Herzem Gusmão solicita mais recursos para a saúde de Vitória da Conquista em reunião com ministro

No ano passado, o município de Vitória da Conquista recebeu R$ 142.763.396,06 de repasses da União para a saúde. Este ano, até junho, o valor chega a R$ 72.463.345,99. Desse total cerca de 75 correspondem ao financiamento dos atendimentos de média e alta complexidade, a exemplo da assistência ao paciente oncológico e cirurgias complexas como do coração. Como a saúde pública em Conquista é plenamente municipalizada, é a Prefeitura que tem que pagar – com esse dinheiro e com uma parte de sua receita – a conta dos serviços prestados por hospitais e clínicas credenciados pelo SUS.

De acordo com o prefeito Herzem Gusmão, como Vitória da Conquista atende mais do que a sua população, sendo centro de referência para dezenas de municípios, a conta está alta e precisa de mais recursos do governo federal. Em 2018, os gastos com a saúde somaram R$ 236.920.842,50, dos quais R$ 81.821,893,98 custeados com recursos próprios, 23,92% da receita municipal. Pela Constituição, o município deveria entrar com 15%.

E foi isso o que Herzem foi conversar com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na última quarta-feira (10), em Brasília. Ao lado da secretária de Saúde Ramona Cerqueira, o prefeito apresentou o trabalho que o governo municipal tem realizado para melhorar o atendimento em saúde de Vitória da Conquista e solicitou um aumento nos repasses da União para o município.

O argumento do prefeito para convencer o ministro é o fato de Vitória da Conquista ser polo regional e principal centro de saúde do Sudoeste da Bahia e de parte do Norte de Minas Gerais, o que atrai milhares de pessoas em busca dos serviços e gera uma demanda maior que a prevista. Um dado ajuda a entender: há mais de 700 mil cartões SUS, enquanto a população do município não chega à metade disso, de acordo com o IBGE. “E a situação financeira ficou mais complicada após perdemos, recentemente, recursos da Média e Alta Complexidade com a reformulação da Programação Pactuada e Integrada (PPI). Por isso, fomos ao ministro pleitear mais recursos e habilitações de novos serviços”, explicou o prefeito Herzem Gusmão.

Para Luiz Henrique Mandetta Herzem destacou que, mesmo diante das dificuldades, o município tem avançado na melhoria das unidades de saúde da família e aumentado a cobertura na Atenção Básica. “Tenho certeza que, com o estreitamento das relações com o governo federal, poderemos fazer muito mais”, argumentou o prefeito na reunião.

Na oportunidade, também foi abordada a necessidade de priorização da Atenção Básica. “Com isso, estamos buscando atuar de maneira preventiva com o intuito de proporcionar mais qualidade de vida para a população e, assim, prevenir o surgimento de doenças”, destacou a secretária de Saúde, Ramona Cerqueira.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente