Janeiro a maio | Números da criminalidade continuam em queda em Vitória da Conquista


Considerada uma das melhores cidades para se viver no Brasil, Vitória da Conquista ainda ostenta uma das maiores taxas nacionais de assassinatos por 100 mil pessoas e a divulgação desse dado tem ajudado a criar uma desconfiança em relação à segurança na cidade. Em 2018, a taxa chegou a 50,46. No entanto, nos últimos 11 meses, a redução na quantidade crimes violentos letais intencionais (CVLI) tem sido notável. O resultado é atribuído à atuação da Polícia Militar nas áreas de maior registro de tráfico de drogas e de conflitos entre gangues de traficantes e a um destacado trabalho de investigação da Polícia Civil, que tem dado respostas cada vez mais rápidas para os casos ocorridos no período.

Nos cinco primeiros meses de 2017 aconteceram 73 crimes violentos letais intencionais em Conquista. Em 2018, foram 93. Já este ano, até esta data, são 48, sendo 47 homicídios dolosos e um feminicídio. Estes números representam 34,24% a menos que 2017 e 48,38% a menos que no ano passado. Em uma projeção livre, 2019 chegaria a 115 assassinatos, ainda com três dígitos. Desde 2003, o único ano em que a quantidade de CVLI ficou abaixo de 100 no município foi em 2006, com 98. Baixar os assassinatos a dois dígitos no ano é uma meta na qual pouca gente acredita, nem mesmo a polícia, mas, se ocorresse, a taxa de violência cairia para menos 30 mortes por grupo de 100 mil habitantes.

Continua depois do anúncio.

MENOS ROUBOS

Além da queda nas mortes violentas intencionais, também caíram significativamente as ocorrências de crimes violentos contra o patrimônio (roubo) e furtos . No primeiro caso, até o dia 26 de maio foram 340 registros de roubos, dos quais três a estabelecimentos comerciais, dois a ônibus (urbano e em rodovia), três a residências e 269 a pessoas andando na rua. A quantidade de veículos roubados, incluindo carros e motos, segundo dados conseguidos pelo BLOG, chegou a 63 veículos nos cinco meses, até domingo (26).

Quase todas modalidades de crimes violentos contra o patrimônio tiveram redução, considerando a média deste ano com o mesmo período do ano passado e de 2017. Foram 2.283 em 2017, uma média 190,25 por mês ou 951 entre janeiro e maio. Em 2018 foram 1.663 roubos, média de 138,5 por mês e 693 nos cinco primeiro meses. Por essa métrica livre, não oficial, ressaltamos, a redução teria sido de 35,75% em comparação com 2017 e 20,44% com 2018.

EXCEÇÃO

Mas, por esse parâmetro, a quantidade de roubos de carro ficou acima da de 2018, que teve 149 ocorrências no ano todo, média de 12,4 por mês. De janeiro a maio de 2019 a média é 12,6. Mas, fica bem abaixo de 2017, quando 347 veículos foram roubados, média de 27 por mês.

Em 2018, 1.382 pessoas foram assaltadas na rua, o que dá uma média de 123,5 mensalmente, e levaria a soma entre janeiro e maio a 617,5. Em 2019, até o dia 26 de maio, 269 transeuntes foram roubados, se continuar nessa média a quantidade no ano poderá ficar abaixo da metade de 2018 e 65% abaixo de 2017.

Os furtos também mostram queda. Pelo números obtidos pelo BLOG, foram 164 furtos a transeuntes, 100 de veículos, 70 em residências e três de carga. No ano passado, 1.062 transeuntes foram vítimas dessa modalidade de crime. Em 2017, aumentou: 787. Este ano, considerando a média mensal, o número poderá chegar a 394. No caso do furto de veículos a média dos últimos cinco meses é 20, o que projeta em 240 para o ano todo, abaixo de 2017, mas acima de 2018 quando foram 210 ocorrências. Os furtos em residências foram 258 no ano passado, média de 21,5 ao mês, agora, a média está em 14/mês.

* ATUALIZADA EM 2 DE JUNHO DE 2019, ÀS 20h08

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente