Saldo de empregos com carteira assinada em abril é o melhor no ano em Vitória da Conquista

Setor de serviços foi o que contratou mais. Depois de três meses com saldo negativo, quantidade de contratações é maior do que demissões no comércio. Empregos também aumentam na indústria. Dados são do Caged.

Apesar do resultado dos últimos 12 meses não ser tão bom, com queda no número de contratações por carteira assinada e o menor saldo entre admissões e demissões, abril registra um saldo positivo de 174 postos de trabalho, com 1.823 carteiras assinadas e 1.649 desligamentos. Fica bem atrás na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando ocorreram 1.967 contratações e 1.562 dispensas, com saldo de 405, mas é o segundo melhor no período de 12 meses, perdendo para setembro de 2018, quando 1.901 pessoas foram contratadas e 1.370 mandadas embora, saldo positivo de 531 empregos.

O setor que mais contribuiu para os bons números de abril foi o de serviços, que assinou a carteira de 706 trabalhadores e só dispensou 577, saldo de 129. O setor emprega em torno de 25.600 pessoas em Vitória da Conquista. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e foram divulgados nesta sexta-feira (24).

Logo depois os melhores números são da indústria, com 341 contratações e 271 demissões e a manutenção de 70 empregos. São cerca de 10.500 trabalhadores na indústria conquistense. O comércio, segundo maior empregador, com mais de 17.500 trabalhadores, teve um saldo muito pequeno em abril, foram 508 contratados ante 502 dispensados, apenas seis de saldo. É a primeira vez que o setor tem resultado positivo desde dezembro, quando teve saldo de 62 empregos. Em janeiro (-142), fevereiro (-67) e março (-76) o número de contratações foi interior às demissões. Nos três meses, 1.394 trabalhadores tiveram as carteiras assinadas e 1.679 foram dispensados, com saldo negativo de 285.

Outro setor com resultado positivo foi o de serviços industriais de utilidade pública, que contratou 15 pessoas e demitiu 11, com saldo de 4. É o setor onde estão as empresas concessionárias de energia elétrica, água e saneamento, que empregam aproximadamente 500 pessoas em Vitória da Conquista. Administração pública também empregou mais do que demitiu, com um emprego de saldo.

O setor com o pior resultado foi a construção civil, que emprega 3.518 trabalhadores com carteira assinada em Vitória da Conquista, segundo o Caged. Foram 242 dispensas contra 212 contratações, saldo negativo de 30. Também tiveram resultados ruins os setores de extrativismo mineral, que contratou apenas uma pessoa com carteira assinada em abril e demitiu quatro; a agropecuária, que teve saldo negativo de três empregos, com 34 admissões e 37 desligamentos. O setor da agropecuária emprega mais de 1.500 trabalhadores no município.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO.

EM 12 MESES

De maio de 2018 a abril foram assinadas 20.666 carteiras de trabalho em Vitória da Conquista e foram dispensados 19.468 trabalhadores, um saldo de 1.198 empregos mantidos. É o menor resultado para 12 meses contabilizado este ano. Em março, considerando o mesmo período, o saldo era de 1.429; fevereiro de 1.580 e janeiro de 1.560. No período, três atividades tiveram saldo negativo entre as contratações com carteira assina e as demissões: comércio, agropecuária e extrativismo mineral.

O comércio, aliás, tem saldo negativo de 279 vagas no ano (janeiro a abril), com 1.902 admissões e 2.181 desligamentos. Bem diferente dos outros dois maiores empregadores, os setores de serviços, que teve um saldo de 333 empregos – 2.762 contratações e 2.429 demissões – e da indústria, que empregou 1.169 e dispensou 1.081, com resultado positivo de 88, nos quatro primeiros meses de 2019. Já a agropecuária assinou 120 carteiras de trabalho e dispensou 168 pessoas, com saldo negativo de 48. E o extrativismo perdeu 15 postos de trabalho.

Dos cinco setores que tiveram resultados positivos, serviços industriais de utilidade pública teve o maior percentual 44,2% dos empregos que foram mantidos no período. Em seguida, a indústria teve 11,9%, com 2.890 demissões ante 3.281 carteiras assinadas. A administração pública e autárquica, com 10,4%, ficou em terceiro, serviços em quarto, 8,6%, e construção civil em quinto lugar, com 4,6%.

Em termos absolutos, o primeiro lugar ficou com o setor de serviços, 661 empregos de saldo; indústria, 391; construção civil, 129; serviços industriais de utilidade pública, 73, e administração pública e autárquica, com saldo de 10.

VEJA AS TABELAS

ATIVIDADE SALDO ADMISSÕES DESLIGAMENTOS EMPREGOS FORMAIS*
SERVIÇOS 129 706 577 25.635
INDÚSTRIA 70 341 271 10.472
COMÉRCIO 6 509 502 17.548
SERVIÇOS INDUSTRIAIS DE UTILIDADE PÚBLICA 4 15 11 495
ADM PÚBLICA 1 6 5 268
EXTRATIVISTA MINERAL -3 1 4 180
AGROPECUÁRIA -3 34 37 1.507
CONSTRUÇÃO CIVIL -30 212 242 3.518
GERAL 174 1.823 1.649 59.623

* – REFERÊNCIA: JANEIRO DE 2019

SALDO DE EMPREGOS POR SETOR* – DE JANEIRO A ABRIL
SETOR ADMISSÕES DEMISSÕES SALDO
SERVIÇOS 2.762 2.429 333
COMÉRCIO 1.902 2.181 -279
INDÚSTRIA 1.169 1.081 88
CONSTRUÇÃO CIVIL 1.100 886 214
AGROPECUÁRIA 120 168 -48
SERVIÇOS INDUSTRIAIS DE UTILIDADE PÚBLICA 40 32 8
ADM. PÚBLICA E AUTÁRQUICA 25 25 0
EXTRATIVISTA MINERAL 1 15 -14
GERAL 302 7.119 6.817

*  – PELA ORDEM DO NÚMERO DE EMPREGOS FORMAIS

SALDO DE EMPREGOS POR SETOR* – 12 MESES (MAIO 2018 A ABR 2019)
SETOR ADMISSÕES DEMISSÕES SALDO
SERVIÇOS 7.660 6.999 661
COMÉRCIO 5.904 5923 -19
INDÚSTRIA 3.281 2.890 391
CONSTRUÇÃO CIVIL 2.789 2.660 129
AGROPECUÁRIA 760 792 -32
SERVIÇOS INDUSTRIAIS DE UTILIDADE PÚBLICA 165 92 73
ADM. PÚB. E AUTÁRQUICA 97 86 10
EXTRATIVISTA MINERAL 11 26 -15
GERAL 20.666 19.468 1.198

*  – PELA ORDEM DO NÚMERO DE EMPREGOS FORMAIS

 

4 Replies to “Saldo de empregos com carteira assinada em abril é o melhor no ano em Vitória da Conquista”

  1. parabéns pela formato da noticia, como é bom ver uma noticia da nossa região com apresentação de dados ao invés do achismo que esta presente na maioria dos blogs da região.

  2. Anotei tudo para passar aos colegas, O blog está excelente. O bom desse blog e o jornalismo feito em relação ao noticiário.

    1. Por enquanto, não há essa definição. O voto continuará igual, a não ser que um projeto de lei seja aprovado mudando isso, até o dia 3 de outubro deste ano. Mas, farei uma matéria esta semana sobre as regras e as possibilidades das próximas eleições. Obrigado por ler, comentar e sugerir a pauta. Obrigado.

Comente