Anúncios
Clima e temperatura

Após polêmica, concessionária do Aeroporto Glauber Rocha explica condições de operação sob mau tempo

Passados 22 dias da polêmica inauguração e 20 após o início da sua operação, o Aeroporto Glauber Rocha continua rendendo controvérsias. Desta vez por conta da repercussão de um comentário feito em um programa de rádio de Vitória da Conquista, ontem (12) dando conta de que o voo 2241, da Passaredo, que deveria sair de Vitória da Conquista com destino a Salvador, às 8:45, atrasou por causa do mau tempo. O radialista Marcos Ferreira, da Band FM, disse que a pessoa que informou sobre o atraso lhe mandou um vídeo afirmando que a aeronave nem havia decolado de Salvador, quando já deveria estar decolando do Glauber Rocha.

Alguns blogs reproduziram o áudio do programa e chegaram a mencionar o cancelamento do voo, dizendo que o avião ATR-72 da Passaredo Linhas Aérea nem chegou a sair de Salvador, e a citar pelo menos mais um caso em que a situação ocorreu. O transtorno teria ocorrido porque o aeroporto não tem, segundo os radialistas e os blogs que reproduziram a notícia, os equipamentos necessários para garantir o pouso dos aviões em condições de mau tempo, um problema que era recorrente no antigo Aeroporto Pedro Otacílio de Figueiredo, desativado no dia 24 de julho.

Na tarde da segunda-feira a Socicam, empresa concessionária do aeroporto divulgou uma nota afirmando que nenhum voo foi cancelado desde que o novo aeroporto começou a operar, mas não comentou sobre o atraso reclamado. Na nota, a empresa afirma que as condições do tempo não causarão mais os problemas registrados no aeroporto antigo porque os equipamentos instalados permitem pousos seguros com nuvens a até 76 metros da pista, sendo que no antigo aeroporto precisam estar a 213 metros de altura.

A Socicam informou ainda que instalou um Indicador de Trajetória de Aproximação de Precisão (PAPI) que é um sistema de iluminação de orientação visual que ajudam os pilotos na aproximação final para pouso, além de uma Estação Meteorológica de Superfície (CAT 3), que fornece dados meteorológicos  aos pilotos por meio da Estação Prestadora de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo (EPTA-A).

A empresa não mencionou o ILS (do inglês “Instrument Landing System”), que é um sistema composto por equipamentos eletrônicos instalados na pista e nos aviões, que praticamente guia o piloto até o pouso quando a névoa encobre o horizonte. Menos de 40 aeroportos no país contam com o sistema. A previsão é de que no Aeroporto Glauber Rocha ele seja implantado em até cinco anos. O custo não é menor que R$ 5 milhões, para a categoria inicial.

O ILS é considerado fundamental em aeroportos que funcionam em localidades sujeitas às condições de tempo semelhantes às de Vitória da Conquista no período do inverno.

LEIA A NOTA DE ESCLARECIMENTO DA SOCICAM

Referente à informação sobre o possível cancelamento de voo em Vitória da Conquista, a Socicam informa:

“O Aeroporto Glauber Rocha foi inaugurado com todos os equipamentos necessários para uma operação segura, sob condições de voos visuais, bem como condições de voos por Instrumentos, equipamentos esses homologados pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), órgão do Comando da Aeronáutica.

Os procedimentos disponibilizados fornecem aos pilotos condições de realizarem suas operações (pouso e decolagem) com total segurança.

Atualmente os procedimentos de pouso permitem uma aproximação segura, com nuvens de até 250 (pés) ou seja, 76 (metros) de altura, sendo que no antigo aeroporto de Vitória da Conquista, eram até 700 (pés) / 213 (metros) de altura.

Visando uma maior eficiência na segurança operacional, a Socicam instalou um Indicador  de Trajetória de Aproximação de Precisão (PAPI) que é um sistema de iluminação de orientação visual, que fornece uma indicação positiva da posição de uma aeronave em relação à rampa de inclinação, durante a aproximação final para pouso.

O aeroporto dispõe ainda de Estação Meteorológica de Superfície (CAT 3), que fornece dados meteorológicos, transmitidos aos aeronavegantes, pelos operadores da Estação Prestadora de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo (EPTA-A), também implantada no aeródromo, visando maior segurança nas operações de pouso e decolagens.

Vale ressaltar que desde o início das operações no Aeroporto Glauber Rocha – SBVC, não consta nenhum voo cancelado das empresas aéreas em nosso Banco de Informações de Movimento de Tráfego Aéreo.

Anúncios

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 56 anos de idade, 40 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

5 comentários em “Após polêmica, concessionária do Aeroporto Glauber Rocha explica condições de operação sob mau tempo

  1. GILBERTO Veroneze ANDRADE

    Quando se faz jornalismo orientado por boato sem ouvir a fonte primária, dá isso. É a famosa “barrigada”.
    Valeu o esclarecimento, Giorlando.

  2. Só para informar que o vôo do dia 08 /08 com destino a Campinas das 05:30 hs , atrasou por 02:35, segu do informação no balcão da Azul era por causa do nevoeiro , será que iremos esperar mais quanto tempo para a compra do tal equipamento?

    • O ILS não garante que o problema vai acabar, porque na região essa condição climática é típica e, muitas vezes, crítica. Mesmo os maiores aeroportos do Brasil e do mundo passam por essa situação. Eu ouvi no aeroporto Glauber Rocha, em conversas de autoridades, que o ILS deve ser instalado em até cinco anos

      • De fato, mesmo aeroportos com ILS sofrerão, em algum momento, problemas com atrasos e cancelamentos. E por que isso? Porque haverá aeronaves que não estarão homologadas para voar ILS; haverá pilotos que não estarão habilitados para voar ILS; haverá condições de tempo tão degradadas que extrapolarão os limites de segurança do ILS. Vejam que grandes aeroportos da Europa e dos EUA também enfrentam estas situações. O importante destacar é que o Glauber Rocha, pela sua localização geográfica e pelos procedimentos de aproximação que possui, registrará muito menos cancelamentos que o Pedro Octacílio.

      • Luciano, obrigado. 1. Por participar com seus comentários; 2. Pelas informações valiosas, que nos ajudam a comhecer mais de aeronaves e aeroportos. Abraço.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: