Prefeitura de Conquista diz que assume fiscalização do trânsito na Av. Integração se via receber radares e câmeras

Na semana passada, por meio do superintendente regional, inspetor Virgílio Tourinho, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) propôs que a Prefeitura assuma a fiscalização de trânsito da Avenida Integração (antigo trecho da BR 116 que corta a cidade). Segundo a Secretaria de Comunicação, a ideia foi levada ao prefeito Herzem Gusmão como um convênio de cooperação técnica entre as duas instituições, por meio da qual os agentes de trânsito municipais também teriam competência para fiscalizar o perímetro da  avenida, tarefa que hoje é desempenhada apenas pela PRF.

Herzem, Yoshiura e inspetores da PRF em reunião na Prefeitura da Zona Oeste

A proposta foi comemorada pelo secretário de Mobilidade Urbana, Jackson Yoshiura. “Isso traria, sem dúvida nenhuma, maior segurança para o usuário da via e também muito mais fluidez para o trânsito, porque nós teríamos duas forças cooperando para o bom andamento e para a boa utilização dessa via, dentro do nosso município”, disse o secretário ao site da Prefeitura.

Mas, o prefeito Herzem Gusmão é mais parcimonioso em relação à ideia. Na entrevista que concedeu ao BLOG na sexta-feira (26) Herzem, que acha a municipalização plena da gigantesca avenida um “presente de grego”, raciocina que o município pode ter dificuldade para assumir mais essa demanda. Disse que o governo vê com bons olhos a partilha da fiscalização do trânsito na área, mas que isso só se tornaria possível se o trecho fosse entregue com radares e câmeras, por exemplo. Segundo ele, a municipalização do trecho, em si, é muito improvável, pelos custos de sua manutenção.

“[À PRF] Eu disse, ‘tudo bem. Fale com a Via Bahia, coloque os radares, coloque as câmeras e entregue, que a gente aceita’. Nós não conseguimos ainda colocar radares nas nossas avenidas, para melhorar a segurança no trânsito e ajudar a fiscalizar, não temos como assumir a Integração sem essas condições informadas”, esclareceu Herzem.

Sobre a municipalização da via, em si, o prefeito afirma que a Prefeitura já tem grandes dificuldades para cuidar das ruas e avenidas que lhe cabem e não teria condição de assumir a obrigação completa da Avenida Integração, cuja manutenção ainda é tarefa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Nas palavras de Herzem, a municipalização da Integração seria um “presente de grego”.

“O governo passado queria municipalizar todo o perímetro urbano da Avenida Presidente Dutra, chamada de Integração. Eu falei, ‘isso é um presente de grego, nós não estamos aguentando com os pedacinhos de avenida que nós tempos, vamos pegar uma gigante daquela, que foi mal projetada, mal executada?’, contou Herzem. Ele afirma que, na avenida, já está tudo entupido, não tem drenagem. “Quando chove é um rio”, afirma e cita uma cascalheira que teria sido autorizada antes de sua gestão, na subida da serra, do lado esquerdo: “está todo entupido, aquilo lá. Aquilo é um presente de grego. Nada de negócio de municipalizar, deixa o DNIT tomando conta”, finalizou o prefeito de Vitória da Conquista.

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente