Anúncios

Conquista | Governo quer recurso do Finisa para reformar terminal e Ivan Cordeiro pergunta onde está dinheiro do PAC


Programada desde 2013, quando o governo municipal garantiu a sindicatos de trabalhadores e movimentos sociais a sua “reconstrução total”, a obra de revitalização do terminal de ônibus localizado na Avenida Lauro de Freitas ainda está no papel e agora ganha um novo ingrediente: os recursos que, segundo sempre se divulgou, estavam disponíveis, voltaram para Brasília. Traduzindo: a Prefeitura teria perdido os prazos e o governo Bolsonaro pegou o dinheiro de volta.

De acordo com informações divulgadas tanto por representantes da administração anterior como da atual, haviam R$ 5,1 milhões para a reforma do terminal. O prefeito Herzem Gusmão chegou a marcar mais de uma data para começar as obras, mas teria sido instado por técnicos quanto à inconveniência de realizar os serviços em determinados períodos porque causaria transtornos e prejuízos ao comércio.

Nesta semana, uma nota da Câmara de Vereadores trouxe um dado até então desconhecido: para fazer a obra do terminal, a Prefeitura precisa pedir dinheiro emprestado. Ou seja: aqueles R$ 5,1 milhões já não estão disponíveis. De acordo com a Câmara, o governo municipal quer usar R$ 7 milhões, dos R$ 60 milhões que deseja tomar emprestado à Caixa, se os vereadores autorizarem, para fazer a obra na Lauro de Freitas.

Muita gente tomou um susto quando soube que o dinheiro estaria na conta não está mais, se é que já esteve. Entre os que estranharam a notícia, o ex-secretário municipal e pré-candidato a prefeito pelo PSL, Ivan Cordeiro, manifestou sua surpresa nas redes sociais. O pré-candidato do PSL disse que quer saber onde está o dinheiro do PAC que estava destinado ao terminal, ou se a obra passou a custar R$ 7 milhões a mais, além dos R$ 5,1 bilhões noticiados antes. No Facebook, Ivan escreveu:

“Segundo a matéria postada no site da Câmara de Vereadores, em reunião com os vereadores, ‘representantes da Prefeitura relataram que R$ 7 milhões do segundo empréstimo serão investidos na revitalização do Terminal de Ônibus’. Vejam só!!! Pra onde foi o recurso do PAC que estava disponível para a reforma do Terminal? Mais R$ 7 milhões agora??? Ou será que vão construir uma rodoviária no centro da cidade? A prefeitura precisa esclarecer o que aconteceu com o recurso que estava disponível! Cadê a transparência da gestão? Leia a matéria no site da Câmara https://bit.ly/2m0COqc.”

SAIBA MAIS

A reforma do Terminal de Ônibus Urbanos da Avenida Lauro de Freitas é uma promessa que vem desde a administração passada. Construído em 1984, com previsão de atender à cidade por 20 anos, o terminal tornou-se decadente e pouco funcional.

Em 1984, Vitória da Conquista tinha 190.245 habitantes, estimava o IBGE, e circulavam pela cidade menos de 20 mil veículos. Hoje são 338.885 habitantes (estimativa 2019) e mais de 120 mil veículos, sem contar os que chegam e saem todos os dias, vindo dos municípios da região. Não ia dar em outra coisa: as vias apertadas em torno do terminal tornam problemático o tráfego no local.

Anúncio da reforma total do terminal de ônibus, de junho de 2013 (Foto: Reprodução do site da PMVC)

Em 2013, na gestão do prefeito Guilherme Menezes, a Prefeitura prometeu fazer a “reconstrução total do terminal de ônibus localizado na Avenida Lauro de Freitas (…), que privilegiará, sobretudo, a acessibilidade. Os novos abrigos serão construídos de modo a abranger também os ônibus, e não apenas os passageiros”.

Em 2015, a Prefeitura teria conseguido fazer um remanejamento nos recursos do PAC 2 que haviam sido destinados para obras de requalificação dos corredores do transporte público, com a desistência de construir uma estação de transbordo no Vila América, e garantiu uma verba de R$ 5,1 milhões para fazer a reforma.

Em 2016, os projetos executivo e arquitetônico ficaram prontos, mas a obra não foi iniciada pelo ex-prefeito Guilherme Menezes.

Prefeito Herzem Gusmão conhece e aprova projeto de reforma do terminal, em 23 de janeiro de 2017

O sucessor dele, Herzem Gusmão, resolveu adotar o projeto e antes de completar um mês de gestão, no dia 23 de janeiro de 2017, assegurou que faria a reforma. “Gostamos do projeto. É belíssimo, Vitória da Conquista vai aplaudir”, disse Herzem e em seguida autorizou o então chefe de gabinete, Marcos Ferreira, a dar início ao processo licitatório.

Em agosto deste ano, o arquiteto Eloy Kockanny, da Via 11 Engenharia, contratada pela Emurc por R$ 760 mil para elaboração do Plano de Circulação Viária, entregou ao prefeito um novo projeto com modificações feitas no anterior, que havia sido feito na gestão passada e acolhido pela atual.

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO AQUI e AQUI.

Anúncios

Comente

%d blogueiros gostam disto: