Vitória da Conquista | Acusado de matar rival do tráfico recorre de sentença, mas é condenado pela 2ª vez

BANNER 1000X120 PX


No dia 8 de agosto do ano passado, Natanael Santos da Silva foi condenado pelo Tribunal do Júri, em Vitória da Conquista, a 14 anos de reclusão pelo homicídio de Rômulo Melo Pereira, em disputa pelo tráfico de drogas. Natanel era acusado de ter matado Rômulo, às 19h30 do dia 3 de abril daquele ano, na Travessa Santa Ana, bairro Nossa Senhora Aparecida. Segundo a acusação, Natanael agiu com a cooperação de Jusimar Sales Reis e os dois teriam efetuado “vários disparos de arma de fogo” contra a vítima, resultando na sua morte.

Jusimar Sales Reis também foi a júri, 21 dias depois do julgamento de Natanael e, como o primeiro, foi condenado a 14 anos de reclusão.

De acordo com o promotor de Justiça, José Junseira Almeida de Oliveira, o crime, qualificado pela impossibilidade de defesa da vítima, teve sua motivação “diretamente ligada ao tráfico de drogas, pois tanto a vítima quanto o condenado têm envolvimento com o tráfico”.

A defesa de Natanael recorreu da sentença, ao Tribunal de Justiça da Bahia, alegando que a decisão dos jurados, no julgamento do ano passado, destoava do acervo probatório dos autos, pois, segundo o recurso, não haveria provas nos autos de que Natan cometera o crime e “todas as testemunhas mencionaram apenas terem tomado conhecimento de que a vítima fora morta por meio de disparos de arma de fogo, sem, contudo, saberem dizer quem foi o autor do ilícito”.

O TJBA determinou um novo júri, que aconteceu ontem (11), presidido pelo Juiz de Direito Reno Viana Soares. Atuou na acusação o Promotor de Justiça José Junseira e na defesa o advogado José Correia dos Santos. Com novos jurados, o tribunal do júri, formado por sete pessoas, julgou o réu culpado e Natanael foi, novamente, condenado a 14 anos de reclusão.

Durante a sessão, a mãe do acusado desmaiou no Salão do Júri e teve que ser socorrida pelo SAMU 192, que a conduziu ao Hospital Unimec para atendimento médico.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente