A praça dos cachorros em Vitória da Conquista

As fotos e vídeos que ilustram esta matéria foram feitas na Praça Hercílio Lima, conhecida como Praça do São Vicente, em frente ao hospital com o mesmo nome.

Todo mundo sabe que Vitória da Conquista não tem Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Uma das consequências disso é uma cidade cheia de animais abandonados pelas ruas, sendo maltratados e, ao mesmo tempo, expondo a população a riscos de doença e ataques. A luta pela construção do Centro de Zoonoses tem à frente o vereador Sidney Oliveira (Republicanos), que, enquanto briga pela instalação do CCZ se preocupa com os animais, criando condições para que se alimentem e permaneçam saudáveis, para o bem deles e o nosso.

De vez em quando, um deputado que já demonstrou vontade de ser prefeito de Vitória da Conquista vem à cidade e promove a castração de animais domésticos. Marcell Moraes ganhou a simpatia de muita gente fazendo isso, mas sua ação não se amplia aos animais soltos nas ruas, embora ajude na conscientização sobre o problema.

Existe na cidade a Associação Protetora dos Animais do Sudoeste da Bahia – AMA, cadastrada na Prefeitura como a única instituição estabelecida em Vitória da Conquista que presta o serviço de cuidar de animais abandonados. A AMA tem um contrato de R$ 10.000,00 por mês para fazer o trabalho de recolher os bichos soltos e cuidar deles até que encontrem quem o faça.

Como a associação, há outras ongs e voluntários que atuam recolhendo animais feridos ou recebendo e encaminhando bichinhos abandonados para adoção, no entanto, a população de animais de rua em Vitória da Conquista supera a casa de dezenas de milhares. Falamos, quase na totalidade, de cães. Eles estão espalhados por toda parte. Sofrendo e, por que não dizer?, causando transtornos.

Um dos locais onde eles podem ser vistos em grande quantidade, além do entorno das feiras e próximos de restaurantes – onde as pessoas lhes dão comida e eles se acostumam – é na Praça do São Vicente. Em uma tarde, o BLOG contou cerca de uma dúzia de cachorros passeando, dormindo, vivendo à vontade como se donos da praça fossem. Em alguns momentos vimos pessoas temerosas de atravessar, porque um ou outro aparentava fúria.

A população de animais de rua, especialmente cães, não para de crescer. A castração não existe como um programa permanente porque nem a AMA, nem os voluntários têm como fazer isso com tantos bichos. Já a Prefeitura se acomoda como o contrato com a associação e deixa o tempo passar, os animais sem dono dividindo calçadas e praças com os pedestres, como se isso nunca fosse representar um problema. Essa desídia não é de hoje, mas o melhor é que também não seja de amanhã.

O QUE É O CCZ

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) é o setor que seria responsável pela prevenção e controle de doenças animais, como a raiva e o calazar, que podem atingir seres humanos. Além da vacinação e tratamento de eventuais moléstias, um dos trabalhos que podem ser feitos no CCZ, fundamental para o controle das populações de animais que são encontrados abandonados nas ruas, é a castração. Além disso, o centro de zoonoses faz palestras sobre a importância dos cuidados com os animais, sua saúde e controle de natalidade, e pode, dependendo da estrutura, abrigar temporariamente um determinado número de bichos, estimulando a adoção por meio de eventos públicos.

No dia 23 de novembro de 2017, o governo Herzem Gusmão reconheceu a importância de implantar o CCZ em Conquista e chegou a anunciar a criação do Serviço de Controle de Zoonoses, em evento na Câmara de Vereadores. O serviço precederia o CCZ, que logo seria construído. No entanto, dois anos depois, ficou apenas a promessa.

Na oportunidade, como mostra o site oficial, a Prefeitura admitiu que Vitória da Conquista era a única cidade brasileira com mais de 200 mil habitantes que não possuía um Centro de Controle de Zoonoses. Além da criação do Serviço de Controle de Zoonoses, o prefeito Herzem Gusmão anunciou, ainda, a publicação de um edital para que clínicas veterinárias particulares viessem a realizar a esterilização de animais de rua e/ou acolhidos por ONGs, o que, até hoje, não aconteceu. A única medida foi manter o contrato com a AMA. E ainda bem que existem a AMA e os voluntários.

20190711_11282420190711_112727

20190711_112512

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “A praça dos cachorros em Vitória da Conquista

Comente