Marcos Ferreira na Band FM: novos programas às 13 e às 18 horas. “Sem política partidária”


 


Marcos Ferreira foi formado na UFBA e teve sua principal experiência como executivo na Rede Bahia, quando foi diretor da TV Sudoeste, em Vitória da Conquista, por 15 anos. E é radialista, com registro na Delegacia Regional do Trabalho. Também passou pela política, participando como consultor em pelo menos uma campanha estadual. Há pouco mais de três anos ele retornou para Vitória da Conquista, depois de quase dez anos em Salvador. Veio a convite do então candidato a prefeito, Herzem Gusmão, para coordenar a sua campanha.

Nomeado secretário do Gabinete Civil, respondeu no início da gestão por mais três áreas: Governo, Comunicação e Meio Ambiente, e ainda partes da Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer. Tanta responsabilidade decorria da relação de confiança criada com o prefeito e que se confirmou no decorrer do mandato. Marcos é um dos quatro secretários que não saíram das pastas que ocupam desde o início do governo, os demais são Irma Lemos, vice-prefeita e titular do Desenvolvimento Social, José Antonio Vieira, da Infraestrutura e Claudio Cardoso, de Trabalho, Renda e Desenvolvimento Econômico.

Marcos Ferreira, no entanto, deixa prefeitura na próxima sexta-feira (31). Sai da administração para assumir uma nova tarefa na área que ele mais gosta e onde se fez conhecido: a comunicação. A partir do dia 1º de junho ele será o diretor-executivo da Band FM, de Vitória da Conquista. Tem a missão de garantir à emissora a liderança em audiência na cidade e na região, aumentar o faturamento da empresa e, claro, fazer radialismo. Marcos diz que fez uma excelente negociação com as donas da emissora, Kátia e Fátima Rebouças, que lhe garantiram total autonomia. Mas, ele garante que não vai fazer política na emissora. “Não cabe”, afirma.

Segundo o executivo, “o projeto envolve um remodelamento da gestão, administrativo, financeiro e, acima de tudo de faturamento da casa, com o potencial enorme que ela tem, relacionamento com as agências, com o mercado, reposicionamento da marca e, também, na área de radialismo, propriamente dita. Quem me conhece sabe que eu sou administrador de empresas, formado pela Universidade Federal da Bahia, mas o título que eu mais gosto é o de radialista. Tive oportunidade de fazer contato de novo com essa área no ano passado e no início deste ano, trabalhando em outras rádios, fazendo programas semanais, então, retomei o gosto. E aí essas duas coisas meio que se fundiram, num convite bem interessante feito pelas doutoras Fátima e Kátia Rebouças para que assumisse a Band, na condição de diretor-executivo.”

E ele fala com muito entusiasmo do novo momento. Diz que é um ponto alto em sua vida, considerando que escolheu Vitória da Conquista como lugar onde poderia viver com qualidade, fazendo o que mais gosta, e que o entusiasmo é maior ainda porque ele poderá, mais do que gerir a emissora, participar como radialista, assumir a bancada, como se diz na área. “Adoro rádio. E sabe por que o rádio não vai acabar? Porque o rádio é companhia. Eu temo muito o que vai acontecer com a TV aberta, mas rádio é companhia, por isso não morre”

Ao BLOG, Marco adiantou que estará na bancada da rádio de segunda a sexta, às 13 horas, ao lado do tarimbado Mac Donald, no novo Jornal Band News.

No Jornal Band News Marcos e MacDonald farão entrevistas, abordarão temas de interesse comunitário, prestação de serviço e os fatos do dia. “Se me permite a imodéstia, volto ao rádio em grande estilo, ao lado do meu querido amigo Mac Donald, com convidados, entrevistas, um dia sobre empreendedorismo, um dia de saúde, o Band Saúde vai voltar, esporte, prestação de serviço, um quadro com a OAB para ajudar as pessoas e muitas atrações, de forma dinâmica, que as pessoas vão gostar”.

O programa de Mac Donald e Marcos Ferreira também será transmitido ao vivo pelas redes sociais. “A população vai perceber logo as mudanças. Na maneira de comunicar do nosso pessoal, no papo, no que vai para o ar. Ouvindo e vendo, porque vamos transmitir o programa na internet. Quem ouviu a vida inteira o jornalismo da Band Conquista, com Dilton Rocha, por exemplo, que tanta falta faz, vai agora também poder ver no celular, no carro, no computador, em casa, com Mac Donald, nosso grande âncora, competentíssimo, que eu reputo como um dos maiores nomes da comunicação baiana, fazendo o novo Jornal Band News.”

As mudanças de horário e de nome do programa jornalístico, não serão as únicas.

Permanece o Manhã Show, apresentado por Zenon Barbosa, mas o Arquivo da Band matutino sai para dar lugar ao Quem Ama Não Esquece, uma atração nacional que tem à frente a comunicadora Márcia Soares, conhecida por Marcinha, um dos programas mais ouvidos do Brasil, com histórias emocionantes vividas por pessoas reais. “Para mim, é um golaço. Tem conselho sentimental – quem não gosta de conselho sentimental? -, tem romantismo e muita emoção. E essa é uma das grandes novidades que começam nesta nova fase da Band Conquista”.

Marcos Ferreira já conversou com os funcionários da Band

Marcos diz que a programação mesclada é uma escolha visando ganhar novos ouvintes em perder a cara local. “Nos deram uma opção de fazer a Band News, mas teria que ser 100%, então, optamos por investir na programação local entremeando com uma programação de rede que tenha também uma cara local, alternando alguns horários que já existem, mas em novo formato, e remodelando, de uma forma completa, o nosso carro-chefe, que é o jornalismo, mudando o Band Revista de horário e nome, passando a se chamar Jornal Band News”.

O executivo explicou que se a direção da rádio tivesse optado pela Band News, além de perder o tom local, a emissora deixaria de transmitir a Hora do Ronco, que vai ao ar de 6 às 9 da manhã. “Se entrássemos para a Band News perderíamos, simplesmente, a Hora do Ronco, programa que é líder no rádio conquistense há dez anos. Para mim era claro que tínhamos que manter. Todo mundo ouve a Hora do Ronco”.

Entre as novidades pode estar a subtituição do programa Conquista de Todos, apresentado pelo historiador e comunicador Elton Becker, de segunda a sexta-feira, entre 18 e 19 horas, informou Marcos Ferreira. “Quero muito, em breve, utilizar esse horário. Porque o horário das 18 horas é campeão e hoje ele não está sendo bem utilizado.”

A matéria continua depois do maravilhoso banner da Pietri


O horário é alugado pelos deputados José Raimundo e Waldenor Pereira, a sua intenção seria tirar o tom político? E os demais horários, também ficariam livres dessa abordagem? A política desaparece da programação
?

“O importante é frisar que não interessa quem está fazendo o programa, quem apresenta, se os deputados estão investindo. Não importa. A rádio preza que o cliente, quem quer seja, a use dentro de uma ética, do respeito e dos padrões da comunicação. O que eu acho é que a rádio tem que estar livre dessas questões político-partidárias o dia inteiro, o tempo todo. É assim que se cria uma independência numa rádio. A verdade é que todo veículo de comunicação tem uma linha editorial, uma forma de pensar, e nós vamos ter a nossa aqui, mas livre, ouvindo os dois lados, com respeito, com atenção, sem ser capcioso, sem ser partidário. Essa é uma coisa que a gente quer afastar daqui e temos o aval das acionistas para isso.”

O novo diretor da Band Conquista diz que não haverá mudança abrupta no horário das 18 horas, que ele considera um dos melhores do rádio. “Evidente que temos que respeitar quem já está conosco há muito tempo, não faremos uma coisa extemporânea, avisando ‘não volte aqui segunda-feira”, mas vamos conversar com as pessoas que estão fazendo isso, com essa linha editorial, que distorce e macula a credibilidade da emissora, qualquer que seja o lado. Não é tirando um partido e botando outro. Por exemplo, alguém pode pensar que sai Elton e vai entrar no prefeito na semana seguinte. Jamais. Não é assim que funciona. Perderia a credibilidade. Nesse caso precisamos ter isenção, mais do que independência, isenção.”

Ele diz que para o horário das 8 às 19 horas, que ele considerado espetacular, a ideia é colocar um programa leve. “Se eu pudesse chamaria de Programa Livre, mas a marca já é registrada. As pessoas estão saindo à 18 horas do trabalho ou de casa não querem saber de política, de polícia, quer informação da hora, saber como está o trânsito, o que tem para fazer à noite, um futebolzinho, cultura, uma música bacana.”

Para Marcos Ferreira, a modificação pretendida não tem ligação com pessoas, mas com uma linha a ser adotada pela emissora. “Não é nada contra ninguém. É que quando você faz um programa que está atrelado a uma cor partidária e durante o programa você fala: ‘Você está na Band’, ‘aqui é 99.1’, você está dizendo que a rádio está falando aquilo. Não tem como separar. E isso não serve com nenhum lado e eu quero ficar livre disso.”

Essa mudança seria imediata, como as demais, ou leva um tempo?

“Tem que levar um tempo, porque é como eu falei, tem que respeitar quem está na casa há muito tempo. São clientes e não interessa ir para cima. Temos que conversar com as pessoas primeiro, saber o que elas acham disso. Mas, é essa uma decisão empresarial, das acionistas, dos diretores desta casa e que terá que ser respeitada se vir a acontecer. Não faremos nada sub-reptício, amanhã ou depois, respeitaremos, comercialmente, quem está conosco há tanto tempo”.

A TV está vindo?

“Sim. O sinal será aberto. O diretor Augusto Correia estará aqui explicando melhor. Mas, o sinal será aberto e nos foi dada a possibilidade de produzir um programa local de meia hora, no sábado ou no domingo pela manhã.”

Marcos diz que passa as notícias ao BLOG em primeira mão, mas que já estão aprovadas pela diretoria e pelas equipes. “As novidades vão dar um tom muito bacana ao rádio, com essa mescla da programação nacional com a local, mantendo nossa personalidade”.

Todos os detalhes, outras novidades e a forma como a Band pretende estreitar o relacionamento com o mercado, agências e anunciantes, Marcos diz que serão passados em um coquetel de apresentação no dia 6 de junho, na Bela Casa Eventos. Na oportunidade estará presente o coordenador-geral de rádio da Rede Band, Roberto Rampazzo, Betinho, para reforçar o interesse do grupo nas novidades da emissora local.

Comente