamento moral contra o cliente dele.

O advogado anunciou que pediria que o Instagram retirasse o perfil do ar e entraria com ações contra a pessoa que criu a conta, contra quem a divulhou e contra todos os que repercutiram as denúncias. Para Paulo de Tarso, “a maldade humana, parece, que não tem limite”. Na segunda-feira (13), ele disse ao BLOG que o Instagram não aceitou retirar o perfil do ar e por isso havia entrado com uma ação contra o aplicativo. Disse também que entraria com processos individuais contra os acusadores do médico. Fizemos novo contato com Paulo de Tarso, mas ele ainda não respondeu.

Já a advogada da pessoa que começou o movimento foi contactada pelo BLOG, mas também não havia respondido às perguntas até o encerramento desta matéria. A denunciante, que permanece anônima – pelo menos para este BLOG – diz que prefere continuar sem aparecer, mas que afirmou que está tomando todas as providências para provar o que diz contra o médico. Ela e outras.

Na segunda, 24 mulheres procuraram a OAB e levaram suas histórias, reafirmando o que têm dito no Instragram e pedindo posicionamento da entidade para conseguir uma rápida investigação das denúncias. A OAB emitiu nota oficial dizendo que acolheu o pleito e prontamente encaminhou expediente às autoridades competentes, reivindicando a adoção de medidas. Segundo a nota, a entidade vai acompanhar o desenrolar das ações das autoridades e se ofereceu para dar apoio técnico-jurídico às ofendidas em seu direito e dignidade, “o que fará por intermédio das comissões temáticas envolvidas [Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e Comissão da Mulher Advogada]”.

Um dos blogs que repercutiu o assunto ao reproduzir na íntegra a matéria do Correio, foi o Blog do Sena, que postou o link no grupo OLX do Facebook. Até as 18h37 já tinham ocorrido 407 comentários só nesta postagem. Na soma de todas as postagens do mesmo assunto feitas pelo blog do Sena em grupos do Facebook eram cerca de 500 comentários com vários tipos de abordagem, desde repulsa a defesa do médico. A discussão cresce e em alguns momentos os posicionamentos geram rápidos entreveros. O debate está rendendo uma outra polêmica, sobre a atuação masculina como ginecologistas. Tem quem diga que nunca esteve com um médico para essa consultas íntimas e as que afirmam que nunca mais procurarão hpmens quando precisarem de consultas ou exames ginecológicos.

O BLOG ouviu profissionais, homens e mulheres sobre essa polêmica e amanhã publicará matéria.

Anúncios

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 56 anos de idade, 40 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

0 comentário em “Caso de médico conquistense acusado de assédio sexual gera grande debate nas redes sociais

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: