Guerra do tráfico | Rapaz é assassinado em Vitória da Conquista por dívida de droga

Júlio César Santos Novaes, de 20 anos, foi a mais recente vítima da guerra do tráfico em Vitória da Conquista. Ele foi executado na manhã de hoje (12) por dívidas com traficantes de drogas, segundo familiares informaram à polícia. Júlio César tinha sido preso em novembro do ano passado pelo Pelotão de Emprego Tático Operacional (PETO), da 78ª Companhia Independente de Polícia Militar, por porte ilegal de arma de fogo.

Nesta quinta-feira, por volta das 11h50, uma guarnição embarcada na viatura 7810, comandada pelo soldado Tercio Dutra, se deslocou até a Rua Itambé, no bairro Patagônia, zona oeste de Vitória da Conquista, para averiguar a informação passada pelo Centro Integrado de Comunicação (CICOM), de que um homem teria sido ferido por disparos arma de fogo. No local, os PMS encontraram Júlio César caído ao chão. O SAMU 192 prestou atendimento e constatou que o rapaz estava morto.

Segundo boletim da 78ª CIPM, populares informaram que Júlio César trafegava na rua em sua bicicleta quando foi surpreendido por dois homens que estavam a pé e um deles deflagrou os disparos que o atingiram na cabeça e em um dos braços e em seguida fugiram sentido ignorado. O corpo foi recolhido pelo Departamento de Polícia Técnica.

Em consulta ao Portal da Secretaria de Segurança Pública os policiais verificaram que  Júlio César tinha passagens por posse ilegal de arma de fogo e posse de entorpecentes, confirmado por familiares que se fizeram presentes ao local do crime, que informaram que a vítima havia recebido ameaças de morte por conta de dívidas com traficantes.


JÚLIO CÉSAR, QUANDO FOI PRESO POR PORTE ILEGAL DE ARMA, EM NOVEMBRO DE 2018.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente