Lava Jato investiga ligação de pagamentos da Oi a filho de Lula com Sítio de Atibaia


A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público deflagaram nesta terça-feira operação para investigar se os pagamentos suspeitos de R$ 132 milhões feitos pela Oi para empresas do filho do ex-presidente Lula, Fabio Luís Lula da Silva, o Lulinha teriam sido usados na compra do Sítio de Atibaia, pivô de uma das duas condenações já impostas ao ex-presidente na Lava Jato.

O filho de Lula é sócio de Fernando Bittar e do empresário Jonas Suassuna, que aparecem como donos dos terrenos onde está situado o sítio, em pelo menos nove empresas, junto com Kalil Bittar, irmão de Fernando. De acordo com os investigadores, Fernando e Jonas podem ter usado o dinheiro repassado pela Oi para comprar o sítio.

– A investigação inicia a partir do aprofundamento de uma ação penal já ajuizada, a ação penal na qual o ex-presidente Lula foi denunciado e condenado por ter participado de um esquema criminoso que envolveu a prática e o repasse por duas empreiteiras de valores sob a reforma no sítio de Atibaia – afirmou o procurador Roberson Pozzobon, do MPF, segundo O Globo.

Pozzobon diz que a investigação considera a possibilidade e a maior parte do pagamento pelo Sítio de Atibaia pode ter sido dos recursos repassados pelo grupo Oi/Telemar para um complexo de empresas criadas por Fabio Luís Lula da Silva, Jonas Suassuna, Kalil e Fernando Bittar.

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente