Anúncios

Desde 1996, Câmara de Conquista teve 109 vereadores. Três ainda estão lá desde aquela eleição. Veja os recordistas

Em 1996 a Câmara de Vereadores funcionava no prédio antigo, onde hoje estão localizados o gabinete do presidente, no térreo, e o Memorial, no pavimento superior. Para atuar naquele espaço, foram eleitos 19 vereadores nas eleições daquele ano, as mais antigas (municipais) com dados disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral. Os mais votados foram Lúcia Rocha, então no PTB, o ex-delegado da Polícia Civil Wilson Feitosa (PFL) e Álvaro Pithon (PL). Destes, Lúcia não perdeu nenhuma eleição desde então, Feitosa se aposentou e Álvaro, depois de ter perdido em 2004, continua até hoje.

Na última eleição, Lúcia foi novamente a mais votada, e Álvaro, o sexto. Os dois tiveram suas votações reduzidas comparando com as duas eleições anteriores (2008 e 2012), mas continuam entre os mais cotados para renovarem os mandatos em 4 de outubro deste ano.

Além de Álvaro Pithon e Lúcia Rocha, ambos hoje no DEM, quem teve sucesso nas eleições de 1996 e continua na Câmara, é o vereador Hermínio Oliveira, atualmente no Cidadania. Assim como Pithon, ele só ficou fora em 2004 e nunca mais saiu. Os três, Lúcia, Hermínio e Álvaro, são os mais longevos entre os que estão na atual legislatura, sendo que Lúcia, eleita pela primeira vez em 1992, é a campeã, com sete mandatos, a mesma quantidade que tive Vivi Mendes, que foi vereador de 1983 até 2012. Quando Vivi saiu entrou um dos filhos dele, Nelson, eleito pelo PCdoB, mas que não conseguiu sucesso na eleição passada. Já Álvaro Pithon tem seis mandatos.

Fernando Vasconcelos (Jacaré), do PT, está no quarto mandato e já foi presidente da Câmara. Lúcia e Hermínio também foram. Depois dele, os que estão há mais tempo no legislativo municipal são: Edijaime Rosa (Bibia), do MDB, e Luciano Gomes, do PL, atual presidente, com três participações, e Cícero Custódio (PSL), Sidney Oliveira (Republicanos), Adinillson Nascimento (PSB) e Coriolano Moraes (PT), com dois mandatos. São dez vereadores com mais de uma participação e 11 estreantes.

Dos dez que estão com mais de um mandato, três estiveram entre os cinco mais votados foram Lúcia Rocha (3.784 votos), Fernando Jacaré (2.756) e Luciano Gomes (2.613). Álvaro Pithon ficou em sexto (2.463 votos), seguido por Cicero Custódio (2.439), Sidney Oliveira (2.161), Adinilson (1.892), Coriolano Moraes (1.819), Bibia (1.613) e Hermínio Oliveira (1.341 votos).

Dos estreantes, o mais votado foi Gilmar Ferraz (MDB), que se licenciou para assumir uma secretaria no governo Herzem Gusmão, com 2.825 votos, tendo sido o segundo, no geral; Luís Carlos Dudé, do PTB (2.524), Danillo Kiribamba, PC do B (2.327), Nildma Ribeiro, PC do B (2.127), Valdemir, do PT (2.086), Rodrigo Moreira, PP (1.892), Osmário, MDB (1.874), Viviane, PT (1.755), Dênis do Gás, PSC (1.483), Jorge Bezerra, SD (1.351) e David Salomão, do PRTB, 969 votos. O suplente Edvaldo Ferreira Júnior (MDB), que está no lugar de Gilmar Ferraz, obteve 1.432 votos.

ERRAMOS: Informamos, equivocadamente, que Lúcia Rocha estaria no sexto mandato, um a menos que Vivi Mendes. Mas, ela tem a mesma quantidade de mandatos que teve o ex-vereador, pois se elegeu, pela primeira vez, em 1992 e se reelegeu em todas as eleições seguintes. Álvaro Pithon também foi eleito em 1992, pela primeira vez. Perdeu uma eleição e tem um mandato a menos. As correções já foram feitas no texto.

E em 1996 foram eleitos 19 parlamentares e não 13, como antes informado. Isso altera o título, que dizia terem sido eleitos 103 vereadores naquele ano, quando foram 109. Correções feitas. Grato, jornalista Fábio Sena.

Anúncios

Comente

%d blogueiros gostam disto: