Total de R$ 145 milhões | Grupo de vereadores quer que Herzem pegue mais R$ 40 milhões emprestados

BANNER 1000X120 PX

Quem acompanha as notícias da Câmara de Vereadores deve ter ficado sabendo que os vereadores estavam em dúvida se autorizam ou não o prefeito Herzem Gusmão a tomar dois novos empréstimos na Caixa, dentro da linha de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). Em dezembro de 2017, com autorização da Câmara, o governo municipal tomou R$ 45 milhões. Com esse dinheiro ampliou o aterro sanitário, está asfaltando o Conveima 1 e fazendo melhorias no povoado da Cabeceira, no distrito de José Gonçalves, e encomendou ao escritório do arquiteto Jaime Lerner um projeto de Parque Ecológico para a cidade.

Este mês, o prefeito enviou dois novos projetos de lei para apreciação dos vereadores, em rito de urgência, pedindo autorização para contrair mais dois empréstimos, um de R$ 10 milhões para iluminação e o outro de R$ 40 milhões, que seriam aplicados em obras de infraestrutura, reformas do Murilão e do Ginásio de Esportes Raul Ferraz e obras na zona rural. A impresa tem trazido a notícia de que os vereadores não têm certeza sobre liberar o prefeito a pegar os dois novos empréstimos.

Mas, a dúvida não parece ser de todos. Para uma parte dos vereadores de Conquista a dúvida parece ter se desfeito, depois de uma providencial reunião, ocorrida segunda-feira (23), na Superintendência da Caixa, a convite da instituição financeira. Participaram da apresentação das vantagens de aumentar a dívida do Município, feita em conjunto pelos técnicos da Caixa e da Prefeitura, o prefeito Herzem Gusmão, secretários, assessores e nove vereadores, sendo seis da bancada de apoio ao governo e três da oposição. E os parlamentares não apenas foram convencidos da necessidade de autorizar o Poder Executivo municipal a tomar emprestados os R$ 60 milhões que agora solicita como, encantados com as propostas feitas pela Caixa, sugeriram a Herzem pegar mais R$ 40 milhões, que seriam aplicados na zona rural.

Foi o tipo da reunião boa para todo mundo. Ótima para a equipe da Caixa, que não tem meta, mas missão, como disse o superintendente João Dácia, na festa de lançamento das obras do Conveima 1, também na segunda-feira. Maravilha para o prefeito, que saiu com a confiança de que a autorização para os empréstimos vai ser aprovada. E muito oportuno para os vereadores. Uma chance de posar nas fotos e reforçar o potencial de reeleição, se o empréstimo realmente sair e as obras realmente começarem. Isso a um ano da eleição de prefeito e vereadores.

Se a proposta feita pelos nove vereadores cair nas graças dos colegas – e há notícia de que a repercussão entre eles teria sido ótima -, a Câmara poderá autorizar a Prefeitura a contrair R$ 145 milhões de dívidas em menos de um ano. Quem vai começar a pagar será a próxima gestão (que pode ter o próprio Herzem à frente), já que a carência do primeiro financiamento termina em dezembro de 2020 e dos outros a partir de 2021, à exceção do Finisa Iluminação, que tem prazo de 12 meses até o início dos pagamentos e, se for aprovado em outubro e liberado pela Caixa ainda este ano, terá sua primeira parcela vencida dentro do governo Herzem Gusmão.

O BLOG teme que essa proposta feita pelos vereadores e encampada pela administração diz muito mais respeito aos interesses políticos e eleitorais dos dois lados do que ao interesse do município. Toma ares de barganha. Sabemos que se tratam de políticos honestos, respeitosos com o dinheiro público e que, em outra circunstância, sua proposta não suscitaria dúvidas acerca da intenção, mas, a um ano da eleição, já tendo o governo municipal contraído dívida de R$ 45 milhões e de estar às vésperas de tomar mais R$ 60 milhões emprestados, beira o escárnio falar em um quarto empréstimo de R$ 40 milhões. E isso quando se vê que a Prefeitura levou quase um ano para começar a usar a parte do primeiro empréstimo, no Conveima 1, e ainda perdeu os recursos do terminal de ônibus, porque não há nem projetos prontos e nem capacidade operacional na Emurc para tanta obra.

É admissível que se aprovem os dois financiamentos que somam R$ 60 milhões. É possível afirmar que sem esses recursos a Prefeitura não fará nada novo no ano que vem e, ainda que seja ano de eleição, o município não pode mais ficar dependendo das obras e dos projetos deixados pelo governo anterior. Não pode a cidade ficar contando apenas com as obras da Olívia Flores e da Perimetral ou das praças e alamedas feitas pela Pel Construtora, frutos da permuta do terreno do Clube Social com área do município. Por isso, com alguma resistência, dá até para entender, diante da iminente dificuldade financeira da Prefeitura, a liberação dos R$ 60 milhões solicitados agora. Mas, colocar mais R$ 40 milhões nessa conta, elevando o prego, o fiado, a promissória, o carnê do Município com a Caixa para R$ 145 milhões, ai, já é demais.

Pelo menos assim pensamos. Abertos, estamos receptivos aos argumentos contrários.

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “Total de R$ 145 milhões | Grupo de vereadores quer que Herzem pegue mais R$ 40 milhões emprestados

  1. O bode velho está desesperado, querendo endividar o munícipio na tentativa de melhorar a sua popularidade e sua chance de reeleição. Será muita irresponsabilidade dos vereadores votar a favor dessa indecência. Não justifica a desculpa, que se não votar favorável está votanto conta o desenvolvimento da cidade. Trata-se de um empréstimo eleitoreiro, visando a reeleição desse prefeito incompetente juntamente com sua bancada de vereadores inoperantes!

Comente